Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Clara Cardoso Barreiros
Clara Cardoso Barreiros
17 Ago, 2018 - 12:12

Passar mais tempo sozinho pode ser sim muito bom

Clara Cardoso Barreiros

Muito rápida, e irrefletidamente, se chega à conclusão de que fazer coisas sozinho é comportamento de pessoas socialmente ineptas. Mas será mesmo?

Passar mais tempo sozinho pode ser sim muito bom

Aparecer sozinho num evento, viajar sem companhia, e coisas do género, muitas vezes provoca um sentimento de pena nos outros: “Coitado, deixaram-no pendurado”, “Não deve ter amigos…”, “Estará com uma depressão?”. Não necessariamente. Não há problema nenhum em fazer coisas sozinho, quando é isso que realmente lhe sabe bem fazer. Não é absurdo que prefira a sua própria companhia, ou eventualmente a de estranhos, em contextos que “normalmente” envolveriam pessoas conhecidas.

5 ideias para fazer mais coisas sozinho

estar sozinho

1. Dê mais de si aos seus hobbies

Se há coisas que realmente gosta de fazer e não tem companhia, não se coíba, faça à mesma, e dê tudo de si. Se por acaso houver grupos que partilham dos mesmos interesses, e se quiser participar, não tenha medo de os abordar e entrar sozinho. Ou então pode criar o seu próprio grupo, se acha que isso lhe faz sentido.

2. Vá a eventos profissionais e conferências

Neste tipo de eventos, não se espera que as pessoas tragam necessariamente companhia, só o seu interesse pelo tema. E, por já haver um tema de interesse comum a todos os presentes, à partida as conversas durante os intervalos não têm de ser forçadas, confrangedoras ou de circunstância.

3. Inscreva-se em formações e workshops

Se está numa de aprender coisas novas, vá independentemente de ter ou não companhia, e, quem sabe, conhecer pessoas interessantes (ou não).

4. Viaje sozinho

Se está receoso de viajar sozinho a 100%, porque não inscrever-se em excursões com desconhecidos e testar as águas? A correr bem, da próxima vez já pode fazer-se à estrada sem medos!

5. Desfaça o estigma

Aos poucos e poucos contrarie as ideias pré-concebidas sobre estar-se sozinho. Sempre que sentir que provoca pena e dó nos outros, explique-lhes por que é que gosta de fazer coisas sozinho. A liberdade que sente. A falta de exigências, cobranças e conflitos. A capacidade de aproveitar o seu tempo ao seu próprio ritmo. A abertura e pré-disposição a novas experiências de uma forma mais orgânica e espontânea. O poder refletir sem grande ruído. O sentir-se satisfeito na sua pele, conhecer-se, estar bem resolvido consigo próprio… Pode ser até que consiga evangelizar o gosto por fazer coisas sozinho, quem sabe!

Isto tudo para voltar a sublinhar que não há problema nenhum em fazer coisas sozinho. Não procure companhia só para ter validação social: nenhuma aprovação exterior vale mais que a opinião que tem de si próprio. E, em boa verdade, ter uns momentos de paz solitária são muito necessários à saúde mental de qualquer um. Por isso, vá sem medos.

Veja também: