Publicidade:

A importância da empatia na vida profissional

A capacidade de nos relacionarmos com o outro e de nos colocarmos na sua pele é o que define a empatia. Saiba mais sobre a sua importância no trabalho.

A importância da empatia na vida profissional
A empatia está relacionada com a inteligência emocional

A empatia traduz-se são só na capacidade de manter bons relacionamentos pessoais, como também na de ajudar a manter e a desenvolver um crescimento profissional. Sabia que esta é uma característica fundamental para líderes e colaboradores?

Ao colocarmo-nos no lugar do outro estamos a exercer e a incentivar comportamentos de empatia, mas a verdade é que, esta competência no mundo profissional também tem muito a ver com a comunicação assertiva, a motivação e a liderança. Numa equipa de trabalho, um membro empático está atento ao que se passa e não só ao que se diz. Além de bom ouvinte, uma pessoa empática é um excelente observador de emoções e expressões faciais.

Empatia no local de trabalho


empatia

Profissionalmente, exercer empatia vai ajudá-lo a comunicar ideias e pontos de vista com facilidade e confiança. Ajuda-o a captar a atenção e, até, a obter o apoio dos colegas e supervisores. É, também, muito importante num ambiente de negociação, para ler o oponente e saber como argumentar.

Mas, afinal, como pode conseguir ter esta capacidade e aplicá-la no trabalho? Infelizmente, esta competência não é inata, mas pode ser desenvolvida. Veja como:

  • saiba ouvir o outro. Ouvir e escutar com todos os sentidos, porque há muita informação escondida na linguagem corporal;
  • escolha bem as palavras: prefira falar no sentido coletivo ao invés do individual;
  • em casos de negociação, estude bem o oponente e prepare argumentos assertivos. Esteja preparado/a;
  • não seja excessivo, ser empático também se pode traduz em ser moderado.

Empatia vs. Agressividade

Como ferramenta de comunicação, a empatia tem bastante poder. É com ela que se criam pontes de comunicação e que se determina se uma interação é positiva ou negativa. Outra forma de a traduzir é na forma como comunicamos.

Num contexto de reunião de trabalho, entrevista de emprego ou negociação, é importante preferir comportamentos empáticos e não agressivos. Uma comunicação atenta e assertiva é a essência da empatia: as palavras que escolhemos e a forma como as organizamos para comunicar as nossas ideias.

Comportamentos agressivos estabelecem, de imediato, uma barreira que não é bem vinda no mundo laboral. Destacamos, novamente, que a preparação é uma grande parte da empatia num ambiente profissional: vai destacar a sua posição de uma forma extremamente positiva e ajudá-lo a ser bem sucedido.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.