Artur Mariano
Artur Mariano
11 Mar, 2019 - 12:18
Bolha imobiliária? E se for uma bomba relógio?

Bolha imobiliária? E se for uma bomba relógio?

Artur Mariano

Vivemos no limite daquilo que eu penso que possa ser uma bomba relógio no imobiliário em Portugal. Quer no preço dos imóveis, quer no montante de crédito habitação concedido.

O artigo continua após o anúncio

Recentemente eu afirmei que um bom analista não é aquele que comenta o que se está a passar. Para mim, um bom analista é aquele que analisa o que se está a passar, prevê o que se vai passar no futuro com base no hoje e dá uma probabilidade de acontecimento.

Vamos ser claros. Todas as opiniões de analistas são meras teorias com uma probabilidade de acontecimento. E muitas teorias são muito reais e fundamentadas, mas nunca chegam a acontecer por meras “milésimas” e outras teorias que são infundadas e não têm razão de ser acontecem por uma sequência de eventos e “coincidência”.

É como, num jogo de Poker, eu achar que vou ganhar porque tenho um par de Reis e penso que o meu oponente tem um par de Valetes. Erro, porque o meu oponente tem um par de damas, mas ganho na mesma – e a minha previsão de ganhar esteve certa, com uma fundamentação errada.

Bomba relógio no imobiliário em Portugal

A minha teoria é que vivemos hoje no limite daquilo que eu penso que possa ser uma bomba relógio no imobiliário em Portugal.

Primeiro, no preço dos imóveis, que está sobrevalorizado de forma geral, o que me leva a concluir que existe uma bolha imobiliária nos centros urbanos de Lisboa e Porto.

Segundo, no montante de crédito habitação concedido (e no cariz desse crédito), o que me leva a concluir que, no caso de uma correcção económica e uma crise, muita gente pode muito bem ter que “entregar a casa ao banco”.

Neste vídeo explico-lhe exactamente porquê:

Havendo a possível hipótese de não acontecer o que eu digo (ou demorar 2, 3, ou até 4 anos a acontecer), o meu objectivo com este artigo é trazer-lhe dados concretos para que possa estar informado antes de comprar um imóvel… e reflectir se isso é de facto o melhor para si neste momento.

O artigo continua após o anúncio

Deixo-lhe apenas 3 dados muito relevantes:

1.  Os mercados estão sobrevalorizados. Não preciso de lhe dizer muito mais sobre isto com dados concretos. O meu conselho é olhar para as rendas e valores de compra que se praticam em Lisboa.

2. Está a ponderar taxa variável? Saiba que para o ano a taxa Euribor deve aumentar (consideravelmente). E é precisamente no início do crédito que vai pagar mais juro. Será que consegue continuar a pagar confortavelmente o seu crédito se a taxa aumentar 2%? E se em 3 anos aumentar 5%?

3. A banca está novamente a conceder muito crédito. Já reparou que num espaço de quatro anos “automagicamente” é muito mais fácil para si recorrer à banca? Agora multiplique isso por centenas de milhares de pessoas… e imagine o impacto na economia quando esta abanar um pouco em termos de desemprego e PIB…

O meu trabalho é dar-lhe dados e chamar a sua atenção para certos factos. Tire as suas próprias conclusões, especialmente se está a pensar comprar casa.

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp