Publicidade:

Visitar as Ilhas Maurícias: 7 dias no paraíso

Não precisa de estar em lua de mel para visitar as Ilhas Maurícias. Saiba o que ver e  fazer neste arquipélago paradisíaco situado no Oceano Índico.

Visitar as Ilhas Maurícias: 7 dias no paraíso
Paisagens de sonho à sua espera

Fica ao lado da Ilha da Reunião e a 800 km de Madagáscar, em pleno Oceano Índico. Isto significa que para visitar as Ilhas Maurícias, vai precisar de pelo menos 13 horas dentro de um avião, com uma escala pelo meio. À sua espera terá paisagens fabulosas e não é só de praias fotogénicas que estamos a falar.

Conte também com vulcões, cascatas e fenómenos naturais únicos, como as extensões de terra com várias tonalidades ou os nenúfares gigantes. Some ainda as espécies animais que vai poder conhecer de perto – como as tartarugas gigantes; a gastronomia deliciosa – fruto de várias influências culturais, as muitas manifestações populares, e a simpatia genuína dos seus habitantes. Destino tentador, não acha?

Oficialmente designado por República da Maurícia, este arquipélago foi descoberto pelos portugueses em 1505 e colonizado depois por holandeses, franceses e ingleses. A capital é Port Louis, que fica na Maurícia, a maior ilha do país e o principal destino deste roteiro. Veja como aproveitar da melhor maneira uma semana neste paraíso.

Visitar as Ilhas Maurícias: roteiro para 7 dias


Quando visitar as Ilhas Maurícias?

Neste país de clima tropical, a época que pode ser considerada de verão – devido às temperaturas mais elevadas e ao estado cristalino e calmo das águas – acontece entre dezembro e março, sendo a altura ideal para fazer mergulho. Já para desportos que exijam vento e ondas, o ideal é visitar as Ilhas Maurícias entre junho e agosto, quando as chuvadas são intercaladas com sol radioso. Neste período as temperaturas andam à volta dos 22ºC e há menos pressão turística.

O que ver e fazer

1.º e 2.º dia: Chegada – norte da Ilha Maurícia

visitar as ilhas mauricias

Sugerimos que comece por explorar o norte da ilha, ficando alojado em Bain Boeuf, onde será recebido por uma interessante vista sobre o Rochedo de Coin de Mire. No primeiro dia, relaxe na praia e explore as comodidades do seu hotel. No segundo dia, parta à descoberta das redondezas, com duas paragens obrigatórias:

Termine o dia assistindo a um espetáculo de sega, a dança maurícia tradicional, que os hotéis da zona proporcionam.

3.º dia: Ilha Gabriel

visitar as ilhas mauricias

Entre a bordo do catamarã Le Pacha e faça uma viagem de cerca de 15 km até à formosa Ilha Gabriel, com praias imaculadas de areia branca e águas cujos tons vão do azul-turquesa ao verde-esmeralda. Uma vez aqui, o programa é usufruir deste ambiente natural incrível, apanhando sol, caminhando pela praia, fazendo snorkeling e saboreando o almoço incluído no passeio. No final do dia, será altura de se mudar para um hotel mais perto da capital, em Balaclava, por exemplo, e assim poder desfrutar de praias diferentes.

4.º dia: Port Louis

visitar as ilhas mauricias

Dedique este dia à capital do país, onde vai poder tomar o pulso à realidade maurícia, fora do ambiente dos resorts. Com heranças coloniais ainda visíveis e traços de identidade feitos da mistura de várias culturas, incluindo a indiana e a chinesa, Port Louis é uma cidade de contrastes, colorida e vibrante. Tome nota dos sítios a conhecer e visitar:

  • Place d’Armes
  • Templo de Père Laval’s
  • Blue Penny Museum
  • Mercado central
  • Edifício dos Correios
  • Le Caudan Waterfront
  • Forte Adelaide (Citadel Fort)
  • Mesquita Jummah Masjid
  • Chinatown
  • Aapravasi Ghat (Património Mundial da Humanidade)

Dica: evite visitar Port Louis ao domingo, uma vez que neste dia está quase tudo fechado na cidade.

5.º dia: Casela World of Adventures ou Praia Flic en Flac

visitar as ilhas mauricias

Agora você decide: se preferir um parque natural, com paisagens luxuriantes e bastante vida animal, sugerimos que passe o dia no Casela Worlds of Adventures. Se quer descansar e usufruir de uma das melhores praias da Maurícia, vá até Flic en Flac.

O Casela World Adventures é um lugar especial, sobretudo se estiver com crianças. Andar de camelo, alimentar tartarugas, interagir com leões, dar passeios de moto4 e divertir-se na piscina com escorregas, são apenas algumas das atividades do parque. Mas se deseja algo mais relaxado, vá passar o dia à praia de Flic en Flac, a menos de 1 hora de carro de Port Louis. É o areal mais extenso da ilha – 8 km – e oferece uma lagoa de águas convidativas protegidas por uma barreira de coral.

6.º dia: sul da Ilha Maurícia

visitar as ilhas mauricias

Se vai visitar as Ilhas Maurícias, não deve deixar de fazer um tour pelo sul da Ilha Maurícia, onde há mais tradições e paisagens para conhecer e contemplar. Eis as nossas sugestões:

  • Destilaria de Rum Chamarel – conheça a história e o método de fabrico de um dos principais produtos das Maurícias;
  • Parque Chamarel Sete Cores de Terra – espetáculo natural único, devido à origem vulcânica da ilha: a humidade do clima em conjunto com elementos químicos, como o alumínio ou o ferro, fez com que o terreno, já de si singular, ganhasse sete tonalidades diferentes, do roxo ao vermelho, passando pelo laranja, azul e violeta;
  • Cascata Chamarel – integrada no parque Chamarel, impressiona pela densa vegetação em seu redor. A água cai de uma altura de 100 metros;
  • Trou aux Cerfs – Curepipe – é a cratera do maior vulcão das Maurícias. Permite bonitas panorâmicas da ilha;
  • Grand Bassin (Ganga Talao) – lago com uma forte componente mística e religiosa; ao lago foi adicionada água do rio Ganges, da Índia, e à sua volta foram construídas estátuas e um templo hindu; atração incontornável deste lugar é a estátua gigante de Shiva, um dos principais deuses do hinduísmo, com 33 metros de altura;
  • Varangue Sur Morne – restaurante que oferece uma vista incrível e ótima comida; situado na região verdejante de Plain Champagne, é a escolha ideal para almoçar neste dia, usufruindo de uma paisagem de cortar a respiração;
  • Grand Bois – pequena vila onde se respira a cultura indiana; uma espécie de “Little India”, símbolo maior da forte presença desta cultura nas Maurícias. A prova? As lojas, os restaurantes, as pessoas, as suas vestes e os campos de críquete, onde ao fim de semana há sempre jogo.

7.º dia: Le Morne/Regresso

visitar as ilhas mauricias

Se dispuser de tempo, antes de regressar, e ainda no sul da Ilha Maurícia, dê um salto a Le Morne, paisagem cultural classificada pela UNESCO como Património Mundial. Protegidas pelo imponente monte com o mesmo nome, as praias prolongam-se por uma língua de terra de vegetação luxuriante, numa paisagem de enorme magnetismo.

Visitar as Ilhas Maurícias: onde ficar

Deixamos-lhe algumas sugestões:

Veja também: