ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
23 Nov, 2020 - 14:36

Um elétrico chamado Renault Le 5 Concept

Valdemar Jorge

Le 5 Concept é a proposta do italiano Marco Maltese, numa sugestão para a marca francesa ressuscitar, em modo elétrico, um dos seus ícones: o Renault 5.

renault 5 design modelo elétrico

Às vezes, como diz o povo, falta um empurrãozinho para que as coisas aconteçam. Poderia, então, pensar-se que o designer italiano Marco Maltese, apaixonado pelo mítico Renault 5, está a dar o “tal empurrãozinho” para que a marca francesa ressuscite este modelo, bem sucedido citadino.

Este modelo, que de 1972 a 1996 esbanjou charme pela Europa fora, em cerca de um quarto de século, só conheceu duas gerações: 1972-1984 (5.580.000 exemplares vendidos) e 1984-1996 (esta dividida em duas fases 1984-1987 e 1987-1996, com 3.436.650 de unidades comercializadas).

Agora, poderá voltar numa versão mais moderna e adaptada às exigências do novo paradigma de mobilidade, movido por propulsor elétrico.

Design arrojado mas que respeita a identidade do R5

Neste estudo independente denominado Renault Le 5 Concept pelo designer italiano, que rapidamente se tornou viral na Internet, é visível o respeito pelas linhas simples, mas bem conseguidas, do modelo original, desenhado por Michel Boué, sendo que na traseira é rapidamente identificável o design do musculado R5 Turbo, que tantos fãs conquistou.

De resto, Marco Maltese, foi buscar inspiração aos elementos mais fortes de estilo do Mégane eVision Concept que a marca francesa apresentou recentemente.

Inegável é a beleza das linhas que propõe para o ressuscitar de um modelo compacto citadino cujo original, em 1972, trouxe para as cidades uma lufada de “ar fresco” pela revolução que implementou, nomeadamente, com a apresentação de para-choques em fibra de vidro e amplo portão traseiro para acesso à bagageira.

renault 5 design modelo elétrico

Marca francesa pensou num R5 elétrico em 1971

A ideia de um modelo Renault 5 elétrico não é totalmente nova. Se Marco Maltese inova no design e na proposta sugerida, que estará a criar uma corrente de adeptos na Internet, a verdade é que a Renault, ainda antes do lançamento do R5 em 1972, divulgava em 1971, em parceria com a EdF, um estudo para um R5 elétrico.

Um compacto vocacionado para as cidades, com velocidade máxima de 80 km/h e que, com baterias leves de chumbo, tinha um alcance de até 110 km. Ainda no Salão Retromobile de 2012 a marca do losango mostrou um elegante R5 elétrico, datado de 1973, em tom azul claro.

Assim, pode inferir-se que a possibilidade de criar um Renault 5 elétrico nunca foi descartada. Talvez a época não fosse a mais indicada, ou não fizesse sentido na década de 70 apresentar um modelo com aquelas caraterísticas.

Contudo, atualmente o paradigma está a mudar, com propostas elétricas a surgirem quase todos os dias. O tão desejado Renault 5 elétrico, poderá ser um delas. Não sabemos, mas o futuro nos dirá.

Renault 5 e Super 5: sucesso retumbante na Europa e líder de vendas em Portugal

O Renault 5 foi produzido pela marca francesa de 1972 a 1996 e conheceu, como já referimos, duas gerações, sendo a segunda dividida em duas fases de comercialização.

Ora, o modelo compacto, vocacionado para as cidades, foi adotado pelas pequenas famílias dos anos 70 e 80, que almejavam ter um automóvel para as suas deslocações de trabalho. Mais ainda, este servia, igaulemente, para os passeios de lazer.

Assim, confirma-se que o Renault 5 conheceu um enorme êxito de vendas na Europa e não só.

Em Portugal este compacto foi líder incontestado de vendas. Os rivais diretos eram o Citröen AX, o Ford Fiesta, Opel Corsa, Peugeot 205 e o Rover Metro.

Êxito levou ao lançamento do “pocket rocket” Renault 5 Turbo

A dinamização das vendas do citadino francês passou também pelo desenvolvimento e comercialização do musculado Renault 5 Turbo, em 1980. Com motor central 1.4 litros, que debitava 160 cv, o modelo foi projetado para a competição, onde conquistou milhares de fãs por esse mundo fora.

Para além disso, obteve ainda um lugar entre os denominados “pocket rocket”, muito devido à sua performance. A marca francesa apresentou-o no Salão Automóvel de Bruxelas, em janeiro de 1980. No seu “B.I.” constava 0-100 km/h em 8 segundos e a velocidade máxima a superar os 200 km/h.

Mais ainda, o Renault 5 Turbo conquistou várias vitórias no início dos anos 80 em provas do WRC em França, Suíça, Hungria e Espanha.

Joaquim Moutinho e Edgar Fortes brilharam com Renault 5 Turbo

No contexto desportivo e, em Portugal, o Renault 5 Turbo, conheceu inegável sucesso com os resultados obtidos pela equipa Renault Gest Galp com Joaquim Moutinho ao volante navegado por Edgar Fortes.

O lançamento do Troféu Monomarca, em ralis e corridas de velocidade, elevou o sucesso do modelo Super 5, com a criação da versão 5 GT Turbo.

Para além disso, ainda no capítulo desportivo, não pode ser esquecida a versão Renault 5 Alpine. O primeiro exemplar foi mostrado ao mundo no Salão Automóvel de Genebra em março de 1976.

A este seguiram-se uma série de outros modelos desportivos, que acompanharam os lançamentos dos modelos de série da marca francesa. Recorde-se que no desporto a versão Alpine do R5 destacou-se em várias provas do Campeonato Mundial de Ralis, nomeadamente com pilotos como Jean Ragnotti, Guy Fréquelin ou Alain Coppier.

Atualmente, o Renault 5 praticamente desapareceu das nossas estradas. Porventura, é possível ver a elegância das suas linhas nos encontros de clubes dedicados ao modelo. O ressurgir da sigla R5 no “mundo” dos automóveis elétricos poderá ser uma realidade!

A proposta está aí, lançada pelo designer italiano. Resta saber se a marca francesa estará disposta a apostar “fichas” nesta “jogada”. A verdade é que tem estado a reforçar o seu portfólio de modelos com propostas elétricas e eletrificadas. Será que o ícone R5 estará na lista?

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].