Publicidade:

Doenças oculares nas crianças: conheça as patologias mais comuns

As doenças oculares nas crianças são uma realidade com alguma incidência junto da nossa população. A deteção precoce pode ser um grande aliado.

Doenças oculares nas crianças: conheça as patologias mais comuns
Erros refrativos estão entre as patologias mais frequentes

A infância é o período de maior desenvolvimento de qualquer pessoa. Desde o nascimento até cerca dos 12 anos de idade, o nosso organismo cresce e evolui exponencialmente. Naturalmente que os olhos e a visão, como parte do corpo humano, acompanham esse mesmo desenvolvimento e as doenças oculares nas crianças são uma realidade.

A investigação concluiu que cerca de 90% do desenvolvimento da visão acontece até aos 2 anos idade de um indivíduo. O que significa que essa é uma excelente altura para realizar um rastreio visual.

O acompanhamento, desde cedo, por um oftalmologista permite detetar alterações no desenvolvimento esperado a cada idade, bem como diagnosticar patologias, o mais precocemente possível. Fique, agora, a conhecer as doenças oculares nas crianças que são mais comuns entre esta população.

Doenças oculares nas crianças e jovens a que deve estar atento


doencas oculares nas criancas

Erros refrativos

Todos os seres humanos nascem hipermetropes, pois o globo ocular ainda não atingiu o seu tamanho final. Com o passar do tempo, o globo ocular cresce e essa fase é ultrapassado, podendo nessa altura sim surgirem problemas como miopia, astigmatismo ou, até, novamente a hipermetropia (mas desta feita já não pelo globo ocular não ter atingido o seu tamanho final).

Sendo os erros refrativos as doenças oculares mais frequentes na infância, resta perceber como elas podem ser diagnosticadas nos mais novos. Um dos principais obstáculos a deteção precoce deste problema é o facto da maior parte das crianças não apresentar queixas, relativamente à sua visão. Daí, ser importante estar atento a alguns sintomas relacionáveis como aproximar-se muito dos objetos, ter dores de cabeça ou fechar ligeiramente os olhos para conseguir focar uma imagem.

Além disso, os rastreios visuais devem ser feitos o mais cedo possível, de preferência por volta dos 2 anos de idade, pelo que consultar um oftalmologista pediátrico é uma boa sugestão.

Leucocoria

O exame oftalmológico realizado após o nascimento serve, precisamente, para despistar este problema que não é mais do que lesões que acontecem posteriormente à pupila e se carateriza por um reflexo branco na pupila.

Esta doença ocular impede a entrada correta da luz, atrasando o desenvolvimento das vias óticas, podendo até provocando o seu atrofiamento. Esta patologia pode ser causada por catarata, alterações no humor vítreo ou por doenças com origem na retina.

Retinoblastoma

O retinoblastoma é o tumor ocular mais comum nas crianças e, também, é o mais grave. Trata-se de uma alteração das células da retina e é altamente maligno. Quanto mais precocemente for detetado, maior o sucesso do seu tratamento, mais são as possibilidades de cura e, claro, de preservação dos olhos e da visão da criança.

Catarata congénita ou infantil

Embora normalmente associada a uma população mais idosa, a catarata pode surgir em crianças e jovens. Nestes casos, ela pode ser congénita, sendo a forma considerada mais grave, já que pode prejudicar e mesmo comprometer o desenvolvimento da visão para toda a vida.

Esta é outra das doenças oculares mais comuns em crianças e é responsável por 10% das situações de cegueira infantil. Mais uma vez, um diagnóstico precoce contribui para a eficácia do tratamento e para evitar o desenvolvimento da doença que culmina, quase sempre, em cegueira.

Rastreio visual gratuito para crianças de 2 e 4 anos


doencas oculares nas criancas

A Administração Regional de Saúde do Norte realiza um rastreio de saúde visual infantil a todas as crianças com 2 anos de idade (repetindo-o aos 4 anos de idade). O rastreio consiste na realização de um exame de foto-rastreio aos olhos da criança (com duração de 1 a 2 minutos), utilizando uma tecnologia capaz de identificar alguns fatores de risco, no que respeita a algumas doenças oculares nas crianças.

Qual a importância deste rastreio?

A deteção precoce de qualquer problema de visão permite uma mais fácil correção do mesmo e uma melhoria geral da visão da criança, o que se repercute não só no seu dia-a-dia, como na sua vida futura. Através deste rastreio é possível detetar doenças oculares, tais como:

  • Ambliopia;
  • Estrabismo;
  • Miopia;
  • Hipermetropia;
  • Astigmatismo;
  • Catarata Congénita/Infantil.

Para saber mais, visite o site da ARS Norte.

Veja também: