Publicidade:

Descubra como acabar com o mau hálito

O mau hálito é uma condição que afeta muitas pessoas e pode ter inúmeras causas. Saiba como prevenir a halitose adotando simples hábitos diários.

Descubra como acabar com o mau hálito
Uma patologia com grande impacto na qualidade de vida

Halitose é o termo médico para o mau hálito, expressão mais usada para referir um hálito desagradável. Mas, quais são as suas causas e como prevenir? Saiba tudo sobre o assunto, de A a Z.

O que é a halitose?


A halitose é uma patologia muito frequente em todo o mundo e, em Portugal, estima-se que afete cerca de 49,5% da população. Diz respeito ao odor desagradável do ar expirado e a pessoa que apresenta mau hálito nem sempre se apercebe do problema.

Apesar de, por si só, a halitose não ter repercussões na saúde física, pode ser indicador de outra doença, bem como pode provocar um grande mal-estar psicológico e condicionar a socialização. Importa referir que o mau hálito matinal não é considerado patológico, pois é devido às alterações fisiológicas que ocorrem durante o sono, e tende a desaparecer pela manhã, após tomar o pequeno-almoço e fazer a higiene oral.

Quais as causas do mau-hálito


A halitose pode ser provocada por mais de 80 causas, e este é um dos maiores obstáculos ao tratamento para o mau hálito. Contudo, a grande maioria das causas têm origem na boca, ou seja, são provocadas por bactérias de origem oral (cáries; problemas de gengiva; não limpar a língua; dentes fraturados; próteses dentárias que não são bem limpas).

Mas existem também outros fatores que podem provocar a halitose, nomeadamente:

  • alimentação: alimentos ácidos, doces, cebola, alho e outros temperos fortes;
  • consumo de cafeína e bebidas alcoólicas;
  • tabagismo: diminui o fluxo da saliva, o paladar e irrita os tecidos gengivais;
  • boca seca: sem saliva suficiente a ação de limpeza oral fica comprometida: pode ser devida, por exemplo, a uma grande variedade de medicamentos e a problemas nas glândulas salivares;
  • problemas de saúde geral: por exemplo, o refluxo gastroesofágico e a sinusite podem afetar o hálito.

A presença de mau hálito indica que estamos perante uma atividade bacteriana anormal ou perante um mecanismo fisiológico alterado e identificar a origem tem uma grande importância no diagnóstico precoce de algumas doenças.

Como vimos, a halitose pode ser causado por inúmeras situações e pode ser um dos principais sintomas de que determinada patologia está presente. Portanto, é importante sensibilizar as pessoas acerca da halitose, para que cada um de nós seja capaz de a detetar, já que a ocorrência repetida de mau hálito é sinal de que algo não está bem.

 a grande maioria das causas de mau hálito têm origem na boca

Consequências psicológicas do mau hálito


Apesar de aparentemente inofensivo, o mau hálito pode ter um grande impacto ao nível da autoestima e da socialização da pessoa afetada. Apesar de poder existir alguma preocupação com a saúde física, a maioria das pessoas que sofrem de mau hálito mostra maior preocupação com as implicações sociais que esta condição pode ter.

Ter consciência de que se tem mau hálito pode ter consequências psicológicas e pode levar a adotar determinados comportamentos: tapar a boca ao falar; manter uma maior distância interpessoal; evitar as relações sociais. Mais ainda, ter mau hálito continua a ser um tema usado para todo o tipo de piadas, aumentando o estigma e fazendo com que as pessoas não falem abertamente sobre este assunto nem procurem ajuda para resolver a halitose.

Há tratamento para o mau hálito?


Felizmente a halitose pode ser tratada com êxito e, hoje em dia, é possível tratar quase a totalidade dos casos. Antes de iniciar o tratamento é essencial obter um diagnóstico e compreender qual a causa subjacente. Não existe um único tratamento para combater a halitose. O tratamento adequado será o mais atual e que mostre maior eficácia de acordo com a causa que desencadeou o mau hálito.

Escovar bem os dentes é fundamental

Como prevenir o mau hálito?

Na maioria dos casos, é fácil prevenir o mau hálito. Adote as medidas que listamos a seguir:

  • escovar bem os dentes, duas vezes ao dia ou, se puder, sempre que ingerir algum alimento;
  • escovar a língua, já que esta é o principal reservatório de bactérias causadoras de mau-hálito;
  • não usar próteses dentárias durante a noite e efetuar uma higiene e desinfeção correta das mesmas;
  • utilizar um elixir oral sem álcool para combater o mau hálito;
  • evitar alimentos ou bebidas causadoras de halitose;
  • não fumar;
  • beber muita água ao longo do dia;
  • realizar consultas regulares de estomatologia ou medicina dentária.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Além da Psicologia. é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que traga mais felicidade!