Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ekonomista
Ekonomista
27 Jan, 2017 - 07:12

Macau mostra pandas bebés pela primeira vez ao público no Ano Novo chinês

Ekonomista

Terá lugar uma série de atividades, como desfiles, espetáculos, concertos, feiras e exposições, e a primeira apresentação pública do par de pandas bebés.

Macau mostra pandas bebés pela primeira vez ao público no Ano Novo chinês

Os pandas bebés gémeos vão poder ser vistos primeira vez pelo público a partir desta sexta-feira, dia 27, véspera do Ano Novo chinês, e até 12 de fevereiro, apenas durante duas horas por dia.

“Jian Jian” e “Kang Kang”, ambos do sexo masculino e cujos nomes ditos em conjunto significam “saúde”, foram os primeiros nascidos em Macau, sendo filhos do mais recente casal de pandas gigantes oferecido pela China à sua Região Administrativa Especial.

A primeira aparição pública dos pandas é uma das múltiplas atividades programadas para celebrar a entrada no Ano do Galo. No primeiro dia no novo ano, sábado 28, sai à rua a parada do Dragão Gigante e também o Deus da Fortuna e os três Deuses da Felicidade, Longevidade e Prosperidade, além dos 12 signos do zodíaco chinês, cujas atuações se estendem ao dia de domingo.

Durante o fim de semana, inúmeros espetáculos protagonizados por grupos da China, de Hong Kong, da Colômbia, Espanha, Alemanha ou Estados Unidos, também vão animar a cidade, com a Marcha de Alfama a representar Portugal nas festividades.

Durante este período festivo muitas outras atividades, desde concertos, a espetáculos de variedades, passando por ‘workshops’ ou feiras vão ter lugar, um pouco por toda a cidade, organizadas por diferentes entidades.

Revelada foi também a estátua do novo ano lunar que fica à entrada, do lado da Taipa, da primeira ponte de Macau, a Governador Nobre de Carvalho, uma obra da autoria do engenheiro português Edgar Cardoso inaugurada em 1974, por onde apenas circulam transportes públicos.

O galo, com três metros de altura, de cor dourada e “olhos brilhantes”, veste “uma túnica vermelha chinesa” e segura, numa das mãos, um dístico alusivo ao Ano Novo chinês, apresentando­-se com “uma postura vigorosa”, “dando a sensação de vitalidade”, descreve o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM).

O Ano Novo Chinês, também conhecido como Festival da Primavera, é uma tradição com mais de 2 mil anos na China e é a principal festa de reunião das famílias chinesas, que leva milhões de pessoas a percorrerem centenas de quilómetros até à terra natal, naquele que é o maior movimento migratório do mundo.

Veja também: