Publicidade:

O pequenote não quer deixar a chupeta? Estas 10 dicas vão ajudar

O uso da chupeta e a idade em que a criança deve deixar a chupeta continuam a ser temas de discussão. Descubra até quando deve a criança usar chupeta.

O pequenote não quer deixar a chupeta? Estas 10 dicas vão ajudar
Chupeta, sim. Mas até quando?

As opiniões dos profissionais de saúde sobre o uso das chupetas dividem-se e se há quem defenda a 100% a sua utilização, há também quem as desaconselham completamente. Usar chupeta tem vantagens e desvantagens e parece ter mais benefícios que prejuízos, daí que o seu uso seja maioritariamente incentivado. O problema surge quando chega a hora de deixar a chupeta.

Deixar a chupeta nem sempre é uma tarefa fácil e não é difícil compreender o porquê. A chupeta é um objeto de conforto, que funciona como um calmante natural, que tranquiliza os bebés e os pais.

Usar chupeta, sim, mas até quando?


Antes de mais, importa clarificar que as idades são sempre discutíveis, até porque todos os bebés são diferentes e importa não cair em fundamentalismos que criem nos pais e nas crianças ansiedade e preocupações desnecessárias.

De forma geral, a partir dos 18 meses o bebé deve começar a deixar de usar a chupeta durante o dia. A partir desta idade, os pais podem incentivar o bebé a recorrer à chupeta apenas nas situações de cansaço e sono.

Já o ato de deixar a chupeta definitivamente, incluindo na hora de adormecer, deve ser negociado com as crianças e costuma acontecer por volta dos 2 anos e meio ou, o mais tardar, por volta dos 3 anos de idade. Durante este processo, algumas crianças podem sentir a necessidade de ter um objeto de transição, como um brinquedo macio e aconchegante, que lhes faça companhia durante o sono.

Deixar a chupeta deve acontecer de forma gradual. As crianças não devem ser obrigadas a deixar a chupeta. Este processo deve ser muito negociado e conversado. As crianças devem compreender o porquê da retirada da chupeta.

10 dicas para o seu pequenote deixar a chupeta


Chegou a hora de deixar a chupeta e as birras são inevitáveis, mas não desanime nem desista, estas dicas vão ajudar.

deixar a chupetaFonte: Unsplash/sharonmccutcheon

1. Os pais não devem ficar obcecados. Não devem forçar nem usar medidas drásticas;

2. O uso da chupeta pode começar por ser restringido a alguns momentos do dia ou em determinadas situações, para que o processo decorra de forma gradual;

3. Os adultos não devem censurar a criança nem fazer comentários negativos;

4. Devem conversar com a criança e explicar calmamente a importância de deixar a chupeta;

5. Devem negociar com a criança uma data para em conjunto deixarem a chupeta. A chupeta não deve ser retirada de forma brusca nem repentina;

6. Reforcem a ideia de que as crianças mais velhas não usam chupeta. Podem dar o exemplo de um irmão ou de um primo mais velho que a criança admire;

7. Os pais devem sensibilizar os restantes adultos que lidam com a criança para que lidem da mesma forma com a retirada da chupeta;

8. Os adultos que lidam com a criança devem fazê-la sentir-se segura, sobretudo na hora de dormir, para que esta perceba que não há qualquer perigo e que não precisa do conforto da chupeta;

9. Devem tentar perceber em que momentos do dia a criança sente maior necessidade da chupeta e tentem dar-lhe mais atenção, carinho e aconchego nesses momentos;

10. Celebrem e elogiem a criança pelos pequenos sucessos que vai alcançando no processo de deixar a chupeta.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Além da Psicologia. é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que traga mais felicidade!