Publicidade:

4 sintomas de embraiagem queimada

Conheça os sintomas de embraiagem queimada. O problema pode ser sério, por isso é melhor estar atento e resolvê-lo o quanto antes.

4 sintomas de embraiagem queimada
Quando a ida à oficina é obrigatória

A embraiagem de um automóvel é responsável pela conexão do motor à caixa de velocidades mas é também uma das peças de maior desgaste ao longo da vida do veículo. Como tal, a seu tempo acabará por ser substituída, o que normalmente acontece entre os 120.000 km e os 180.000 km. Conheça aqui alguns dos sintomas de embraiagem queimada.

Sintomas de embraiagem queimada

sintomas-de-embraiagem-queimada

1. Pedal rígido e dificuldade em trocar de mudança

Se em andamento sentir o pedal da embraiagem mais rígido do que o habitual, isso poderá querer dizer que a mesma está danificada. Outro dos sintomas de embraiagem queimada é quando troca de mudança e sente alguma resistência. Por norma, este sintoma acontece quando se troca a primeira ou a marcha atrás.

2. Embraiagem faz ruídos ou patina

Quando a embraiagem começa a fazer ruídos ou a patinar numa subida, o que retira força à viatura, isso significa que tem a embraiagem queimada ou desgastada. É também nesta altura que surge um cheiro a amianto queimado proveniente do disco da embraiagem, que se sente dentro e fora do veículo.

3. Carro a tremer

Conforme se aumenta de velocidade, o carro treme. Isto pode significar que o prato ou o disco de embraiagem está desgastado ou queimado.

4. Rotações altas

Se está a conduzir a uma velocidade fixa e começa a reparar que as rotações do motor estão demasiado elevadas, está perante mais um dos sintomas de embraiagem queimada.

Saiba como prolongar a vida útil da embraiagem

A embraiagem é um dos componentes mais importantes na mecânica de um automóvel com caixa de velocidades manual. No entanto, esta é também uma das peças que mais se desgasta, uma vez que o condutor está constantemente a utilizá-la. Para que a vida útil da embraiagem seja prolongada pode optar por adotar um estilo de condução correto.

Alguns condutores recorrem ao uso de mudanças mais altas – como a 5ª ou 6ª mudança – mesmo quando circulam a velocidade baixa e ainda adotam reduções bruscas de velocidade. Este tipo de condução deve ser evitado pois pode levar a uma embraiagem queimada ou a um desgaste ainda mais rápido.

Outro hábito negativo que deve evitar é conduzir com o pé em cima do pedal da embraiagem, pois pressiona as molas e o disco não fica ligado de forma correta com o volante do motor. Esta situação pode levar a um aquecimento do disco bem como à perda de eficiência. Por último, deve aprender a dominar o ponto de embraiagem numa subida, podendo para tal recorrer à utilização do travão de mão.

Veja também: