Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
27 Dez, 2019 - 14:26

Alqueva: escapadinha de verão ao maior lago artificial da Europa

Mónica Carvalho

Na região da Barragem do Alqueva é fácil deixar-se cativar pelo turismo rural enquanto aprecia os prazeres simples da vida no campo e contempla a natureza.

Praia fluvial no Alqueva

Tem uma albufeira de 250 quilómetros quadrados, abrange cinco concelhos do Alentejo, possui muitos pontos de interesse e destaca-se em toda a Europa. Conheça a Barragem do Alqueva, saiba o que pode fazer e visitar num local único no nosso país.

Na margem direita tem, por exemplo, os castelos de Juromenha, Alandroal, Terena, Monsaraz e Portel, e na margem esquerda, posicione-se em Mourão e Moura para desfrutar de miradouros espetaculares sobre este cenário idílico.

A Barragem do Alqueva é motivo de orgulho para os locais, com os seus pequenos ilhéus e pequenos pedaços de terra que constituem uma paisagem que só poderia pertencer ao calmo e gentil Alentejo.

Atividades na Barragem do Alqueva

Barco na albufeira do Alqueva

Tudo o que há para fazer na região da Barragem do Alqueva está relacionado com o espaço envolvente.

É certo que a região do Alentejo é bastante calma e tranquila, mas não faltam atividades para se entreter, viver momentos divertidos e experienciar emoções fortes. Siga as nossas sugestões para um tempo bem passado.

  • Caça e pesca;
  • Caminhadas ou trekking;
  • Passeios a cavalo;
  • Passeios de avião e helicóptero;
  • Voos de balão de ar quente:
  • Passeios de barco;
  • Passeios de bicicleta de montanha;
  • Desportos aquáticos.

Todas estas atividades no lago do Alqueva têm algo em comum: o contato com a mãe natureza, num local de fauna e flora excecional, possível graças a um local que proporciona ainda cenários de extrema beleza para passeios em família ou para um fim de semana romântico.

À noite, verá um céu tão estrelado, como nem sempre é possível ver nas grandes cidades.

As melhores praias perto da Barragem do Alqueva

Praias do Alqueva

Praia Fluvial de Monsaraz

Esta praia foi inaugurada a 01 de junho de 2017, localiza-se no Centro Náutico de Monsaraz, a cerca de 4 quilómetros da vila medieval. Permite uma série de actividades mais ou menos radicais.

  • Passeios de barco e veleiro;
  • Ski;
  • Wakeboard;
  • Paddle;
  • Bóia de tracção;
  • Canoagem;
  • Gaivotas.

Praia Fluvial de Mourão

A praia fluvial de Mourão possui 320 metros de areal e pode ser uma excelente opção para um passeio em família.

Pego do Altar

Erguida entre 1935 e 1949, a albufeira do Pego do Altar, localiza-se na bacia hidrográfica da ribeira de Alcáçovas e, nessa época, a água era aproveitada para rega e para aproveitamento hidroelétrico.

Atualmente é um espaço de lazer, muito procurado pelo ambiente que lá se vive, sendo uma excelente opção de praia para bons momentos quer a sós, quer em grupo.

Praia Fluvial da Tapada Grande

Esta praia localiza-se em Mina de São Domingos, no concelho de Mértola e também possui bandeira azul e nadador salvador.

Perto da praia existe um pequeno bar, para fazer as suas refeições e canoas e gaivotas para passear pelas águas calmas da albufeira (embora com o frio esta seja uma opção apenas para os mais aventureiros).

Conheça as aldeias que rodeiam a Barragem do Alqueva

Monsaraz junto ao Alqueva

A Barragem de Alqueva abrange 5 concelhos portugueses, todos na região do Alentejo: Portel, Moura, Reguengos de Monsaraz, Mourão e Alandroal, e, em Espanha, os municípios de Cheles, Alconchel e Villanueva del Fresno. A região é composta por 16 aldeias ribeirinhas que, juntas, compõem as Terras do Grande Lago

E há algumas destas aldeias que vale mesmo a pena visitar, mesmo se deixarmos de fora sítios como Amieira, Campinho, Capelins, Estrela, Granja, Juromenha, Marmelar, Mina da Orada, Monte do Trigo ou Telheiro.

Mas numa escapadinha pelo Alqueva há algumas paragens incontornáveis.

Portel

Esta pequena vila alentejana tem no seu castelo o ponto de maior interesse e orgulho do passado. Atualmente, é a assumidamente, a capital do montado e a porta de entrada para se chegar a Alqueva.

Moura

A cidade de Moura é composta por uma dualidade curiosa: predominância de atividade agrícola na periferia e um centro repleto de grandes mansões e praças bonitas. Quase que nos transporta para outros tempos.

Tem este nome, devido à Moura Salúquia, que se atirou da torre do castelo da vila, em desespero quando os cristãos invadiram a cidade.

Reguengos de Monsaraz

Reguengos de Monsaraz fica localizada a sul de Vila Viçosa e mostra um Alentejo mais rural, cheio de comunidades agrícolas e vários castelos.

Este cenário revela-se de grande beleza e traduzem a paisagem alentejana mais conhecida, de longos campos de cultivo, com edifícios históricos pelo meio, ambos banhados pelo sol, espalhando um dourado invejável e que deleita qualquer olhar.

Mourão

Mourão situa-se na margem esquerda do rio Guadiana e fica bem próxima da fronteira com Espanha.

A proximidade ao rio confere-lhe não só uma beleza muito especial, como um dos aspetos mais característicos da região: a fertilidade do solos, onde crescem oliveiras e diversas árvores de fruto.

Alandroal

A pacata vila do Alandroal e as suas ruas de casario branco foram-se desenvolvendo ao redor do Castelo, dominado pela Torre de Menagem. Fora desse espaço, há outros pontos de interesse, como a Fonte Monumental, o central Pelourinho e a Igreja da Misericórdia.

Tudo isto representa bem a tranquilidade da vivência e ambiente alentejanos.

O que pode visitar junto à Barragem do Alqueva

Aldeia da Luz

Aldeia da Luz

Com a construção da Barragem do Alqueva algumas aldeias ficaram submersas, pelo que a Aldeia da Luz foi construída para servir de novo local de habitação. Perdeu-se um lado histórico, mas ganhou-se um cenário homogéneo e harmonioso. Pode visitar e conhecer o museu com imagens e vestígios da antiga aldeia.

São Pedro do Corval

Aqui localiza-se o maior centro oleiro de Portugal, sendo, assim, conhecida como a terra da cerâmica alentejana, por onde não faltam olarias ainda de fabrico artesanal – o que é a desculpa perfeita para uma visita.

Castelo de Monsaraz

Este castelo terá sido edificado por D. Dinis, em 1310, sobre uma estrutura defensiva já existente e ainda hoje marca a paisagem da região, sendo, inclusivamente classificado como Monumento Nacional.

Durante a Guerra da Restauração, o espaço foi adaptado para as novas realidades da guerra, nomeadamente através do acrescento de suportes para a artilharia. É um excelente elocal para observar a Barragem do Alqueva.

Conjunto Megalítico do Olival da Pega

Este tipo de edificações acaba por ser comum ao longo de todo o Alentejo e, este caso em específico, foi criado algures entre 400 a 300 anos a.C.

Este exemplo destaca-se por ser constituído por cerca de 134 placas de xisto e 200 vasos cerâmicos, que acabam por evidenciar utilização deste monumento como espaço para cerimónias fúnebres.

Cromeleque do Xerez

Este complexo megalítico é o maior da Península Ibérica e supõe-se ter sido construído em 3000 a.C.

É constituído por 95 blocos de pedra e encontram-se em propriedade privada, na Herdade dos Almendres. Todavia a área foi cedida para utilização pública, estando assim disponível para que deseja visitar e sentir-se como se pertencesse a outros tempos.

Pias

Esta freguesia portuguesa pertence ao concelho de Serpa e deve o seu nome à antiga produção de manufaturas em granito. Estes são os principais pontos de interesse: Ermida de Santa Luzia, Torre do Relógio e Igreja Local.

Torre do Esporão

Edificada no senhorio de uma família abastada do século XIII, a Torre do Esporão foi criada com o objetivo de enaltecer a linhagem e a nova condição social dessa família, que se encontrava em período de ascensão.

A torre possui formato quadrangular, sendo que na fachada principal existe uma bonita escadaria sobre um arco. Atualmente, o espaço alberga um museu arqueológico, onde estão expostos diversos achados do Esporão e peças do Complexo Arqueológico dos Perdigões.

Delicie-se com a gastronomia alentejana

Migas à alentejana

Em Portugal, seja em que canto for, come-se sempre bem e, como tal, o Alentejo não é exceção. Nesta região do país, destacam-se as açordas, migas, sopa de beldroegas, pezinhos de coentrada, sopa de cação, ensopado de borrego, os pratos de carne de porco – como a famosa carne de porco à alentejana e os famosos enchidos. Todos estes pratos ganham ainda mais sabor quando acompanhados dos fortes e encorpados vinhos do Alentejo.

Se pertencem mais à team doces, então, também há muito com que se deliciar, como sericaia, bolo de requeijão, filhós, bolo de amêndoa e gila.

Veja também