Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
25 Ago, 2020 - 13:52

Infeções fúngicas: tudo o que precisa de saber

Teresa Campos

As infeções fúngicas podem afetar diferentes regiões do corpo, mas são normalmente pouco graves. Conheça a sua origem e tratamento possível. Tome nota!

mulher com comichão

As infeções fúngicas, como o nome indicada, são infeções causadas por fungos. Normalmente, elas não se revestem de muita gravidade, podendo afetar diversas partes do organismo. Os seus sintomas podem variar, assim como o seu tratamento.

Para ter uma noção, há mais cem mil tipos de fungos, alguns mais agressivos do que outros. Os fungos apresentam uma “fase de crescimento”, à qual se segue uma “fase de reprodução”. Eles existem ao nosso redor, podendo instalar-se e desenvolver-se na superfície do nosso corpo ou, até, dentro dele, provocando infeções fúngicas. Perceba melhor.

Infeções fúngicas: causas, diagnóstico e tratamento

Como dissemos, são inúmeros os fungos existentes. Alguns dos mais conhecidos são os “dermatófitos” que sobrevivem usando a queratina existente na nossa pele;  e a Candida e o Pityrosporum, causadores de infeções cutâneas e das mucosas, e que se “alimentam” de açúcares ou de gorduras, as “leveduras”.

Os fungos podem instalar-se na nossa pele ou entrar no nosso organismo através da boca ou da respiração. Na maior parte dos casos, estes fungos causam, apenas, pequenas infeções e não se espalham pelo corpo.

A exceção ocorre, principalmente, com pessoas que tenham um sistema imunitário comprometido, por sofrerem de alguns problemas de saúde, como a SIDA, ou, por exemplo, com indivíduos que estejam a ser sujeitos a tratamentos de quimioterapia. Nestas situações, as infeções micóticas podem ser graves, sendo as infeções por Aspergillus as mais frequentes nestas pessoas.

Micose nos pés? Saiba como tratar
Veja também Micose nos pés? Saiba como tratar

Tipos de infeções fúngicas

Candidíase

A Candida Albicans é o fungo mais comum, pois encontra-se dentro do nosso próprio organismo. Este fungo pode manifestar-se através de placas esbranquiçadas, na zona da língua e da gengiva. Além disso, ele também pode causar prurido, ardor e secreções na região genital.

Pitiríase versicolor

Também conhecida como micose da praia, esta infeção tem origem no fungo Malassezia furfur. Ela carateriza-se por manchas arredondadas e brancas que se podem espalhar pelo tronco, abdómen, braços, pescoço e face.

Aspergilose

Esta infeção é motivada pelos fungos do tipo Aspergillus fumigatus. Estes fungos provocam alergias e atingem os pulmões e as vias respiratórias, desenvolvendo sinusites e otites.

Causas da infeção urinária

Causas

Como já explicámos, as infeções fúngicas surgem na sequência de uma contaminação por fungos ou esporos (forma de reprodução dos fungos). Os esporos são praticamente invisíveis e muito resistentes a fatores externos.

Só eliminando os esporos é possível cessar definitivamente a infeção. Enquanto os esporos permanecerem, a infeção pode sempre reaparecer e haver transmissão da mesma a outras pessoas.

Fatores de risco para o surgimento de infeções fúngicas

Medicamentos e tratamentos

  • Quimioterapia;
  • Corticosteroides;
  • Medicamentos como a azatioprina, o metotrexato ou a ciclosporina;
  • Inibidores de necrose tumoral, utilizados para tratar a artrite reumatóide e os distúrbios relacionados.

Doenças

Diagnóstico

As infeções fúngicas podem ocorrer em vários locais do corpo e podem apresentar diversos sintomas. As infeções mais prevalentes ocorrem na pele (cutâneas), na mucosa oral, no esófago e na vagina.

De diagnóstico relativamente simples e fácil, é importante que seja feito um estudo clínico aprofundado do doente e da doença. Isto, sobretudo, para excluir outro tipo de infeções possíveis.

No caso das infeções vaginais, por exemplo, é especialmente importante fazer a análise de uma colheita das secreções vaginais, de modo a despistar uma possível infeção por Chlamydia, por exemplo.

Também no caso das infeções cutâneas ou das unhas, é importante fazer uma raspagem da área afetada, para que a colheita possa ser examinada ao microscópio ou analisada em laboratório, de modo a ser identificada a origem exata da infeção.

pé com unha com micose

Tratamento

A generalidade das infeções fúngicas podem ser tratadas recorrendo a anti-fúngicos, que devem ser indicados pelo médico. Há uma vasta gama de anti-fúngicos, cada um destinado a uma região específica do corpo. Eles podem ser tópicos, orais ou injetáveis.

Veja também