Publicidade:

Soft skills: quais são e por que são tão valorizadas

Já ouviu falar de soft skills, certo? Continue a ler, conheça-as e saiba como desenvolver as competências mais valorizadas no mercado de trabalho.

Soft skills: quais são e por que são tão valorizadas
Aprenda a desenvolver as suas competências pessoais

Normalmente, os recrutadores procuram candidatos com determinadas hard skills e soft skills. As primeiras são o grupo das competências técnicas e conhecimentos específicos necessários para realizar uma determinada tarefa ou função. As segundas, as competências pessoais, pertencem ao grupo dos requisitos comuns a quase todos os empregos, ou seja, são as características que nos tornam “empregáveis” aos olhos de qualquer recrutador.

As hard skills são competências adquiridas ao longo do percurso académico, estágios, formações ou através da experiência profissional. Estas competências são quantificáveis e podem ser facilmente definidas e avaliadas. Mas nem sempre basta o conhecimento técnico e específico para conseguir um emprego ou ser promovido no trabalho. No mercado de trabalho, as competências pessoais vão ganhando cada vez mais importância. Por exemplo, a competência técnica não lhe servirá de nada se não for capaz de confiar nos seus colegas e trabalhar em equipa.

As soft skills são, assim, competências pessoais, muito mais difíceis de definir e avaliar. Essas competências incluem a capacidade de comunicação, de escuta e empatia, entre outras. E, pese embora a necessidade de conhecimentos técnicos, a maioria dos empregadores procura estas capacidades sociais em todos os candidatos ou colaboradores.

Continue a ler e saiba quais são as mais desejadas e valorizadas no mercado de trabalho. Siga também as nossas dicas e desenvolva as suas competências pessoais para a procura de emprego ou progressão na carreira.

O que são as soft skills?


Soft skills

São os atributos pessoais de cada indivíduo, assim como os traços da personalidade, capacidades sociais e de comunicação necessárias para o sucesso no trabalho. Estas competências pessoais caracterizam a forma como um indivíduo interage no relacionamento com os colegas dentro e fora do ambiente de trabalho.

Diferentes das chamadas hard skills, envolvem as emoções e as intuições, ambas responsáveis pela capacidade de se expressar e interpretar os sentimentos de outra pessoa. São mais difíceis de aprender, pelo menos numa sala de aula tradicional, e, por isso, são também mais difíceis de medir e avaliar.

15 soft skills essenciais

  1. Atitude
  2. Comunicação
  3. Pensamento criativo
  4. Ética laboral
  5. Trabalho em equipa
  6. Networking
  7. Positividade
  8. Capacidade para tomar decisões
  9. Gestão do tempo
  10. Motivação
  11. Flexibilidade
  12. Resolução de problemas
  13. Pensamento crítico
  14. Resolução de conflitos
  15. Capacidade de adaptação a ambiente multicultural

Por que são tão valorizadas pelos empregadores?

É fácil de entender por que é que estas competências são tão valorizadas pelos chefes e empregadores em geral. Apesar das hard skills serem necessárias para a realização de um trabalho (afinal, se alguém é contratado para a vaga de padeiro, precisa de saber fazer pão), são as soft skills que vão garantir o sucesso do trabalho para a maioria dos empregados.

É necessário que os funcionários se relacionem, em determinados níveis, uns com os outros dentro do ambiente da empresa e a capacidade de tornar essa comunicação produtiva e harmoniosa é muito importante no resultado final de qualquer projeto, seja ele simples ou incrivelmente complexo.

Outro motivo que faz com que sejam importantes é que são consideradas competências transferíveis, ou seja, podem ser aprendidas através do convívio diário e torna qualquer pessoa num funcionário altamente adaptável a situações diferentes ou stressantes, por exemplo.

Pessoas que possuem estas competências, além de poderem utilizá-las em qualquer tipo de profissão e emprego, ainda são consideradas essenciais para a eficiência de uma empresa, principalmente aquelas voltadas para o público. Afinal, são necessárias várias destas capacidades para saber ouvir um cliente, identificar um problema e garantir a resolução do mesmo. Tudo isto de maneira educada e gentil.

5 soft skills que deve incluir no CV


1. Comunicação

Todos os recrutadores procuram candidatos com fortes capacidades de comunicação. A comunicação refere-se à capacidade de transmitir claramente informação a outros. Os empregadores querem colaboradores capazes de comunicar bem de forma escrita, verbal e não verbal. Parte de ser um bom comunicador, é também ser um bom ouvinte. Os profissionais precisam de ser capazes de entender as questões e preocupações dos seus clientes e ouvir as instruções do empregador.

2. Trabalho em equipa

Trabalhar em equipa é importante em qualquer trabalho. Se há projetos de grupo, é necessário dar-se bem com os outros colegas para levar o projeto a bom porto. Se não há muitos projetos de grupo, o trabalho em equipa continua a ser importante, porque, para alcançar os objetivos da empresa, todos os colaboradores têm de estar alinhados na mesma estratégia organizacional, ou seja, continua a precisar de se dar bem com os seus colegas.

3. Capacidade de análise

Esta competência refere-se à capacidade de entender, analisar e interpretar a informação, e tirar conclusões. Em qualquer emprego, o funcionário terá de avaliar situações e resolver problemas. Os colaboradores precisam de um pensamento lógico para tomar decisões fundamentadas.

4. Ética

Os empregadores procuram candidatos que entendam e sigam as regras, que se orientem por princípios de honestidade, que sejam confiáveis e que atuem de forma profissional e responsável.

5. Conhecimentos de informática

Esta é, na sua génese, uma hard skill. Os requisitos são mais exigentes e pormenorizados no que toca a programadores, administradores de sistemas, engenheiros de software, etc., porque são profissões que exigem um conhecimento mais profundo e vasto na área das tecnologias de informação. Mas a verdade é que cada vez mais surge o requisito “conhecimentos de informática na ótica do utilizador“, ou seja, os recrutadores querem candidatos que saibam e que estejam à vontade para usar os programas comuns como o Microsoft Office, especialmente Word e Excel. Qualquer outro, além destes, será sempre uma mais-valia.

5 competências pessoais para progredir na carreira


1. Atitude positiva

A atitude positiva não só o ajuda a si, como também irá motivar quem o rodeia. Profissionais com esta atitude são mais produtivos e eficazes porque colocam todo o entusiasmo no seu desempenho para atingir metas e objetivos.

2. Resiliência e capacidade de resolução de problemas

Mais uma das competências pessoais apreciadas nos profissionais de hoje. Não se foque no problema, mas sim na solução. É importante saber lidar com os obstáculos e fracassos e encontrar estratégias para vencer e soluções criativas sem perder a motivação.

3. Capacidade para trabalhar em equipa

É importante saber comunicar com os colegas e ter espírito de equipa para atingir resultados globais.

4. Capacidade de organização e gestão de tempo

Aprenda a definir metas e a estabelecer prioridades, planeie o seu tempo de trabalho para alcançar os resultados desejados. Escrever listas com as tarefas diárias são uma grande ajuda!

5. Flexibilidade

O mundo empresarial está em constante transformação, o seu sucesso profissional depende da sua preparação para se adaptar a novas realidades e projetos. Avance para os projetos novos com motivação e sem medos.

Veja também:

Inês Silva Inês Silva

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior e com uma pós-graduação em Assessoria de Comunicação pela Escola Superior de Jornalismo do Porto, o seu percurso profissional foi sempre na área da comunicação com a criação dos mais diversos tipos de conteúdos.

Saiba tudo sobre emprego