Publicidade:

17 regras para utilizar o homebanking em segurança

Conheça as principais regras e os cuidados essenciais para aceder ao seu banco online de forma segura. Saiba, então, como usar o homebanking em segurança.

17 regras para utilizar o homebanking em segurança
Saiba quais as principais regras de segurança do homebanking

O que fazer para aceder ao homebanking em segurança? O recurso aos serviços das entidades bancárias através da Internet (o chamado homebanking) generalizou-se, ainda que o número de utilizadores tenha estagnado desde 2014, segundo dados recentes da Marktest.

A acompanhar a tendência, surgiram novos serviços e meios de utilização – PC, SMS, app para smartphone e até smartwatch –, e verificou-se uma melhoria dos mecanismos contra fraudes associadas ao homebanking.

No entanto, continua a ser fundamental que adote alguns comportamentos necessários para que possa utilizar o homebanking em segurança, pois este, apesar da comodidade e poupança, implica riscos e desvantagens.

homebanking engloba serviços bancários aos quais um cliente de uma instituição financeira pode aceder através do telemóvel, smartwatch, televisor ou computador para ligação ao computador central da instituição. Acredita-se que quando ultrapassadas ou atenuadas as barreiras da insegurança, as desconfianças por parte do consumidor também diminuirão, aumentando definitivamente a sua utilização.

Como utilizar o homebanking em segurança


homebanking em segurança

Como referido, apesar de amplamente difundido, deverá tomar medidas de segurança para se proteger dos vários tipos de fraude associados ao homebanking (muitas aplicáveis igualmente a compras online).

1. Leia e conheça as especificidades do serviço de homebanking da sua instituição bancária, nomeadamente as informações de segurança e de acesso ao serviço (por exemplo, que tipo de informação é solicitada no acesso ao homebanking). Se tiver dúvidas, esclarece-as com a instituição;

2. Ao aceder ao seu banco online escreva sempre o endereço eletrónico completo do mesmo, ou seja, não aceda ao homebanking através de um link;

3. Para aceder aos serviços de homebanking em segurança deverá, preferencialmente, fazê-lo através do seu computador pessoal, ou seja, evite aceder à sua conta bancária online através computadores ou tablets públicos ou partilhados;

4. Proteja o seu equipamento (computador, tablet ou smartphone) com programas antivírus e anti-spyware, e com uma firewall, atualizando-os regularmente;

5. Verifique se o endereço eletrónico começa por “https” em vez de “http” (o “s” indica mais segurança) e se inclui uma chave ou cadeado no final do endereço ou na barra inferior da janela do browser;

6. Algumas dicas para saber se está seguro durante o acesso ao homebanking: minimize a página de acesso e verifique se também o teclado virtual é minimizado. Se não minimizar, é sinal de fraude. Ou, ao aceder ao homebanking, digite uma palavra-passe errada na primeira tentativa. Se não surgir uma mensagem de erro significa que o site não é seguro;

7. Não utilize palavras-passe óbvias, como as que estejam associadas a informação pessoal (data de nascimento, por exemplo) ou que sejam fáceis de adivinhar (123456 ou ABCDEF, por exemplo), e não as transmita a terceiros.

8. Mude as palavras-passe com frequência, pelo menos trimestralmente;

9. Não guarde palavras-passe, códigos de acesso ou qualquer outra informação confidencial no computador pessoal, em papel, em mensagens de correio eletrónico (e-mail) ou telemóvel;

10. No final de cada utilização do serviço de homebanking, termine sempre a sessão e saia da página da entidade bancária, clicando nos ícones existentes para o efeito, ou seja, não feche a janela sem primeiro terminar a sessão;

11. No acesso ao serviço de homebanking não utilize uma palavra-passe igual à que utiliza para outras ligações que não requerem tanta segurança (as mesmas palavras-passe usadas em redes sociais, por exemplo);

12. Em compras online, preferencialmente, use cartões virtuais (pode criá-los numa caixa automática ou mesmo através do homebanking) ou use meios de pagamento com segurança acrescida (cartões com limite de crédito ou com procedimentos de autenticação suplementares, por exemplo);

13. Após executar uma operação bancária ou uma compra pela Internet, guarde os registos das operações efetuados e consulte regularmente a sua conta para verificar os movimentos realizados e se não há algo de errado. Caso detete algum movimento que não autorizou ou que não reconhece, contacte de imediato a sua instituição bancária;

14. Ignore os e-mails de caráter duvidoso, a solicitar informações sobre contas bancárias, mesmo que pareçam ter sido enviados pelo seu banco. As caixas de correio eletrónico são um meio usado frequentemente para tentativas de phishing. Os e-mails fraudulentos, normalmente, são identificáveis se estiver atento ao tipo de linguagem (mais informal) ou idioma. Não deve abrir esses e-mails, nem clicar em eventuais hiperligações ou descarregar anexos;

15. Use apenas aplicações móveis (apps) seguras no seu smartphone, ou seja, apenas apps com caráter fidedigno, obtidas em lojas de aplicações oficiais. Caso contrário, poderá estar a aceder a aplicações com software malicioso;

16. Ainda relativamente às apps, verifique as permissões de acesso aos seus dados exigidas pelas mesmas. Se lhe parecerem excessivas, não descarregue a app;

17. Se suspeitar de fraude associada ao homebanking, entre imediatamente em contacto com a instituição que lhe presta serviços bancários ou de pagamento, e faça uma participação às autoridades (PSP, GNR, PJ ou Ministério Público).

O que pode fazer através do homebanking?

Entre outras operações poderá:

  • Consultar, por exemplo, património financeiro (contas, cartões, fundos, ações, seguros, etc.), saldos, extratos, débitos diretos, operações realizadas ou agendadas;
  • Efetuar pagamentos de serviços, pagamentos ao estado e setor público, etc.;
  • Realizar transferências (nacionais e internacionais);
  • Gerir os pagamentos dos seus cartões de crédito.

 

Veja também: