Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
02 Nov, 2021 - 09:30

Ar condicionado no inverno: sim ou não? E mais 4 dicas para poupar

Catarina Milheiro

Quer investir num sistema de ar condicionado no inverno? Conheça todas as vantagens e desvantagens, e saiba ainda como poupar.

Jovem mulher liga o ar condicionado durante inverno

Os dias de bom tempo parecem invadir o início do outono, mas a verdade é que as temperaturas são cada vez mais inconstantes e são muitas as pessoas que já estão a pensar no aquecimento da casa. Para quem já o fez ou pensa investir num sistema de ar condicionado no inverno, temos dicas úteis para garantir o máximo de poupança com a fatura da eletricidade.

No fundo, esta é uma solução rápida para conseguir obter a temperatura ideal dentro da sua casa, sem que tenha que recorrer a outros aparelhos, por vezes inconvenientes, ou soluções mais tradicionais. E isto vale para qualquer altura do ano, seja fria ou de calor.

Se tem dúvidas sobre colocar um sistema de ar condicionado no inverno em sua casa, fique connosco e descubra as dicas que o vão ajudar a poupar – mas sem abrir mão do conforto.

ar condicionado em casa

Ar condicionado no inverno: vantagens de desvantagens

Um dos aparelhos mais comuns para manter os ambientes quentes nas épocas frias do ano é o ar condicionado. Existem diversas opções no mercado, para todos os bolsos, e sabemos que este sistema é uma tendência que veio para ficar. Por isso mesmo, queremos que saiba tudo.

Como funciona o ar condicionado no inverno?

De um modo geral, o funcionamento do aparelho visa, fundamentalmente, o aquecimento do ar ao longo do inverno e o arrefecimento do ar durante o verão (sempre dentro de espaços fechados).

Trata-se de um sistema cíclico em que, numa fase inicial, o ar frio é captado pelo equipamento e comprimido de forma a transformar-se em ar quente de alta pressão através da evaporação de um fluído refrigerante.

É importante referir que a principal função de um ar condicionado é a de manter constante a temperatura e a qualidade do ar interior – podendo mesmo ser utilizado em espaços comerciais ou domésticos.

Vantagens:

  • Mais-valias ao nível da saúde: ao optar por proporcionar um ambiente adequado em termos de temperatura e qualidade do ar interior, conseguirá alcançar algumas mais-valias ao nível da saúde, como a redução da fadiga física, por exemplo. Para além disto, as funções de filtragem do ar permitem que desfrute de um ambiente sem bactérias nem bolores, reduzindo o risco de aparecimento de doenças respiratórias e alergias.
  • Conforto térmico: umas das grandes vantagens da utilização de um sistema de ar condicionado no inverno é precisamente a capacidade de conservar o espaço numa temperatura ideal – traduzindo-se em conforto e sensação de bem-estar.
  • Funcionalidades económicas: quase todos os aparelhos de ar condicionado possuem funcionalidades mais económicas para que seja possível poupar na conta da eletricidade. Por exemplo a função sleep, que é umas das mais procuradas porque é capaz de controlar a temperatura do ambiente de acordo com o seu sono, de forma constante e leve.
  • Rápida Instalação: no inverno a procura por sistemas de ar condicionado não é tão elevada como nas estações mais quentes do ano. Assim, a disponibilidade das marcas e respetivos técnicos é maior, permitindo que a instalação seja efetuada de forma rápida e eficaz.

Desvantagens:

  • Exige alguns cuidados: não basta instalar um ar condicionado no inverno para aquecer ou manter a temperatura no ambiente em questão. A verdade é que se este aparelho for usado com frequência é essencial que se façam limpezas dos filtros da evaporadora para garantir a eficácia e boa qualidade do ar.
  • Contra indicações no uso do ar condicionado para dormir: assim como existem benefícios na utilização do ar condicionado para dormir, também há algumas contra indicações. Para quem sofre de enxaquecas, desidratação ou contrações musculares, o uso prolongado durante as noites frias de inverno pode não ajudar.
  • Custos associados: atualmente já existem sistemas de ar condicionado bastante em conta. Em geral, acabam por ser sempre aparelhos mais caros do que um simples aquecedor (que não exige instalação por parte de um profissional, por exemplo).

4 dicas para poupar no ar condicionado no inverno

Muitos ainda ponderam sobre a utilização do ar condicionado no inverno, face a sua má fama no quesito poupança. A maioria das pessoas está consciente que a utilização frequente, ou desajustada, destes sistemas pode fazer disparar a conta de luz num ápice.

Então, a nossa ajuda vem nesse sentido: de orientar para a poupança durante a sua utilização no tempo frio.

1.

<strong>Para conseguir poupar, faça uma boa e regular manutenção</strong>

Uma das melhores dicas para conseguir poupar no ar condicionado no inverno é precisamente fazer uma boa manutenção de forma regular. Tal aspeto tem um impacto significativo em termos de poupança de energia.

Ou seja, se o seu objetivo é poupar no ar condicionado de sua casa deve estar atento à sua manutenção e necessidade de limpeza.

Por exemplo: o filtro deve ser limpo, aproximadamente, duas vezes por mês. Ao fazer este tipo de limpeza regular, está a garantir que o seu sistema funciona sem desperdícios e sem qualquer esforço adicional.

Para além disto, não se esqueça nunca de verificar se as saídas de ar se encontram obstruídas.

Já no que diz respeito a uma manutenção mais especializada, é aconselhável que uma vez por ano veja se está tudo a funcionar corretamente. Caso precise de um profissional, não se esqueça de comparar orçamentos.

2.

<strong>A compra certa pode ser sinónimo de poupança imediata</strong>

Escolha o seu eletrodoméstico com base na eficiência energética, pois o impacto da mesma nas faturas mensais da luz e água é muito significativo. Por isso, se está a pensar adquirir um sistema de ar condicionado no inverno tenha este fator em consideração.

Apesar de o investimento ser um pouco mais elevado, na maioria das vezes vai conseguir poupar a médio/longo prazo. Na verdade, uma boa solução é mesmo questionar o vendedor sobre as melhores opções em termos de preço e gasto médio de cada equipamento.

No momento de comparar modelos, peça ajuda e informações sobre a tecnologia inverter. Isto porque, esta tecnologia é capaz de controlar a rotação do compressor de acordo com a necessidade de refrigeração para manter o ambiente da casa numa boa temperatura.

De uma forma geral, deixa de haver um pico de energia no momento de partida do compressor – o que permite poupar bastante no consumo de energia.

3.

<strong>Esteja atento ao local onde coloca a unidade exterior do ar condicionado</strong>

Sabia que a colocação da unidade exterior do ar condicionado afeta o desempenho energético do mesmo? Por esse motivo é crucial que se certifique que a unidade interior e a unidade exterior não estão muito longe uma da outra.

Caso consiga encurtar a distância que tem atualmente, o seu sistema de ar condicionado vai funcionar de forma mais rápida e eficaz. Para além disto e sempre que for possível, tente que a unidade exterior fique o mais abrigado do sol.

4.

<strong>A roupa que tem vestida também pode influenciar na poupança</strong>

Parece-lhe uma tema um pouco estranho? A verdade é que faz todo o sentido. Há quem vista uma t-shirt e defina uma temperatura de 24 graus para o ar condicionado no inverno. O que traduz-se num enorme esforço do equipamento. O resultado: mais consumo, faturas mais altas.

Outra situação comum é a opção de ligar o ar condicionado para, depois, com o passar do tempo, decidir se o ambiente está frio ou quente. Tira-se uma peça de roupa, veste-se outra – e, assim, sucessivamente. É quando há lugar para uma tendência: a de alterar, constantemente, a temperatura de programação do aparelho.

O ideal é mesmo, sempre que chegar à casa, aquecer o corpo que chega das ruas geladas e, de seguida, ligar o ar condicionado. O próximo passo é colocar-se à vontade com uma roupa mais leve, mas adequada à estação do ano em que estamos.

Temperatura ideal para o ar condicionado no inverno: a diferença de temperaturas entre o exterior e o interior da casa não deve ser mais do que 10 ou 12 graus – ou seja, se lá fora estão 5 graus, o interior das nossas casas, sem recurso a aparelhos de aquecimento, deve estar 10 ou 12 graus acima, no máximo. O ar condicionado deve estar programado para rondar os 22 graus no inverno.

Ar condicionado ou outros aparelhos?

A escolha será sempre sua, tendo em consideração a frequência de utilização, o tamanho do espaço onde quer colocar o sistema no inverno, o dinheiro que tem para gastar e claro, o número de pessoas com quem vive.

Tudo isto são fatores que influenciam na escolha de um potencial sistema de aquecimento para os dias mais frios. Porque, no fundo, não existem só os sistemas de ar condicionado.

Ar condicionado ou aquecimento central?

Enquanto o ar condicionado tem apenas uma fonte de energia (a luz), o aquecimento central pode ter várias fontes de energia: o gás, a eletricidade e até mesmo o gasóleo.

Para quem tem casas enormes e espaçosas, o aquecimento central será mais eficaz do que a instalação de um sistema de ar condicionado – visto que permite um aquecimento mais uniforme e homogéneo em toda a casa.

Contudo, esta é uma opção que deve ser feita por si tendo sempre por base a conversa com os técnicos da área, para que escolha a opção mais indicada.

Ar condicionado ou recuperador de calor?

Se o objetivo for somente a utilização da função quente do aparelho para aquecer os ambientes, talvez a melhor opção seja o recuperador de calor. Se, no entanto, sente falta de arrefecimento no ambiente nas alturas quentes do ano, o ar condicionado é boa ideia.

Assim, talvez lhe compense mais investir num ar condicionado do que num recuperador – já que o preço é, normalmente, o mesmo.

Por exemplo: numa sala relativamente pequena, colocar um ar condicionado ou um recuperador de calor vai fazer exatamente o mesmo efeito. Contudo, enquanto um ar condicionado pode conter as funções de quente e frio e pode, por isso, ser utilizado também no verão, um recuperador de calor só servirá para as épocas frias do ano.

Veja também