Publicidade:

Cheque dentista: tudo o que precisa de saber

A saúde oral não deve nem pode ser descurada. Saiba tudo sobre o cheque dentista, nomeadamente quem são os beneficiários e como funciona.

Cheque dentista: tudo o que precisa de saber
Descubra quem pode usufruir deste serviço

A saúde oral sempre foi, de forma geral, uma área negligenciada pelos portugueses, especialmente pelos que têm pavor dos dentistas. Nos últimos anos, porém, as coisas parecem ter começado a mudar e os dentes ocupam, cada vez mais, uma posições cimeira nas preocupações do dia a dia. Para dar força a esta tendência surgiu o cheque dentista, que veio facilitar o acesso a estes cuidados de saúde.

Sim, acabaram-se mesmo a desculpas para fugir à consulta de dentista. Está na altura de conhecer melhor este serviço e saber quem o pode utilizar.

O que é o cheque dentista e como funciona


saiba o que é o cheque dentista

Criado no âmbito do Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral, o cheque dentista dá acesso a um vasto conjunto de cuidados de medicina dentária que abrange a prevenção, o diagnóstico e o tratamento. O objetivo destes cheques é avaliar e diminuir a incidência e prevalência das doenças orais na população portuguesa.

Para beneficiar deste programa de cheques, deve dirigir-se ao seu centro de saúde para que o médico de família o avalie e lhe disponibilize o cheque dentista.

Depois, pode escolher qual o prestador que prefere de entre os médicos estomatologistas e dentistas aderentes, cuja lista se encontra disponível nos centros de saúde e no site do Programa Nacional de Saúde Oral.

O cheque dentista cobre a totalidade dos atos que estão previstos no plano de tratamento estabelecido na primeira consulta com o dentista. Deve assinar o cheque, de modo a confirmar os cuidados prestados, para que depois o médico o possa enviar à respetiva Administração Regional de Saúde.

Quem tem acesso ao cheque dentista


Apesar de este ser um serviço gratuito que veio facilitar a disponibilidade dos cuidados de saúde oral, é preciso ter atenção aos critérios que definem o acesso aos cheques. O programa foi criado com o intuito de se destinar a um grupo específico de pessoas:

a) Crianças até aos 6 anos de idade, em situação que seja considerada grave (com base em critérios como a dor e o grau de infeção);

b) Crianças entre os 7 e os 10 anos e que frequentem escolas públicas ou IPSS têm direito a 2 cheques-dentista;

c) Jovens com idades entre os 13 e os 15 anos recebem 3 cheques dentista;

d) Jovens de 18 anos que tenham sido beneficiários do programa e concluído o plano de tratamentos até então;

e) Aos idosos, partir dos 65 anos, são oferecidos 2 cheques anuais;

f) As grávidas seguidas no Serviço Nacional de Saúde usufruem de 3 consultas, que podem ocorrer até 60 dias após o parto;

g) Para os pacientes com VIH, o programa prevê 6 cheques – o primeiro é atribuído pelo médico de família e os restantes pelo dentista;

h) Os pacientes de alto risco (lesões suspeitas na boca, fumadores, consumidores de álcool, historial de tumores, etc.) têm direito a 2 cheques por ano para diagnóstico e outros 2 para biopsias.

Veja também:

Inês Pereira Inês Pereira

Licenciada em Jornalismo e Pós-Graduada em Branding e Content Marketing, sempre se deu bem com a escrita. Embora prefira escrever com um teclado, não acredita nessa ideia de ler um livro através de um ecrã: um livro lê-se em papel e tem um marcador. Gosta de fotografia, de história e de conhecer o mundo.