Publicidade:

6 tipos de condutores que queremos evitar

Ao conduzir, temos não só de ter em atenção os nossos comportamentos, mas também os dos outros. Conheça 6 tipos de condutores que queremos evitar.

6 tipos de condutores que queremos evitar
Os companheiros de estrada com comportamentos de risco

Uma condução sustentável, segura e que respeite tanto as normas de segurança, como os outros condutores, é bastante importante. Infelizmente, seja por inexperiência, condições do automóvel ou falte de educação, há alguns tipos de condutores que queremos evitar. Lembre-que que, ao circular na estrada, tem de ter respeito não só pelas regras, mas também pelos outros. Mantenha-se alerta! Reconhece alguém nesta lista?

Os 6 tipos de condutores que queremos evitar

1. Os principiantes

Podem até existir dois tipos de condutores mais frescos: os que pensam que já sabem conduzir como se tivessem toda a experiência do mundo; e os que respeitam todas as regras de trânsito ao milímetro, muitas vezes demasiadamente à regra. Facilmente percebe de que caso se trata. Com estes condutores é preciso alguma paciência, ainda estão a aprender!

2. Os domingueiros

conduzir

Um termo bastante comum na gíria portuguesa. Refere-se àqueles condutores que parece que conduzem como se a estrada fosse toda para eles e só se têm de preocupar em apreciar a paisagem. Um passeio de domingo, que pode ser apenas irritante para os outros, ou pode mesmo significar um perigo de segurança rodoviária.

3. Os distraídos

conduzir

Pessoas que estão a comer, beber, usar o telemóvel enquanto conduzem… Já basta quando um condutor é distraído pelos seus passageiros. Ter fontes de distração externa completamente evitáveis é demasiado perigoso. Mantenha-se alerta. Um dos tipos de condutores que queremos evitar, sem dúvida.

4. Os zangados

A paciência é uma parte integral da condução, se bem que nem sempre é possível manter a calma. Falamos de condutores que fazem grande uso da buzina, que gesticulam ou praguejam de forma mais desagradável. E, em último caso, os que passam das palavras à ação. Paciência e cuidado!

5. Os muito mais velhos

Claro que nem todas as pessoas mais velhas conduzem da mesma forma, mas já todos passámos na estrada pelo típico idoso ou idosa agarrados ao volante, a antecipar longamente qualquer manobra, e a circular a velocidades mais baixas. Em determinados casos (auto-estradas, por exemplo), pode representar um perigo.

6. Os “donos disto tudo”

Os que agem segundo a lei da selva e não respeitam simples regras de etiqueta, nem demonstram qualquer bom senso. Desde roubar lugares de estacionamento, ignorar sinais de luzes, andar a furar de fila em fila para tentar passar à frente… A prepotência pode ser perigosa, além de irritante.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.

Também lhe pode interessar: