Publicidade:

12 mitos sobre o trabalho de freelancer

Se está a pensar ser um trabalhador independente é importante que saiba que não terá só facilidades no seu dia a dia. Descubra 12 mitos sobre o trabalho de freelancer.

12 mitos sobre o trabalho de freelancer
12 ideias erradas que deve conhecer

Cada vez mais profissionais escolhem o trabalho em regime autónomo, porém, ainda existem muitas ideias erradas à volta de um trabalhador independente. Muitas pessoas acham, por exemplo, que um freelancer tem muito tempo livre e que só trabalha quando lhe apetece. Tal como estas, existem outras crenças erradas associadas ao dia a dia de um trabalhador independente. Conheça 12 mitos sobre o trabalho de freelancer que selecionamos para si.

Mitos sobre o trabalho de freelancer: 12 ideias erradas a conhecer


1. Um freelancer faz o que quer e quando lhe apetece

mitos sobre freelancer

É verdade que um freelancer tem maior liberdade para gerir o seu tempo e as suas tarefas diárias, porém, este profissional não pode trabalhar apenas quando lhe apetece. Um trabalhador independente, tal como em qualquer outra profissão, deve ser organizado e gerir os seus horários de forma a cumprir os prazos que lhe são propostos.

Um freelancer, para ser bem-sucedido, tem que assumir um compromisso diário, ser organizado, garantir qualidade no seu serviço e ter capacidade de resposta para todos os desafios que aceitar.

2. Um freelancer pode acordar à hora que quiser

Apesar de ser o sonho de muitos profissionais, este é outro dos grandes mitos do trabalho de freelancer.

Um freelancer tem uma maior liberdade de horários, porém, tem prazos a cumprir como os restantes profissionais. Se não criar rotinas e aproveitar apenas parte do seu dia para trabalhar, menos irá produzir e menor qualidade conseguirá garantir aos seus clientes. Esta prática trará consequências não só para o seu vencimento mensal, mas também para o seu posicionamento no mercado.

3. Não tem chefe, não tem pressões

Na realidade, um freelancer não tem a presença da figura tradicional de uma chefia. Porém, em todos os desafios existe um cliente associado, uma figura sempre presente, que vai constantemente cobrar prazos e exigir elevada qualidade nos seus serviços.

4. Um freelancer nunca irá ganhar muito dinheiro

Outro dos grandes mitos sobre o trabalho de freelancer é que este profissional nunca irá ganhar muito dinheiro. Apesar de não ter determinados benefícios, como os vários subsídios atribuídos a um colaborador de uma empresa ou um ordenado fixo, o freelancer pode conseguir uma boa quantia no final do mês.

Como não depende de intermediários para a realização do seu trabalho, o freelancer pode gerir o seu tempo para obter um maior lucro. Claro que demorará algum tempo até se estabelecer neste tipo de mercado, porém, quanto mais se dedicar às suas tarefas, mais trabalhos conseguirá realizar com sucesso e maior será o seu rendimento.

5. O freelancer recebe muito dinheiro

Se é verdade que é um mito acreditar que um trabalhador independente nunca irá ganhar muito dinheiro, também é verdade que alguns freelancers conseguem boas quantias pelos seus trabalhos – o que não quer dizer que ganhem muitos e muitos euros ao final do mês, uma vez que também têm despesas, nomeadamente relacionadas com equipamentos informáticos, internet, luz, etc. Além disso, é necessário ter em conta que os freelancers ainda têm de pagar uma percentagem dos seus ganhos ao governo, como qualquer outro trabalhador.

6. Só é freelancer quem ficou desempregado

freelancer

Este é um clássico dos mitos do trabalho de freelancer. Muitas pessoas acham que a escolha do trabalhado independente é forçada por falta de oportunidades profissionais, o que está longe de ser verdade.

O trabalho de freelancer tem sido, cada vez mais, uma opção de muitos profissionais que procuram novos desafios ou maior liberdade criativa. Para estes profissionais, a autonomia é sinónimo de maior produtividade e maior realização pessoal e profissional.

7. Só há oportunidades para freelancers de programação, tradução e design

Hoje em dia, as ofertas de trabalho para freelancers envolvem praticamente todas as áreas. O mercado é cada vez mais exigente e tem necessidades cada vez mais imediatas, o que exige um maior número de profissões e serviços disponíveis para dar resposta a todos desafios.

Além da necessidade de programadores, tradutores e designers, também existem muitas oportunidades para outros profissionais, como por exemplo: fotógrafos, marketeers, editores de vídeo, redatores, explicadores, ensino de línguas, entre outros.

Se está a pensar iniciar o seu trabalho como freelancer, conheça algumas plataformas que o podem ajudar e comece hoje mesmo a explorar algumas oportunidades:

8. Não ter chefes equivale a não ter stress

Este é, muito provavelmente, um dos maiores mitos sobre o trabalho como freelancer. Ok, não há chefes, mas e os clientes? Os clientes que contratam os freelancers e que pagam pelo seu trabalho acabam a tornar-se, inevitavelmente, nos chefes dos freelancers. E, se um trabalhador comum tem apenas um chefe a quem prestar esclarecimentos, um freelancer acaba a ter vários, o que equivale, a maior parte das vezes, a muito stress.

9. O trabalho dos freelancers é tão bom que nem sequer devia ser trabalho

De todos os mitos sobre o trabalho como freelancer, este é capaz de ser o que faz menos sentido. Numa organização, os colaboradores, limitam-se a fazer o trabalho que lhes é indicado. No caso dos freelancers, ainda têm de o procurar e, no início, nem sempre é fácil.

10. Os freelancers não têm de lidar com burocracias

Todo o trabalho administrativo que é distribuído por vários colaboradores nas organizações recai única e exclusivamente, no freelancer, ou seja, o freelancer, para além de fazer o trabalho para o qual é contratado, tem ainda de lidar com todas as burocracias inerentes ao seu trabalho.

11. O trabalho como freelancer é bom para pessoas introvertidas

Trabalhar em casa pode ser muito bom para pessoas mais tímidas e introvertidas, no entanto, é sempre necessário contacto constante com clientes, o que não significa que se passe um dia inteiro sem falar com ninguém. É ainda extremamente importante cuidar da imagem de marca do freelancer, procurar novos clientes e, muitas vezes isso não são tarefas fáceis para introvertidos.

12. A única coisa que um freelancer precisa é de um website

O site com o melhor portifólio do mundo pode estar online, mas se as pessoas certas não o encontrarem, não servirá de nada. É, então, extremamente importante promover também os serviços prestados e isso, como tudo o resto, requer tempo e trabalho.

Veja também:

Ana Luísa Machado Ana Luísa Machado

Ana Luísa Machado é Mestre em Psicologia e possui formação em Marketing Digital & Ecommerce. É uma foodie assumida e uma apaixonada por comunicação, tecnologia e viagens. Adora partilhar experiências e acrescentar valor a todos os que se cruzam na sua vida.