5 passos para planear a reforma

Já começou a planear a reforma? Se ainda não o fez deve-o fazer o quanto antes. Conheça cinco passos para planear a sua reforma.

5 passos para planear a reforma
Não deixa para amanhã.

A importância de planear a reforma atempadamente é uma questão consensual no panorama social e económico atual. Contudo, seja por tendência para descurar o futuro mais longínquo (a ideia comum de que ainda falta muito para a reforma), seja por dificuldades de organizar o essencial no que concerne a planear a reforma, muitos acabam por não se acautelar convenientemente. Debruçando-nos, essencialmente, neste último ponto, conheça cinco passos que deve seguir para planear a sua reforma adequadamente e garantir uma qualidade de vida similar à de quando estava na vida ativa.
 

Como planear a reforma?

1. Imagine-se na reforma.
Procure idealizar como desejaria viver quando estiver na reforma (naturalmente com base em verossimilhança) e depois faça uma estimativa dos recursos que necessitará para suportar essa visão. Não se esqueça de se preparar também para situações inesperadas (imponderáveis). Neste ponto entram, por exemplo, despesas médicas, um custo com tendência para aumentar com o decorrer da reforma e o passar da idade.


2. Defina o seu período de reforma, ou seja, quando pretende solicitar a reforma.
Lembre-se das penalizações se optar pela reforma antecipada. Assim, o exercício implica, ainda, o acompanhamento regular da idade da reforma.


3. Estime o valor da Pensão de Reforma.
Pode, por exemplo recorrer a simuladores. Estimar o valor da pensão de reforma da Segurança Social (ou da Caixa Geral de Aposentações), juntamente com o ponto anterior, são fulcrais para se preparar para algum ajustamento no seu plano de reforma.


4. Opte pelos investimentos certos para a reforma (complementos de reforma).
Quando pensámos em poupar para a reforma, os planos poupança-reforma (PPR) surgem como a opção mais lógica, mas esta está longe de ser a única opção disponível e nem sempre é a mais adequada. O tipo de investimento que deve adoptar para poupar para a reforma depende dos anos que faltam para a reforma e do perfil de cliente. Consulte um especialista, se necessário, para saber qual o melhor investimento para si.


5. Não se esqueça de avaliar os riscos das aplicações financeiras.
Qualquer complemento de reforma (PPR ou fundos de pensões, por exemplo) tem riscos associados. Avalie-os. Lembre-se que, além de garantir o reaver do capital aplicado, é importante garantir que a poupança para a reforma efetuada ao longo da vida permita obter uma remuneração extra na data em que terá de recorrer a esses fundos.
Poupar para uma vida desafogada - porque a sua reforma merece >>
Veja também: