Marta Maia
Marta Maia
09 Fev, 2021 - 12:15

Tudo o que precisa saber para reduzir os encargos mensais

Marta Maia
Patrocinado por:

Conheça a melhor estratégia para organizar os créditos e aliviar a pressão sobre o orçamento familiar e faça a sua simulação.

Num contexto de fragilidade económica e com as moratórias do crédito a chegar ao fim, muitas famílias portuguesas voltam a estar a braços com as prestações mensais aos bancos.

No entanto, para muitas o cenário mudou radicalmente: os longos meses de pandemia fizeram cair os rendimentos do agregado familiar e, em consequência, o esforço financeiro para cumprir as obrigações de crédito cresceu significativamente.

A solução para estas famílias é a reorganização da vida financeira – que, entre outras possibilidades, passa por organizar os créditos e consolidá-los para transformar as mensalidades todas numa só, mais baixa e menos pesada no orçamento familiar. Pode fazer aqui a sua simulação e perceber como pode poupar com a consolidação dos créditos

Consolidar para organizar os créditos

A consolidação tem ganho muita popularidade entre os consumidores portugueses que procuram organizar os créditos e regista vários exemplos de (muito) sucesso – como o do Carlos e da Marta (nomes exemplificativos), que conseguiram cortar as despesas mensais para menos de metade.

Neste caso real, três prestações que somavam 735€ foram transformadas numa mensalidade única de 359€. São 375€ de poupança todos os meses, 4510€ a menos no final de cada ano. São contas que ajudam muito a equilibrar o orçamento familiar.

Simule e veja como pode poupar!

Alivie as suas despesas mensais com a consolidação dos créditos. Analise a sua situação!

Como funciona a consolidação de créditos?

É natural que, ao ler o exemplo acima, se pergunte como foi possível fazer aquela “magia” de pagar menos sem pedir perdão de dívida. A explicação é simples: chama-se negociação.

Quando inicia um processo de consolidação de crédito, a instituição que contratou vai a todos os bancos onde tem créditos abertos e negoceia, para cada um deles, novas condições: spreads mais baixos, isenção de comissões e taxas…

No fundo, a instituição tira partido de um poder de negociação maior do que o seu, conseguindo condições mais vantajosas para os seus créditos.

Depois deste passo, a instituição faz as contas ao novo total da sua dívida (que baixou com a negociação). Este total é o seu novo crédito – o dinheiro que a instituição usou para zerar as suas contas com os bancos e que agora lhe vai cobrar a si.

Chegamos assim à mensalidade única. Agora o truque para ser mais baixa.

Sabemos que os custos de um crédito são quase sempre proporcionais: quanto mais alto for o valor em dívida, mais altas são as comissões e taxas. Ora, se o seu novo crédito consolidado é de um valor mais baixo do que a soma dos créditos que tinha inicialmente (graças à negociação que foi feita), então o valor das comissões também vai cair.

Ao mesmo tempo, as instituições de consolidação de crédito oferecem prazos de amortização mais alargados, o que permite diluir o total da dívida em mais prestações e mais pequenas. Contas feitas, paga uma só mensalidade que é mais baixa do que a soma das mensalidades antigas.

Se tem curiosidade em saber que impacto teria a consolidação de créditos no seu caso, pode sempre fazer uma simulação sem compromisso.

Como consolidar os créditos?

Vai sempre precisar do apoio de uma instituição para consolidar os seus créditos, porque sozinho não terá o poder de negociação necessário. Estude as ofertas disponíveis no mercado, peça uma simulação e informe-se sobre os detalhes contratuais.

Se decidir avançar com o processo, a instituição de consolidação de créditos tratará de tudo o resto: de falar com os bancos onde contraiu os empréstimos, de transferir os créditos (nem sempre é necessário) e de todos os detalhes burocráticos.

No fundo, o processo é muito simples, porque o que está em causa é mesmo isto: facilitar a sua vida. Do seu lado fica apenas a responsabilidade de ler detalhadamente o contrato que assina, de fazer todas as questões importantes e, claro, de garantir que a consolidação é apenas o início de um processo de recuperação total da autonomia financeira.

Veja a consolidação de créditos como uma oportunidade

É importante que veja a consolidação como mais do que apenas uma estratégia para organizar os créditos. É certo que o planeamento financeiro simplifica muito quando há apenas uma mensalidade para uma única instituição, mas é igualmente verdade que o sucesso global da sua estratégia vai depender do que faz com o dinheiro que sobra.

Ao pagar uma mensalidade mais baixa, vai ter mais dinheiro disponível. Use esse dinheiro para poupar ou para fazer investimentos com retorno tangível.

O grande objetivo da consolidação de créditos é ajudar as famílias a reequilibrar as contas, e as que souberem gerir bem o aumento de poder de compra são as que mais beneficiam deste tipo de ofertas financeiras.

Uma só mensalidade

Equilibre o seu orçamento familiar com o crédito consolidado!

Veja também