Publicidade:

Radares SINCRO: saiba a localização dos 50 postos de controlo

Fique a saber como funcionam os radares SINCRO e onde estão localizados os seus postos de controlo em todo o país. Confira a nossa lista e tome nota!

Radares SINCRO: saiba a localização dos 50 postos de controlo
Descubra onde estão as cabines dos radares SINCRO

Há mais de dois anos que foram instalados no nosso país os radares SINCRO, postos responsáveis pelo controlo do excesso de velocidade e que têm como finalidade principal a redução da sinistralidade rodoviária, levando os condutores a não ter um pé tão pesado, na hora de pisar o pedal do acelerador.

Desde a sua instalação, já foram registadas centenas de milhares de infrações e, atualmente, ser detetado pelos radares SINCRO não só dá “direito” a multa, como a uma perda de pontos na carta de condução. Por isso, fique a saber onde estão estes radares SINCRO e pratique sempre uma condução defensiva e dentro dos parâmetros legais em vigor.

Radares SINCRO: para que servem e como funcionam


radares na estrada

Os radares do novo Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO) foram instalados e postos em funcionamento em julho de 2016 e, desde aí, registaram mais de 400.000 infrações. Há 50 cabines, mas apenas 30 radares, o que significa que os mesmos vão circulando por entre as cabines, sem nunca se saber exatamente quais é que estão ativos.

Objetivo

O objetivo deste sistema é promover o cumprimento dos limites de velocidade legalmente estabelecidos e, consequentemente, combater as velocidades excessivas, através da fiscalização contínua e automática da velocidade de cada veículo. Estes radares são sinalizados com o sinal H43 – velocidade instantânea.

Como funcionam

A grande maioria dos radares, incluindo os SINCRO, funcionam através da emissão de ondas eletromagnéticas. Quando um carro passa pela área que está a ser varrida pela emissão de ondas, o sinal é interrompido. O tempo de interrupção do sinal é usado pelo aparelho para calcular a velocidade a que o automóvel está a circular.

Existem também radares que fazem as leituras de velocidade através de ondas laser (LIDAR). O mecanismo de funcionamento destes radares é o mesmo que o dos radares SINCRO, no entanto, estes são menos precisos do que os SINCRO. Apesar de terem um maior alcance em distância, a amplitude de um raio laser é menor que a amplitude das ondas eletromagnéticas, logo não sendo tão preciso na leitura da velocidade na totalidade das vias na autoestrada.

Limites de velocidade

Se acha que estes radares só disparam a partir de velocidades superiores a 120km/h, desengane-se! Cada um deles está programado de forma diferente, consoante a zona em que está instalado. Assim, em algumas áreas, os SINCRO podem acionar, caso se ultrapasse um limite como o de 70km/h, se for essa a barreira estabelecida na zona.

Multas

Se já lhe falaram sobre a tolerância e a margem de erro dos radares, esqueça! Os SINCRO controlam mesmo o excesso de velocidade e funcionam de forma eficaz, fotografando sem deixar margem para dúvidas. Por isso, é mais que certo que se passar por um destes radares acima da velocidade permitida naquele local, irá receber uma multa por excesso de velocidade em casa, acompanhada por uma retirada de pontos na sua carta de condução.

Em todo o caso, é importante também dizer que a lei lhe dá 15 dias úteis para recorrer da multa. Caso não o faça ou não lhe seja dada razão, terá mesmo de proceder ao pagamento da coima.

Identificação dos 50 postos de controlo dos radares SINCRO


É, ainda, importante lembrar que aos SINCRO somam-se os radares móveis usados pela PSP e GNR, os 18 radares fixos (16 localizados no túnel da CRIL, em Lisboa, e os outros 2 na A25, em Viseu), geridos pelas forças policiais na Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, e os radares fixos com pórticos, geridos pelas Câmaras de Lisboa e Porto.

Localização dos 50 postos de controlo

Auto-estradas

A1 (Lisboa/Porto)

  • A1, sentido Lisboa-Porto, km 2;
  • A1, sentido Lisboa-Porto, km 189;
  • A1, sentido Porto-Lisboa, km 4;
  • A1, sentido Porto-Lisboa, km 42.

A2 (Lisboa/Albufeira)

  • A2, sentido Algarve-Lisboa, km 9;
  • A2, sentido Lisboa-Algarve, km 14.

A3 (Porto/Valença via Braga)

  • A3, sentido Porto-Valença, km 1;
  • A3, sentido Valença-Porto, km 3.

A4 (Porto/Amarante)

  • A4, sentido Porto-Amarante, km 8;
  • A4, sentido Amarante-Porto, km 15.

A5 (Lisboa/Cascais)

  • A5, sentido Cascais-Lisboa, km 1;
  • A5, sentido Cascais-Lisboa, km 5;
  • A5, sentido Lisboa-Cascais, km 7;
  • A5, sentido Lisboa-Cascais, km 8.

A7 (Póvoa de Varzim/Vila Pouca de Aguiar)

  • A7, sentido Póvoa de Varzim-Vila Pouca de Aguiar, km 38.

A8 (Lisboa/Leiria)

  • A8, sentido Lisboa-Leiria, km 11,4.

A20

  • A20/VCI, Km 12,3;
  • A20/VCI, Km 9,1.

A23

  • A23, Km 18,6.

A24 (Coimbra/Vila Verde da Raia)

  • A24, km 93;
  • A24, km 98.

A25 (Aveiro/Vilar Formoso)

  • A25, entre Sever do Vouga e Reigoso, km 49;
  • A25, entre Reigoso e Oliveira de Frades, km 52;
  • A25, entre Oliveira de Frades e Vouzela, km 62.

A28 (Porto/Valença)

  • A28, na chamada “reta de Mindelo, km 21;
  • A28, na chamada “curva da morte”, na zona de Amorim, km 34.

A29 (Angeja)

  • A29, km 41;
  • A29, km 37;
  • A29, km 47.

Itinerários Principais e Complementares

  • IP3, Vila Verde da Raia/Figueira da Foz, km 69;
  • IP7/Eixo Norte-Sul, Km 10,7;
  • IP7/Eixo Norte-Sul, Km 10,2;
  • IC17, Algés/Sacavém, km 13;
  • IC19, Lisboa/Sintra, km 5;
  • IC19, Lisboa/Sintra, km 6;
  • IC19, Lisboa/Sintra, km 10;
  • IC20, Almada/Costa de Caparica, km 1,7;
  • IC20, Almada/Costa de Caparica, km 1,9;
  • IC20, Almada/Costa de Caparica, km 7.

Estradas Nacionais

  • EN1/IC2, km 125;
  • EN1/IC2, km 186;
  • EN4, km 156;
  • EN6/Marginal, km 8;
  • EN6-3, km 0,7;
  • EN6-3, km 1;
  • EN10, km 50;
  • EN125/ER125, km 68;
  • EN125/ER125, km 102;
  • EN125/ER 125, km 48,7;
  • EN 223, Porto Carvoeiro/Ovar, km 19.

Agora que já conhece a fundo o funcionamento dos radares SINCRO, aconselhamo-lo a percorrer todas as estradas portuguesas com precaução e respeitando os limites de velocidades estabelecidos em cada zona, de modo a nem receber multas, nem perder pontos na carta de condução.

Além disso, há que sublinhar que os limites de velocidades são estabelecidos para sua segurança e segurança das restantes pessoas com quem se cruza, durante a condução. Por este motivo, respeite os radares SINCRO e conduza sempre em segurança.

Veja também: