Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Sofia Ramos
Sofia Ramos
10 Mar, 2017 - 11:03

Barcelona: tudo sobre o bairro El Raval

Sofia Ramos

Vai a Barcelona? Então reserve algum tempo para explorar El Raval, bairro eclético e boémio no centro da cidade. No nosso guia tem tudo o que não deve perder.

Barcelona: tudo sobre o bairro El Raval

El Raval é um dos bairros de Barcelona mais badalados do momento. Se o seu passado sombrio afugentava os visitantes, a revitalização da zona feita pelo município permite que hoje atraia um elevado número de pessoas, seja para viver ou apenas para visitar.

Nas suas ruas, palpitam várias culturas e sente-se o exotismo no ar. Restaurantes com sabores de vários países, bares com tentadoras esplanadas, edifícios históricos, museus contemporâneos, lojas alternativas e mercados tradicionais: é esta mescla harmoniosa que torna o El Raval tão interessante.

À noite, ainda que haja zonas de bares bastante concorridas e apetecíveis, existem alguns recantos menos seguros, pelo que o ideal, com o sol posto, é andar acompanhado.

Não deixe, no entanto, que estes pequenos pecados do bairro o impeçam de usufruir de toda a sua magia irreverente e inesperada. Para muitos o mais cool dos bairros de Barcelona, o El Raval tem imensos pontos de visita obrigatória. O gato gordo de Botero e o famoso mercado La Boqueria, são apenas alguns.

A não perder no bairro El Raval de Barcelona

Museo d’Art Contemporani de Barcelona

placeholder-1x1

Num edifício a contrastar com o estilo “cidade antiga” que caracteriza o bairro, o Museu de Arte Contemporânea de Barcelona, também conhecido pela abreviatura MACBA, é uma instituição artístico-cultural de referência na cidade.

Apostando sobretudo nas várias vertentes das artes plásticas da segunda metade do século XX, o museu renova frequentemente as suas exposições. Um espaço incontornável para quem quer fugir ao triângulo mais turístico ‘Gaudí-Miró-Picasso’.

Centre de Cultura Contemporània de Barcelona

placeholder-1x1

Nós temos o CCB, os catalães têm o CCCB, ou seja, o Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona. À semelhança do museu anterior, dedica-se a divulgar trabalhos artísticos do ‘nosso tempo’, ainda que com um leque mais alargado: na sua programação, para além de exposições, cabem concertos, performances, peças de teatro, cinema, cursos e workshops, entre outras atividades.

Palau Guëll

placeholder-1x1

Não é a obra mais emblemática de Antoni Gaudí, mas não de deixa de ser um marco na carreira deste célebre arquiteto catalão. Foi um dos primeiros trabalhos para Eusebi Guëll, para quem haveria de criar mais tarde o notável Parque Guëll, no bairro de Gracia.

O final da construção deste palácio familiar data de 1890 e são já visíveis várias propostas visionárias do autor quanto à rentabilização do espaço e do aproveitamento da luz. Decretado Monumento histórico-artístico pelo Estado Espanhol em 1969, foi mais tarde considerado Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Mercado La Boqueria

placeholder-1x1

O mais conhecido mercado de Barcelona fica no El Raval, mais concretamente na área das concorridas Ramblas pertencente ao bairro. Cores, sabores, cheiros e texturas: aqui, pode dar uso pleno a todos os seus sentidos, numa experiência gastronómica única.

Trata-se do mais visitado mercado de toda a região da Catalunha e se é um facto que a localização central ajuda a isso, também é verdade que o mercado tem sabido como evoluir mantendo o seu ambiente típico, oferecendo produtos frescos de qualidade, lojas e bancas cuidadas e restaurantes irresistíveis.

Curiosidade: existem indícios de que já no início do século XIII, a zona onde está hoje o mercado era uma área de comércio.

Igreja Sant Pau del Camp

placeholder-1x1

Em pleno bairro, deixe-se surpreender por um edifício românico cuja origem, de acordo com uma inscrição visível num túmulo ali encontrado, parece ser o século X. Falamos da Igreja Sant Paul del Camp, a mais antiga da cidade e pertencente a um mosteiro beneditino que ali existiu e do qual também sobreviveu parte do claustro.

No meio do bulício e do espírito enérgico de El Raval, a austeridade deste templo granítico convida a uma pausa contemplativa e a uma viagem aos símbolos do passado.

Gran Teatre del Liceu

placeholder-1x1

A musicalidade de Barcelona não se faz apenas de festivais de música moderna ou eletrónica. A ópera e a música clássica também têm espaço nesta cidade cosmopolita e é no bairro El Raval que está o mais reputado palco para repertórios clássicos: o Gran Teatre del Liceu. Mesmo que não queira assistir a nenhum espetáculo, não deixe de apreciar o bonito edifício e visitar o seu carismático e luxuoso interior.

Rambla del Raval

placeholder-1x1

Passear nas movimentadas ruas do bairro e sentir o seu frenesim é uma das atividades a que não conseguirá resistir. Uma das artérias mais animadas é a Rambla del Raval, com a sua ampla faixa pedonal adornada de palmeiras, cafés e esplanadas.

No final, tire a foto da praxe junto ao gato de proporções faraónicas – uma escultura bem ao estilo do seu autor, o colombiano Fernando Botero, que é já símbolo do bairro e da própria cidade. À noite, para saltitar de bar em bar, num ambiente eclético e festivo, dê um salto à calle Joaquím Costa.

Onde comer em El Raval

Onde dormir

Veja também: