Publicidade:

Como pagar menos juros no cartão de crédito

Saiba como pagar menos juros no cartão de crédito ao ler as dicas partilhadas neste artigo. Há quem já tenha conseguido reduzir os juros para metade.

Como pagar menos juros no cartão de crédito
Negoceie com o seu banco o valor dos juros associados ao seu cartão

Quer aprender como pagar menos juros no cartão de crédito de forma simples e eficaz? Conheça algumas dicas para alcançar com sucesso este objetivo, que lhe permitirá assim poupar algum dinheiro ao longo do ano.

Como pagar menos juros no cartão de crédito

como pagar menos juros no cartão de crédito

Os juros máximos que os bancos podem cobrar nos cartões de crédito têm vindo a baixar. Em 2017, o limite máximo de juros baixou para 16,7%, segundo as novas orientações do Banco de Portugal, e sabe-se agora que este ano, 2018, o limite máximo para as taxas de juro que os bancos poderão exigir estarão limitados a 15,9%, uma medida que entra em vigor no próximo trimestre.

No entanto, esta percentagem só é aplicável a novos clientes que queiram ter um cartão de crédito, uma vez que as taxas de juros dos antigos clientes do banco podem chegar aos 30%. Há quem necessite de baixar esta percentagem para poder usar o dinheiro que poderia poupar aí noutras despesas e assim equilibrar o orçamento mensal. Mas como pagar menos juros no cartão de crédito? A única forma de o fazer é negociar com o seu banco.

Apesar de parecer uma tarefa um pouco complicada para quem não tem muito jeito para negociações, existem algumas dicas que poderão ajudar bastante nestas situações e que geralmente costumam resultar. Até há quem já tenha conseguido baixar a taxa quase para metade ao colocá-las em prática. Por isso, se for um daqueles clientes que tem o mesmo cartão há vários anos e nunca alteraram as condições contratadas, esta é uma boa altura para tentar mudar isso.

4 dicas para pagar menos juros no cartão de crédito

como-pagar-menos-juros-no-cartao-de-credito

1. Contacte o seu banco

Pode negociar com o seu banco por telefone, através do apoio ao cliente, ou então pessoalmente. Caso tenha um gestor de conta, opte por falar com ele. Exponha os seus argumentos de forma clara e direta, e seja paciente e persistente durante este processo de negociação.

2. Saiba quanto está a pagar pelo seu cartão

Se não sabe ao certo qual é a taxa de juro associada ao seu cartão de crédito, esta será uma boa altura para obter a informação. Caso lhe digam que paga entre 20% a 30%, poderá argumentar que está a pagar muito mais do que é permitido atualmente.

3. Demonstre confiança

Faça as perguntas num tom seguro e direto, mas sempre educado. Uma das questões que pode colocar é que valor pagaria nos juros do cartão de crédito se fosse um novo cliente. Não se esqueça de que no ano passado, em 2017, os bancos deixaram de poder cobrar acima dos 16,7% para os novos clientes.

4. Peça para ter as mesmas condições que um novo cliente

Se é cliente há vários anos do seu banco atual e sempre foi cumpridor, porque não recompensarem-lhe por isso ao igualarem as suas condições às dos novos clientes?

O que fazer após a negociação?

Depois de ter feito as suas questões e exposto os seus argumentos, irá saber se conseguiu alcançar o objetivo de ver reduzidos os juros no seu cartão. Cada instituição bancária tem as suas condições, podendo algumas delas ser mais flexíveis e outras não, argumentando estas últimas que as condições contratadas inicialmente não podem ser alteradas agora. Há também quem possa aceitar logo os seus argumentos e quem possa pedir para avaliar a sua situação em particular.

Se não lhe forem apresentadas alternativas para pagar menos taxas de juros e se recusar continuar a pagar o valor atual, terá de pensar em mudar de banco. No entanto, veja esta medida como a última opção. A penúltima é ameaçar rescindir o contrato que tem com o banco atual. A instituição em causa poderá assim pensar melhor e acabar por preferir baixar as taxas de juros do cartão de crédito em vez de perder um cliente.

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.