Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
25 Ago, 2020 - 15:00

Feira do Livro de Lisboa: acesso limitado, a ambição de sempre

Mónica Carvalho

A Feira do Livro está no Parque Eduardo VII, espaço onde marcará presença até 13 de setembro. Oportunidade para comprar os livros que sempre desejou.

Local da feira do Livro de Lisboa

A 90.ª edição da Feira do Livro de Lisboa estaciona, mais uma vez, no Parque Eduardo VII e durante 18 dias os livros vão voltar a encher o espaço através de centenas de marcas editoriais. Todas com o mesmo objetivo: promover o livro e os hábitos de leitura de toda a família.

Este ano, fruto da pandemia, há novas regras para segurança de todos: a lotação máxima da feira é de 3.300 visitantes em simultâneo, de acordo com afirmações do secretário-geral da APEL, Bruno Pires Pacheco.

Além disso, há sinalética na entrada e em vários pontos do interior com as recomendações fundamentais da DGS: higienização das mãos, sendo que existem dispensadores com solução antisséptica para o efeito ao longo do parque; utilização de máscara; recomendação de cumprimento do distanciamento físico e da etiqueta respiratória.

Todos os funcionários do espaço estão, igualmente, a utilizar equipamento de proteção individual e os diferentes locais são limpos e desinfetados várias vezes ao longo do dia, com especial enfoque na zona onde irão decorrer as sessões de autógrafos. Nestes locais, deverá ser respeitada uma distância mínima entre autor e leitores, e, ao contrário de anos anteriores, os leitores não vão poder levar de casa livros para serem autografados, apensa poderão ser autografados livros comprados no dia da sessão de autógrafos na Feira do Livro.

Para evitar aglomeração de pessoas, as filas estarão delimitadas no acesso aos balcões de pagamento e será eliminada a zona de lazer dedicada às crianças.

Apresentações em três auditórios e praças para sessões de autógrafos

Feira do Livro de Lisboa

Nesta edição, para facilitar a deslocação de pessoa, a organização retirou “todos os equipamentos não essenciais”, bem como diminuiu a área de restauração, privilegiando o chamado consumo em movimento.

Nesse sentido, os locais para apresentação de livros também sofreram alterações: este ano existem três auditórios, dois dos quais são novos: Auditórios Sul, Poente e Nascente, que estão sujeitos a um número máximo de espectadores sentados — 48 no caso do primeiro e 24 nos restantes dois e com um limite de duração de 45 minutos.

Por sua vez, haverá quatro praças disponíveis apenas para sessões de autógrafos, não havendo lugares de plateia, mas sem limite de tempo para a sua duração.

Os eventos de show cooking foram cancelados.

O que não pode perder da 90ª Feira do Livro de Lisboa

Todas estas restrições por conta da pandemia por COVID-19 levaram, então, a que muitas editoras optassem por não fazer as habituais apresentações e lançamentos de livros, mantendo-se apenas as sessões de autógrafos, com apertadas regras de prevenção.

Ainda assim, João Tordo, Luísa Frazão, Adélia Carvalho, Sérgio Condeço, Carmen Ferreira, Ana Luísa Matos, António Lameira, Sidónio Faria e Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente são apenas alguns dos muitos autores e figuras públicas que vão marcar presença no evento. Poderá consultar aqui toda a programação.

Se visitar a Feira do Livro de Lisboa, não perca também a Hora H, um momento incontornável na Feira do Livro de Lisboa e a oportunidade única de ter acesso a livros com descontos mínimos de 50% em títulos publicados há mais de 18 meses. A Hora H funciona de segunda a quinta-feira, a partir de 31 de agosto, na última hora da Feira, ou seja, entre as 21h00 e as 22h00. A adesão é facultativa, pelo que deve consultar a lista de expositores aderentes.

A Feira do Livro irá funcionar de segunda a quinta-feira, das 12h30 às 22h; sexta-feira, das 12h30 às 00h00; sábado das 11h às 00h; e domingo das 11h às 22h.

Veja também