ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
20 Jan, 2021 - 15:18

Autocombustão: porque acontece, o que fazer e como evitar

Valdemar Jorge

Sabe porque é que um carro entra em autocombustão? O que deve fazer? Saiba como agir nesta situação e, também, como a evitar.

condutor com capot do carro aberto por motor em autocombustão

Ainda que raro, a autocombustão é um problema mecânico que pode acontecer e sobre o qual os condutores devem estar informados.

A entrada do motor em processo de autocombustão não afeta automóveis com motor de combustão a gasolina. Só os carros a diesel são propensos a este problema, que é raro, mas pode acontecer.

A verdade é que se não for resolvido rapidamente, o proprietário vê-se perante uma situação que pode levar à falência do motor e a um grande prejuízo. A solução, em casos muito graves, passa pela substituição do propulsor.

Os motores mais propensos a este tipo de problema são os diesel equipados com turbo.

Como é que um motor entra em autocombustão

Antes de explicarmos o que é que pode fazer se enfrentar uma situação desta natureza, vamos saber porque é que um motor diesel entra em processo de autocombustão.

Segundo especialistas, a combustão num motor diesel é diferente da realizada num motor a gasolina. Explicamos porquê:

  • O motor a diesel possui estrutura diferente da dos motores a gasolina (ou ciclo Otto);
  • No motor a gasolina o combustível é misturado com ar na câmara de compressão. Ambos são detonados com uma centelha. Deste modo origina-se a energia;
  • No motor a diesel o ar é comprimido e aquecido dentro da câmara. O combustível é injetado sobre este que entra em combustão. Neste motor não existe centelha durante o processo de combustão.

Devido a esta ação o motor a combustão diesel é propenso a desenvolver um processo de autocombustão que, quando ativo, não adianta desligar a ignição, pois o motor continua em funcionamento e aceleração.

No entanto, o acelerador não tem influência no processo uma vez que o motor, neste caso entra em funcionamento autónomo.

O que faz com que o motor entre em processo de autocombustão

Nenhum motor a diesel entra em autocombustão do “nada”. Assim, existe uma conjugação de um ou mais fatores para que tal suceda.

Neste sentido, importa lembrar que a autocombustão é um processo de aceleração involuntária do motor. O que controla este funcionamento é a entrada de ar. O que proporciona a atividade é a entrada anormal de combustível (mais do que é necessário).

Deste modo, uma de duas coisas acontece para que o processo se desencadeie:

  • O motor apresenta mau funcionamento e envia mais diesel para a câmara de combustão;
  • O motor passa a queimar o óleo lubrificante como combustível.

Este último é o caso mais comum de autocombustão.

Outros motivos possíveis

Podem acontecer outro tipo de falhas, tais como:

  • Óleo lubrificante passar pelo turbo;
  • Existir falha na válvula PCV que reduz a emissão de poluentes, levando gás do cárter de volta à admissão;
  • Utilização de combustível de qualidade inferior;
  • Condução agressiva;
  • Deficiente manutenção do nível do óleo lubrificante;
  • Não substituição do filtro de ar. Este quando saturado pode levar à passagem de óleo pelo sistema;
  • Acelerar antes de desligar o automóvel. Este hábito causa danos no turbo e facilita a entrada de óleo no sistema.

O que deve fazer se se confrontar com processo de autocombustão do motor

mulher a ver motor do carro em autocombustão

Deve ter presente que, se se deparar com uma situação de autocombustão do motor da sua viatura, poderá ferir-se durante o processo de resolução, e que deve procurar um local seguro para esperar por ajuda/socorro.

Em situações mais severas, pode acontecer que peças do motor se deteriorem ou partam, podendo causar ferimentos. Tudo pode acontecer em poucos minutos.

Despoletada a situação de autocombustão, o facto de desligar o motor (primeira ação que o condutor executará por instinto) não vai resolver o problema. Este vai continuar em processo de aceleração e emissão de fumo.

Os processos são diferentes se for caixa manual ou automática

Automóveis com caixa manual

Um dos processos que os técnicos avançam para desligar o motor é, no caso das viaturas com caixa de velocidades manual, acionar o travão de mão; travar a fundo no pedal respetivo, e engatar a relação de caixa mais alta.

Após isto, soltar a embraiagem para tentar que o motor afogue.

Se este procedimento resultar, ouvirá um forte barulho. Serão infligidos danos no motor, mas sempre menores do que resultará do processo de autocombustão.

Automóveis com caixa automática

Para os casos das viaturas que utilizam caixa automática o processo é não tão fácil. O condutor deve, no entanto, travar as rodas da viatura, com um calço; colocar a caixa de velocidades em D (Drive) e tentar acelerar.

Embora pareça um contrassenso este processo é um meio de desativação do efeito da embraiagem, sendo semelhante ao engatar do motor num automóvel com caixa manual. No entanto, este processo nem sempre tem o êxito esperado.

Existe um outro processo que os entendidos em mecânica explicam. Contudo, deverá ser aplicado apenas por quem domina ou tem bons conhecimentos de mecânica. Este processo traduz-se numa forma de interromper o fornecimento de ar ao sistema, fazendo com que o motor deixe de funcionar: tapar a admissão de ar.

Para efetuar este procedimento deverá ser usado um pano grosso ou material plástico, para evitar a passagem de ar. Por outro lado, se tiver um extintor no automóvel, pode utilizá-lo em direção à admissão, pois o fluxo irá cortar o fornecimento de ar ao motor fazendo que este acabe por parar.

Após conseguir que o motor pare, e dessa forma que o processo de autocombustão se extinga, não volte a colocar o motor em funcionamento.

Deve retirar a viatura da via, se for o caso, ou assinalar a avaria e solicitar a presença de reboque, através da assistência em viajem da respetiva companhia de seguros.

Depois de parar o motor

Concluído todo este difícil processo começa um outro, que poderá também não ser fácil e que se apresenta com duas variáveis:

  • Sucesso na forma de parar a autocombustão reflete-se na poupança de muito dinheiro na recuperação do motor;
  • Se o processo provocou sérios danos no motor, em última análise, só restará a compra de novo propulsor, onerando a resolução da situação.

Como evitar que o motor entre em autocombustão

Como já referido, esta é uma situação que, embora rara, pode acontecer. Assim, é importante que o condutor adote certos comportamentos, por forma a evitá-la. Por exemplo:

  • Realizar uma manutenção correta e dentro dos parâmetros emanados pelas diferentes marcas, nomeadamente fazendo a troca de filtro de ar e verificando após reposição o correto nível do óleo;
  • Colocação de combustível de qualidade;
  • Nas revisões, proceder à verificação do turbocompressor. Se o sistema indiciar presença de óleo, é sinal de que algo está errado;
  • Se, durante a condução, permanecer parado por períodos de tempo (exemplo: 15 minutos), ou em andamento lento, deverá fazer uma aceleração.
Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].