Publicidade:

4 estratégias para ensinar adolescentes a poupar

Ensinar adolescentes a poupar tem tanto de importante como de difícil. Reunimos algumas dicas para o ajudar a cumprir o seu papel.

4 estratégias para ensinar adolescentes a poupar
Ensine-os desde o primeiro dia

Em casas onde vivem jovens, o discurso é sempre o mesmo: é preciso ensinar os adolescentes a poupar, porque eles são os adultos de amanhã e têm de aprender a gerir bem o dinheiro. Mas como?

Antes de mais, muitas vezes, lidar com adolescentes já é, de si, uma tarefa bem complicada. Com todas as alterações hormonais, formação da personalidade e rebeldia própria daquela fase, os adolescentes não são propriamente exemplares na arte de ouvir os conselhos dos pais, pelo que uma boa conversa sobre finanças dificilmente vai dar grandes frutos.

A solução passa, então, por mostrar aos mais jovens que poupar é uma estratégia que os beneficia a eles em primeiro lugar – até porque, nesta altura da vida, eles centram-se sobretudo neles próprios. Para isso, o ideal é dar-lhes a experimentar.

Se tem filhos e veio à procura de estratégias para ensinar adolescentes a poupar, esteja, desde já, preparado para arriscar. Sim, vai arriscar. Dar dinheiro a um adolescente é um ato de confiança, vai precisar de o fazer para saber o que o seu filho faz com ele. O dinheiro pode acabar gasto em pastilhas elásticas? Pode. Pode acabar esgotado numa tarde de bilhar com os amigos? Pode. Mas também pode acabar acumulado num bolso poupadinho. Só há uma forma de saber: arriscar e ver no que dá.

No entanto, nem todas as estratégias de poupança passam por dar aos seus filhos um maço de notas. Há formas de lhes ensinar a poupar sem envolver dinheiro, por isso, se não está totalmente confiante ou os adolescentes que tem em casa ainda são muito novos, pode começar por aí. Nós também vamos começar a lista pelas dicas mais simples.

Como ensinar adolescentes a poupar


ensinar adolescentes a poupar

1. Racionar os alimentos favoritos

Claro que não vai cortar para metade a quantidade de bifes, mas é importante que os jovens entendam que poupar não é só guardar dinheiro, também é saber gerir os bens do dia-a-dia. Se o seu filho adora bolachas, compre a quantidade certa para um mês e deixe-o geri-la como quiser.

O importante nesta estratégia é que, dê por onde der, não pode mesmo comprar mais do que aquela dose. A ideia é que o adolescente entenda que, se comer tudo nos primeiros dias, não terá mais até ao mês seguinte. Com o tempo vai ver que ele aprende a gerir melhor o consumo e vai comer menos hoje para poder ter amanhã.

Ensinar adolescentes a poupar é isto: um dia é só trocar as bolachas pelo dinheiro da mesada e ele vai, instintivamente, aplicar os mesmos princípios.

2. “Subsidiar” uma atividade às prestações

Parece um conceito complicado, mas não é: todos os adolescentes gostam de ir uma festa, a um concerto, a um festival de vez em quando. Como não trabalham, já se sabe quem paga: os pais.

A ideia não é que deixe de pagar estas atividades, mas que comece a pagá-las em prestações. Divida o total do dinheiro em 12 mensalidades e vá entregando ao seu filho, dizendo claramente para que fim se destinam. A partir daí, ele vai ter de fazer uma escolha: ou guarda o dinheiro até ao fim, ou gasta já noutras coisas e perde a oportunidade de ir ao evento.

Ensinar adolescentes a poupar também é ensinar-lhes que a poupança é uma escolha – muitas vezes difícil de fazer. Se eles aprenderem a escolher desde cedo, desenvolvem uma maior capacidade de fazer escolhas inteligentes (e às vezes criativas!).

3. Dar folga na mesada

Entregar uma quantia boa de dinheiro no início do mês e dizer que é tudo o que ele tem até ao mês seguinte é das melhores formas de ensinar um adolescente a poupar. É óbvio que ele vai querer coisas para além dos lanches na escola – e pode ter dinheiro para isso, basta que poupe o excesso da mesada que recebe.

Aqui assumimos o tal risco: ninguém lhe garante que o seu filho vai guardar o excesso da mesada em vez de passar umas tardes na esplanada a comer gelados, mas também só vai descobrir se lhe der a oportunidade de mostrar o que sabe fazer. Faça-o entender que, desde que recebe a mesada, não pode pedir mais nada aos pais e que o dinheiro vai ter de dar para tudo. Ainda acaba surpreendido com a maturidade que os jovens podem mostrar.

4. Enviá-lo ao supermercado

Não é uma atividade que os adolescentes adorem, mas faz parte das tarefas da casa e um dia vai ser a rotina deles. Além disso, se lhe for dada uma roupagem de “missão impossível” ou de desafio, eles aceitam melhor.

Dê algum dinheiro ao seu filho e peça-lhe que vá ao supermercado comprar um conjunto de produtos. Propositadamente, dê-lhe uma quantia apertada de dinheiro ou, se preferir, desafie-o a gastar menos do que determinado valor. O tempo que ele passar no corredor a avaliar preços vai dar-lhe uma noção do quão diferentes eles podem ser mesmo entre produtos semelhantes, e esse é o primeiro passo para uma consciência financeira e uma boa poupança.

Ensinar adolescentes a poupar não é um trabalho fácil, mas pode ser muito gratificante e promove os laços com os pais – porque melhora a compreensão das restrições que os adultos impõem nos gastos. Se tem adolescentes em casa, invista numa boa educação financeira e em algumas conversas sobre a importância de poupar uma parte dos rendimentos: adolescentes bem ensinados serão adultos financeiramente confortáveis e, muito provavelmente, mais felizes.

Veja também:

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro e não é responsável pelos produtos apresentados. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se quiser sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].