Tatiana Carvalho
Tatiana Carvalho
04 Nov, 2021 - 15:30

Alzheimer e demência: entenda as diferenças

Tatiana Carvalho

Saber um pouco mais sobre a diferença entre Alzheimer e demência ajuda a evitar estigmas e o diagnóstico tardio.

exame ao cérebro

É comum pensar que a diferença entre Alzheimer e demência é apenas uma questão de nomenclatura: dois termos distintos que têm o mesmo significado.

Segundo a Associação Portuguesa de familiares e amigos dos doentes de Alzheimer, demência é um termo abrangente, utilizado para descrever um conjunto de sintomas que afetam as habilidades cognitivas, como a memória e a capacidade de comunicar. A doença de Alzheimer é uma das enfermidades advindas da demência.

Porque é tão importante aprender a diferença entre Alzheimer e Demência?

Entender a diferença entre os termos ajuda não só a reduzir o estigma e o preconceito com a doença, como também auxilia no diagnóstico precoce, o que facilita o tratamento.

Existe hoje em Portugal um movimento de valorização dos clínicos gerais no diagnóstico correto e precoce de doenças como o Alzheimer, assim como a formação e instrução de cuidadores especializados. Ambas as ações visam a inclusão dos pacientes e dos seus familiares que podem contar com uma rede de apoio mais estruturada.

Diferença entre Alzheimer e Demência

atendimento médico

Demência

A demência não é uma doença, mas sim uma palavra usada para definir um conjunto de sintomas que ocorre quando as células do cérebro param de funcionar de maneira adequada.

Por sua vez, o Alzheimer é um dos tipos mais comuns de demência: estima-se que dois a cada três casos de demência sejam a doença de Alzheimer.

Outros tipos de demência incluem ainda: demência vascular, doença de Parkinson, demência de Corpos de Lewy e a demência frontotemporal.

Os sintomas mais comuns de demência:

  • perda de memória;
  • problemas de linguagem;
  • desorientação;
  • alterações de humor e comportamento;
  • esquecimento constante de onde estão objetos de uso quotidiano;
  • dificuldade para executar atividades domésticas.

Alzheimer

A doença, que afeta o cérebro, representa aproximadamente 60% dos casos de demência, o que torna mais fácil a confusão do diagnóstico correto.

Apesar de já terem sido documentados casos de Alzheimer precoce, em pessoas jovens, o mais comum é a que a doença afete pessoas com idade a partir dos 65 anos.

Classificada como uma doença neurodegenerativa, o Alzheimer ocorre devido ao aparecimento de placas senis e tranças fibrilares que dificultam e impossibilitam a comunicação entre as células do sistema nervoso. Com isto, o cérebro acaba por deteriorar-se ao longo do tempo.

Os sintomas mais comuns da doença de Alzheimer:

  • esquecimento de nomes, rostos e eventos recentes;
  • repetição, num curto espaço de tempo, de perguntas e histórias;
  • problemas para encontrar as palavras certas;
  • ansiedade, irritabilidade, baixa autoestima e pouco interesse por eventos sociais.
Veja também