Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Reis
Catarina Reis
03 Jul, 2019 - 17:45

Houve ou houveram? Como conjugar corretamente o verbo “haver”?

Catarina Reis

O verbo “haver” e a forma de o conjugar levantaram sempre muitas questões. Houve ou houveram: esclareça todas as dúvidas acerca deste assunto.

houve houveram

Se é daquelas pessoas a quem a conjugação do verbo “haver” coloca muitas dúvidas, aqui temos a solução para que não volte a errar. Descubra se se diz houve ou houveram, e porquê!

Será que este verbo flexiona ou não para o plural, dando origem a palavras como “houveram”?

Inúmeras vezes ouvimos e lemos este verbo conjugado de diferentes formas; e de tanto ouvirmos e lermos, deixamos, por vezes, de saber com toda a certeza qual a forma correta de ler e escrever.

Houve ou houveram?

Houve ou houveram

Para resolver este enigma de “houve ou houveram”, temos de compreender, antes de mais, que o verbo “haver”, quando assume o significado de “existir”, é um verbo impessoal e invariável. Por essa razão, não tem sujeito, apresentando-se exatamente na mesma forma, quer estejamos a falar ou escrever no plural ou no singular.

Veja o exemplo:

  • Correto: “Ontem foi noite de São João – houve muitas oportunidades para nos divertirmos desde que saímos de casa até que regressámos!”
  • Errado: “Ontem foi noite de São João – houveram muitas oportunidades para nos divertirmos desde que saímos de casa até que regressámos!”

Mais exemplos de situações em que deve aplicar corretamente o verbo haver

Aqui deixamos mais exemplos da conjugação acertada deste verbo impessoal:

  • Houve alturas na minha vida em que achei que não conseguiria dar a volta por cima. – É errado dizer “houveram alturas”;
  • Já houve momentos em que, de tanto estudar, acabei por me sentir esgotado. – É errado dizer “houveram momentos”;
  • Na minha festa de aniversário houve sobremesas para toda a gente! – É errado dizer “houveram sobremesas”;
  • Tens visto o Telejornal? Já houve melhores notícias… – É errado dizer “já houveram melhores notícias”.

O que acontece quando se conjuga o verbo haver noutros tempos verbais?

Vamos agora exemplificar a conjugação noutros tempos verbais:

  • Havia anos que não falava com a minha melhor amiga. – É errado dizer “haviam anos”;
  • Há alturas em que me apetece fazer exercício, mas outras em que me sinto mais preguiçoso. – É errado dizer “haviam alturas”;
  • Haverá batatas fritas que cheguem para toda a família? – É errado dizer “haverão”.

E os verbos auxiliares, também ficam no singular?

Como se sabe, muitas vezes o verbo “haver” é conjugado com um verbo auxiliar. Por exemplo, o verbo “dever” ou o verbo “poder”. Nessas situações, o verbo auxiliar também permanece no singular, tal como demonstramos nos exemplos a seguir:

  • Deve haver muitos gatos nesta zona da cidade, não achas, Miguel? – É errado dizer “devem haver”;
  • Devia haver mais caixotes do lixo. Assim como está as pessoas acabam por deitar muitos papéis para o chão! – É errado dizer “deviam haver”;
  • Deverá haver fósforos na gaveta do móvel da cozinha, vais lá ver se os encontras? – É errado dizer “deverão haver”;
  • Poderia haver árvores aqui – o jardim ficava muito mais bonito! – É errado dizer “poderiam haver”;
  • Poderá haver momentos, de hoje em diante, em que seja preciso prestar mais apoio ao Luís. – É errado dizer “poderão haver”;
  • Pode haver países em que seja permitido fumar em locais fechados. – “É errado dizer “podem haver”.

Preste atenção a palavras cuja sonoridade seja semelhante

pessoa a estudar

“Haver” é diferente de “ouvir”, não concorda? Então certamente não quererá escrever “ouve” em vez de “houve”, e vice-versa.

  • Ouve-me bem: houve pessoas que não chegaram a saber que íamos fazer uma festa de Natal na escola!
  • Quando houver mais pássaros nas redondezas, vais ouvi-los logo pela manhã.
  • Houve um incêndio, não ouviste nas notícias?
  • Ouve-se falar em sustentabilidade, mas ainda não houve quem conseguisse implementar esse ideal a 100%.

Em que situações é que se pode conjugar o verbo “haver” no plural?

Só podemos conjugar o verbo “haver” no plural quando ele assume o significado de “ter”.

Atente às frases a seguir, cujo significado é igual, estão ambas corretas, apenas podem ser ditas usando o verbo “ter” ou “haver” – que é a única exceção para ser conjugado no plural:

  • Nós nunca tínhamos visto nada assim nas nossas vidas!
  • Nós nunca havíamos visto nada assim nas nossas vidas!
  • Se houvesse laranjas para todos, não havias de me dizer que não chegavam!
  • Se houvesse laranjas para todos, não tinhas de me dizer que não chegavam!

O verbo “haver” é um verbo existencial (ou impessoal, na terminologia tradicional), pois tem o significado de “existir”, e por essa razão é invariavelmente usado na 3.ª pessoa do singular. Os erros no uso deste verbo derivam do facto de muitas pessoas o flexionarem para o plural quando o complemento direto da frase está no plural. Mas não devem fazê-lo. A exceção é feita quando o verbo é empregue com o significado de “ter”.

Alertamos ainda para a importância de, na escrita, não confundir duas palavras homófonas – isto é, palavras que se escrevem de forma diferente, mas cuja sonoridade é a mesma; estamos a falar, claro, das palavras “ouve” (verbo “ouvir”) e “houve” (verbo “haver”).

Houve ou houveram? Já não restam dúvidas. E assim se fala e escreve em Português correto!

Veja também