8 exames que podem salvar a vida de uma mulher

A deteção precoce das patologias é essencial para o nosso bem-estar. Saiba quais os exames que podem salvar a vida da mulher.

8 exames que podem salvar a vida de uma mulher
A prevenção é sempre o melhor remédio

Quando detetadas a tempo, diversas patologias podem ser curadas facilmente sem risco de sequelas para o paciente. Ao longo da vida, são vários os exames que podem salvar a vida da mulher.

A deteção precoce de cancro e outras patologias médicas é fundamental para a escolha da terapêutica mais eficaz e, ao mesmo tempo, menos abrasiva para o sistema imunológico do paciente. 


8 exames que podem salvar a vida da mulher

 

1. Despiste do cancro cervical

O cancro cervical é exclusivo das mulheres mas, hoje em dia, já não tem de ser uma sentença de morte. O exame de Papanicolau (também classificado como esfregaço cervical) é o melhor método para detetar qualquer anomalia a tempo de ser tratada eficazmente.

A Liga Portuguesa Contra o Cancro aconselha todas as mulheres com mais de 21 anos a realizarem este teste ou a iniciarem os processos de vigia três anos após o início da atividade sexual. Este é um dos exames que pode salvar a vida da mulher e deve ser repetido de três em três anos.
 


2. Despiste do Cancro da Mama

Os especialistas aconselham ao auto-exame da mama a partir dos 20 anos. Apesar de ser raro nesta faixa etária, quando surge o desenvolvimento é mais rápido e, por isso, é importante que cada mulher perceba a importância da apalpação. Em caso de assimetrias, dor ou alteração notória da cor da pele é essencial que a mulher consulte o seu médico.

Só em Portugal, são detetados 6 mil novos casos de cancro da mama todos os anos. Ainda assim, nos últimos 20 anos, os casos da doença em estado avançado passaram de 40% para 5%. É mais um dos exames que podem salvar a vida da mulher se forem realizados a tempo.
 


3. Análise ao colesterol

É importante estar sempre consciente dos níveis de colesterol, já que são um dos principais indicadores de risco do Acidente Cardiovascular (AVC). As análises e a medição da tensão devem ser feitos regularmente.
 


4. Exame oftalmológico

Ainda que não seja detetado nenhum problema de visão, é aconselhável realizar um exame oftalmológico aos 40 anos para despistar o glaucoma (que pode levar à cegueira). Se tiver diabetes ou hipertensão é essencial que faça o exame todos os anos (é gratuito e pode ser feito em qualquer ótica).
 


5. Despiste de Desintometria Óssea

Com a menopausa, a perda de massa óssea é muito comum. Por isso, o Instituto Português de Reumatologia aconselha à realização do exame que avalia a densidade dos ossos. Ainda que os casos de menopausa comecem a ser registados cada vez mais cedo, este exame deve ser feito a partir dos 65 anos. 
 


6. Controlo da tensão arterial

É essencial manter um controlo apertado da saúde do coração. Uma tensão igual ou ligeiramente abaixo dos 130/80 é normal. Números muito distantes destes valores devem ser sinais de alarme. Faça check-ups com regularidade.
 


7. Exame da pele

É essencial estar atento ao estado da pele em qualquer altura do ano, ainda que o verão seja propício para o desenvolvimento dos problemas de pele. A alteração da cor e tamanho, bem como o aparecimento de novos sinais é, na maior parte dos casos, inofensiva. Ainda assim, é importante confirmar com um especialista caso sejam registadas algumas destas alterações. Em Portugal, todos os anos, surgem cerca de 7000 novos casos de cancro da pele maligno.



8. Colonoscopia

A presença de sangue nas fezes é um indicador de que alguma coisa pode estar errada. A colonoscopia serve para despistar os casos de cancro através de um exame que deteta lesões malignas ou pré-malignas nas paredes do intestino. Quando há histórico familiar de casos de cancro do colo-retal, a colonoscopia deve ser feita aos 45 anos e repetida a cada cinco anos. Em Portugal, mais de 4000 pessoas morrem, por ano, à conta do cancro do intestino.

Veja também: