Publicidade:

Vale a pena comprar pneus usados? Conheça a opinião de um especialista

Comprar pneus usados é arriscado? Ou não há quaisquer riscos? Tire todas as suas dúvidas, ficando a saber a opinião especializada da DECO, sobre esta matéria.

 
Vale a pena comprar pneus usados? Conheça a opinião de um especialista
Fique a saber se vale a pena comprar pneus usados

Está a precisar de trocar os pneus do seu carro e pondera comprar pneus usados? Será que vale a pena pagar menos, quando se trata um dos componentes mais relevantes para a segurança do seu automóvel? Tendo em conta que os pneus carecas têm menor aderência em piso seco, até que ponto haverá garantias de que os pneus usados nos oferecem segurança na condução? Conheça a opinião dos especialistas nesta matéria e saiba se deve ou não comprar pneus em segunda mão.

Vale a pena comprar pneus usados? Saiba o que diz a DECO


Sabemos que, por vezes, comprar artigos em segunda mão e usados é quase a mesma coisa do que os comprar novos, apenas muda o preço, que pode tornar a sua estratégia de compra/venda mais atrativa e acessível nas suas contas poupança. Contudo, será que esta linha de pensamento se pode aplicar também no caso da aquisição de pneus usados?

A DECO (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor) tem vindo a realizar diversos estudos sobre esta temática e a conclusão tem vindo a revelar-se com resultados sempre muito semelhantes, edição após edição. Fique a saber tudo.

pneus usados ou novos

Estudo sobre venda de pneus usados (2016)

Num estudo de 2016 sobre a fiabilidade e segurança dos pneus usados, a DECO encontrou problemas em 6 pneus, de um total de 42 pneus analisados, concluindo ser “urgente regulamentar este setor para garantir a máxima segurança e a proteção económica dos consumidores”. Pior do que estes resultados, foram mesmo os resultados do estudo anterior, de 2015.

Em 2016, a DECO visitou 21 lojas que vendem pneus usados e repetiu a visita a 19 das que, em 2015, haviam apresentado os piores resultados em Lisboa e no Porto, no que toca à qualidade dos pneus usados à venda.

Os resultados de laboratório continuaram a ser alarmantes, mesmo que em menor escala do que em 2015. As mesmas análises foram postas a teste e 6 dos 42 pneus analisados mostraram não serem seguros sequer para estarem à venda, sendo que “4 apresentavam remendos laterais, 1 tinha a tela metálica do aro do talão à vista e outro tinha a profundidade do piso inferior a 1,6 mm (o mínimo legal).”

Todos estes defeitos encontrados demonstram bem a opinião dos especialistas a qual, em suma, se resume ao facto de que, poupar uns “trocos” em pneus usados, pode sim comprometer a segurança nas estradas e a dinâmica do automóvel, havendo um risco associado à sua utilização. Porém, para que fique mais ciente dos problemas inerentes à compra e utilização de pneus usados, revelamos ainda os resultados do estudo de 2015 da DECO sobre a venda de pneus usados.

Estudo sobre venda de pneus usados (2015)

Conforme supramencionado, os resultados do estudo da DECO sobre a venda de pneus usados, efetuado em 2015, revelou resultados preocupantes.

Em 2015, a DECO adquiriu 89 pneus usados e encontrou problemas em 50 destes, o que se transcreve em 56% de pneus que não deveriam sequer ser comercializados. Imagine o perigo que um cidadão comum comete quando compra um destes 50 pneus com falhas que colocam em causa a sua segurança, das pessoas a bordo, bem como de todos os que circulem na mesma estrada que ele.

Destes 50 pneus defeituosos, 18 apresentavam ter menos de 1,6 mm de profundidade de piso – limite mínimo permitido por lei. “Só” este fator pode custar-lhe uma multa por pneus carecas.

Dos 50, 17 pneus usados tinham idade superior a 10 anos; 11 deles eram pneus de inverno; e 5 continham rasgões e/ou remendos laterais.

Os problemas em mãos não eram poucos e incluíam furos não reparados, remendos, rasgões, profundidades desiguais e muitos outros defeitos. Muito preocupante foi também encontrar 17 pneus usados com idade superior a 10 anos, sendo que um deles chegava mesmo a ter, em totalidade, 19 anos de utilização.

De todos estes resultados comprometedores da segurança rodoviária, a DECO pôde concluir que a compra de pneus usados pode ser bem arriscada, sendo que o consumidor adquire algo sem conhecer a qualidade real da sua compra.

O que diz a legislação?

A DECO penaliza, igualmente, a falta de regulamentação no que concerne à venda de pneus usados, afirmando que “enquanto não houver regras claras com os requisitos que os pneus usados devem respeitar para estarem à venda, o consumidor continuará sem qualquer garantia de que está a adquirir um produto seguro. Por muito apetecível que o preço seja, é sempre mais seguro optar por pneus novos”.

Como o mercado da venda de pneus usados tem vindo a crescer nos últimos anos, torna-se ainda mais urgente e crucial que haja regulamentação que defina as condições do exercício desta atividade, bem como a criação de um plano detalhado sobre a análise concreta das condições, qualidade e segurança dos pneus usados vendidos.

A título de curiosidade, a DECO, em conjunto com a ACAP (Associação Automóvel de Portugal), irá elaborar um documento com as devidas entidades ligadas ao setor automóvel, para apresentarem posteriormente ao Governo. Esperemos que este protocolo seja enunciado e colocado em prática o mais rapidamente possível.

Como poupar na compra de pneus novos

Visto que comprar pneus usados se pode tornar num exercício exaustivo de análise entre a relação preço/qualidade, a DECO sugere aos seus consumidores que adquiram pneus novos, podendo fazer uma comparação com resultados de uma análise efetuada e, assim, encontrar a loja mais barata perto de si. A poupança pode rondar os 130€ e vale a pena ser vigilante.

Veja também: