Publicidade:

Palavrões, mau humor e exercício: liberte-se com o Yoga da Raiva

O Yoga da Raiva é uma nova modalidade, com origem no Canadá, mas que promete conquistar o mundo. Começa com palavrões e termina numa cervejinha.

Palavrões, mau humor e exercício: liberte-se com o Yoga da Raiva
Uma nova modalidade para conhecer

Talvez ainda não tenham ouvido falar de yoga da raiva, originalmente conhecido como Rage Yoga. Podemos adiantar que há, naturalmente, aspetos em comum com a atividade física tradicional, embora o yoga da raiva, como o nome indica, tenha algumas caraterísticas bem diferentes.

É consensual que, nos dias de hoje, o stress domina grande parte da nossa sociedade e da nossa vida e todos, de algum modo, buscamos formas de nos libertar dele. Acontece que nem sempre encontramos o modo certo de o conseguir fazer e até as modalidades tidas como mais relaxantes são capazes de nos irritar. Se é o seu caso, talvez seja um sério candidato ao yoga da raiva…

Yoga da Raiva: deite tudo cá para fora


yoga da raiva

O Yoga da Raiva, ou Rage Yoga, é uma nova modalidade, criada por Lindsay Istace, no Canadá, e que atrai cada vez mais praticantes. Conjuga o exercício físico, caraterístico do ioga, com a verbalização de palavrões. Inesperado, certo?

No yoga da raiva, há alongamentos, exercícios de posição e mau humor, com o objectivo de ficar saudável e super zen, enquanto se lançam uns quantos impropérios. Mas e se for esta uma excelente receita para combater o stress e ainda trabalhar o corpo? No Canadá, já são muitos os seguidores deste fenómeno que promete espalhar-se um pouco por todo o mundo.

O yoga e os… palavrões

Bem, comecemos pelo yoga. Já é conhecido o seu poder relaxante, que o coloca como uma das modalidades mais benéficas para o alívio do stress. O seu poder calmante proporciona uma sensação única de bem-estar aos seus praticantes.

Já quanto aos palavrões, todos sabemos que, por vezes, deixar escapar um palavrão ajuda a aliviar o stress e até parece que a dor que sentimos ao trilhar um dedo diminui, depois de lançarmos um impropério.

E isto mesmo foi comprovado por um estudo da Universidade de Keele, no Reino Unido, que concluiu que soltar uma palavra menos bonita pode mesmo aumentar a resistência à dor. Muitos psicólogos concordam que dizer um palavrão tem um efeito libertador, alivia e afasta sentimentos de ódio e frustração.

Diferenças em relação ao yoga convencional

Se está familiarizado com algumas posições do ioga convencional, mesmo que nunca o tenha praticado, saiba que o yoga da raiva tem, naturalmente, algumas diferenças, nomeadamente:

  • o habitual silêncio do ioga tradicional dá lugar a gritos de raiva e de fúria. Os praticantes são, por isso, livres de falar e, acima de tudo, de dizer palavrões com fartura, sem juízos, nem olhares de reprovação.
  • os alongamentos também têm espaço neste ioga, sendo no entanto (como dizer…) mais criativos. Sinais ofensivos com os braços, mãos e, particularmente, com os dedos (ou com o dedo do meio, mais exatamente) são absolutamente permitidos e incentivados.
  • no intervalo das aulas, não há chá, nem bolachinhas, mas antes umas garrafas de cerveja para degustar, enquanto se conversa relaxada e descontraidamente, sem tabus, nem pudores.

Aulas

Como referimos, este é um movimento com origem no Canadá e que, lentamente, começa a espalhar-se por todo o mundo, embora em Portugal ainda não tenha nenhuma organização devidamente formada e focada na sua prática e ensino.

Contudo, é possível comprar aulas online, diretamente à fundadora deste inesperado fenómeno. Há pacotes com vídeos e formações online capazes de o dotarem das bases do ioga, com exercícios de alongamentos e até tutoriais com 40 diferentes posturas de ioga. Tudo acompanhado de muitos gritos de guerra, que é como quem diz, de uns tantos ou quantos palavrões.

Para quem é professor de ioga convencional, saiba que também é possível tornar-se um instrutor certificado de yoga da raiva e trazer esta modalidade inovadora para o nosso país.

Se ainda ficou com dúvidas se esta é a atividade certa para si, então espreite o seguinte vídeo de apresentação e fique esclarecido.

Veja também: