Publicidade:

Língua portuguesa integrada no programa de bolsas de estudo dos EUA

Cerca de 18 mil alunos estudam língua portuguesa nos EUA, que agora faz parte do programa de bolsas de estudo do país. Língua é "relevante" para a economia.

Língua portuguesa integrada no programa de bolsas de estudo dos EUA
Do ensino elementar ao universitário

A língua portuguesa foi integrada no programa de bolsas de estudo dos Estados Unidos, o que permitirá alargar o número de estudantes de português no sistema de ensino norte-americano e também possibilitar que muitos possam estudar em Portugal.

O anúncio da integração do português no programa norte-americano de bolsas de estudo foi realizado na conferência Palcus – Portuguese American Leadrship Council, em Washington, no fim de semana, na qual não só se discutiu o ensino de português como outros assuntos diretamente relacionados com as comunidades portuguesas.

Língua portuguesa preenche requisito de ‘língua relevante’ para os EUA


Um responsável do programa norte-americano revelou a inclusão do português no conjunto de 15 línguas estrangeiras no sistema educativo, desde o ensino elementar até ao universitário, depois de a secretária de Estado da Educação norte-americana, Betsy DeVos, ter decretado o português como Língua Crítica dos Estados Unidos.

DeVos considerou que o idioma português preenche o requisito de língua relevante para o desenvolvimento económico dos Estados Unidos.

Paulo de Jesus Martins, conselheiro da comunidade portuguesa de Nova Inglaterra (região da ponta nordeste dos Estados Unidos que congrega os Estados de Connecticut, Maine, Massachusetts, New Hampshire, Rhode Island e Vermont), assinalou a importância de se ter considerado o português como Língua Crítica.

“A integração como Língua Crítica revela que o português está a ter uma maior dimensão”, referiu Paulo de Jesus Martins, aludindo ao facto de a integração da língua de Camões no programa norte-americano “dá a possibilidade de dar uma maior visibilidade ao português”.

Paulo de Jesus Martins esclareceu que “os futuros estudantes têm a possibilidade de aplicarem em bolsas de estudo ou fundos distribuídos pelo departamento federal em programas de português, tanto a nível secundário como de licenciatura”.

10 milhões de alunos nos EUA estudam línguas estrangeiras, 18 mil aprendem o português

“Há cerca de 10 milhões de estudantes nos Estados Unidos, desde o pré-escolar até ao 12.º ano, a estudarem línguas estrangeiras, um universo bastante grande”, declarou o conselheiro do Conselho das Comunidades Portuguesas (CCP), acrescentando que o ensino de português “pode crescer”.

Atualmente, Paulo de Jesus Martins revelou que existem “18 mil estudantes de português nos Estados Unidos”, distribuídos pelo ensino público norte-americano e pelas escolas comunitárias, especialmente vocacionadas para o ensino da língua de herança a descendentes de portugueses.

Um total de 386 professores lecionam 658 cursos de língua portuguesa em 161 escolas norte-americanas, não só nos ensinos básico e secundário, mas “abrangendo também o universitário”.

O conselheiro tem a perspetiva que o número de estudantes de português no futuro possa aumentar com a inclusão do idioma de Língua Crítica, porém sublinhou a necessidade de “se trabalhar um pouco mais”, com o acréscimo “de memorandos de entendimento com alguns Estados norte-americanos”.

“Tem de haver mais investimento para poder integrar o ensino de português em mais escolas públicas, nos liceus. Onde haja mais representação portuguesa seria mais fácil e acessível, mas não podemos deixar os falantes lusófonos, os brasileiros, os cabo-verdianos e outras comunidades”, acentuou Paulo de Jesus Martins.

Veja também: