Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Pereira
Inês Pereira
20 Jun, 2018 - 11:36

Epidural: como funciona, vantagens e desvantagens

Inês Pereira

A epidural é o método mais conhecido e requisitado na hora de aliviar as dores do parto. Por esse motivo é importante que fique a conhecer o tema de A a Z.

Epidural: como funciona, vantagens e desvantagens

Depois de 9 meses de alegrias e descobertas, vem a parte mais dolorosa: o parto. Não é novidade para ninguém que, apesar da felicidade, o parto acarreta dores difíceis de suportar. Felizmente, existe a epidural para ajudar todas as mulheres que sentirem necessidade de recorrer a esta anestesia local que tanto ajuda na hora de enfrentar o nascimento de um filho.

Assim, sempre que se justifique e seja recomendado, o médico pode administrar a anestesia epidural e aliviar o sofrimento da mãe. No entanto, existem também muitas mulheres que enfrentam as contrações sem recorrer a este método. Fique agora a saber tudo sobre a epidural e seja uma entendida no assunto.

Saiba tudo sobre a epidural

saiba tudo sobre a epidural

A epidural é uma anestesia local que suprime a dor numa área específica do corpo durante todas as fases do parto, sem a implicação de perda da sensibilidade física ou da consciência. Após esta anestesia, as contrações e todo o trabalho de parto decorrem naturalmente mas com a ausência de dor.

É colocada uma agulha específica entre duas vértebras da coluna lombar e introduz-se um tubo, o cateter epidural. Depois, o anestésico é injetado e, ao alcançar as fibras nervosas, bloqueia os estímulos dolorosos que são originados aquando das contrações. Após a administração da primeira injeção, a epidural faz desaparecer a dor em cerca de 10 a 15 minutos.

A administração da epidural varia de acordo com a forma como está a decorrer o trabalho de parto. Geralmente, considera-se que a mulher já está em trabalho de parto quando o colo do útero apresenta uma dilatação de 3cm, sendo que a epidural é maioritariamente realizada a partir dos 4cm.

No entanto, existem situações em que este método é desaconselhado por questões de segurança:

  • Quando o médico não consegue localizar o espaço epidural para introdução da agulha;
  • Quando o trabalho de parto acontece rapidamente;
  • Quando a paciente toma medicamentos anticoagulantes;
  • Quando a mulher tem uma infeção sanguínea;
  • Quando a paciente tem um nível baixo de plaquetas no sangue.

Benefícios e desvantagens da epidural

Como seria de esperar, este tipo de anestesia traz benefícios mas também algumas desvantagens, pelo que é necessário que qualquer paciente tome uma decisão informada. No que se refere às vantagens, podem destacar-se:

  • O método não é doloroso para a paciente;
  • Alívio do desconforto do parto;
  • Permite que a mulher esteja mais relaxada e descansada, poupando energia, o que facilita o parto;
  • No caso de uma cesariana, permite que esteja acordada durante o parto e facilita o recobro.

Já no caso das desvantagens da epidural, também existem fatores que devem ser ponderados pela mulher na hora de tomar uma decisão:

  • Pode causar a descida da pressão sanguínea – motivo pelo qual o médico controla este fator repetidas vezes;
  • Pode provocar dores de cabeça, embora seja raro;
  • Pode causar náuseas e dificuldade em urinar;
  • Algumas mulheres sentem tremores;
  • Após o parto, pode sentir a parte inferior do corpo dormente;
  • Pode dificultar a força que deve fazer para que o bebé nasça.

Veja também: