Ekonomista
Ekonomista
23 Nov, 2022 - 11:05

Web Summit: para onde vamos a partir daqui?

Ekonomista

Mais de 70 mil pessoas foram à Web Summit e tentaram perceber por onde os negócios podem avançar numa altura de tantas incertezas.

Entre 1 e 4 de Novembro teve lugar a Web Summit 2022 na Altice arena & Fil, em Lisboa. Neste ano, a maior plataforma industrial que reúne fundadores e executivos de empresas tecnológicas, empresas em rápido crescimento, políticos e chefes de estado reuniram mais de 70 mil participantes da indústria tecnológica – participantes de 160 países em mudança.

Marcaram presença os gigantes da indústria informática, tecnologia da informação, fintech, comércio eletrónico, aprendizagem de máquinas, inteligência artificial, tecnologia de transmissão de dados, a Internet das coisas, grandes dados em vários sectores industriais como Google, Microsoft, Samsung, Siemens, Apple, Amazon e muitos outros.

O objetivo principal do evento é o de ajudar as empresas a encontrar parceiros, empregados, ideias, desenvolvimento e investimentos. Também para responder à pergunta que hoje, numa época de altos riscos e de grande incerteza, é mais aguda do que nunca para os negócios: onde avançar? Afinal, os participantes da Web Summit são especialistas nas suas áreas, selecionando os necessários produtos e tecnologias capazes de reconhecer a singularidade e promessa de um novo arranque ou empresa

Um exemplo disso é a jovem empresa Bringo, com sede em Londres, que começou em 2019 com um nicho de mensagens SMS altamente especializado. Dentro de apenas três anos, entrou no top 10 mundial em termos de volume de tráfego, concluindo acordos de cooperação com mais de 300 operadores móveis e expandindo assim a sua área de cobertura para quase todo o mundo. Entre os seus parceiros contam-se gigantes informáticos como a Amazon, Tik-Tok e outros.

Porém, o tempo lança novos desafios e novas perspetivas, como demonstrou a exposição de Lisboa. O operador de SMS revelou ontem os seus últimos produtos de ciber-segurança. A empresa ajuda tanto marcas conhecidas como clientes comuns com o seu software, fornecendo proteção contra phishing, hacking e tentativa de acesso não autorizado a dados pessoais. Constitui a resposta da indústria das TI ao recente aumento das tentativas de roubar dinheiro aos utilizadores comuns de serviços de Internet.

Além da exposição, onde cada participante pode fazer uma declaração contando ao mundo inteiro a história da sua marca, e mostrar aos investidores, dos quais mais de mil pessoas vieram desta vez, os seus melhores produtos e projetos em educação, medicina, entretenimento, meios de comunicação e análise.

Na cimeira intervieram mais de mil oradores – representantes das principais empresas globais, políticos e figuras públicas. Entre eles: Changpeng Zhao, co-fundador e CEO de Binance; Lisa Jackson, VP de Iniciativas Verdes da Apple; Nick Storonsky, fundador e CEO de Revolut; António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal; Noam Chomsky, linguista, filósofo, escritor, crítico social e ativista. Eles partilharam as suas visões para o futuro: direções e projetos a explorar, e como fazer crescer empresas e ganhar dinheiro numa crise.

Deverá ser dada especial atenção ao projeto da Intis Telecom britânica, que apresentou a zona de domínio it.com na Cimeira da Web. Visitantes do evento poderiam aprender mais sobre as vantagens da zona de domínio, assim como falar com representantes da empresa e peritos convidados.

A Intis Telecom obteve o estatuto de registador oficial este Verão e no final da WEBSUMMIT tinha vendido mais de três mil nomes de domínio. Além disso, todos podiam experimentar o novo gerador de nomes de domínio AI, que foi anunciado durante o evento.

Essa solução, baseada na aprendizagem de máquinas, ajuda a selecionar domínios que são ótimos em termos de temas e de otimização de motores de busca, poupando assim tempo aos potenciais proprietários de websites corporativos e pessoais.

A próxima Web Summit 2023 terá lugar em Lisboa, em Novembro.

Veja também

Artigos Relacionados