Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Miguel Pinto
Miguel Pinto
04 Set, 2020 - 14:33

Transiberiano: a aventura de uma vida sobre carris

Miguel Pinto

Comece a planear uma viagem de sonho. O mítico comboio Transiberiano espera por si e promete uma experiência única sobre carris.

O transiberiano é uma das linha ferroviárias mais compridas do mundo. Faz um percurso de 9289 quilómetros, entre Moscovo e Vladivostok, no leste do país. Pelo caminho, passa por oito fusos horários distintos, durante 7 dias, sem parar.

O comboio transiberiano oferece uma viagem romântica, repleta de paisagens e experiências magníficas, sendo um símbolo das conquistas do homem no que respeita à engenharia ferroviária acompanhado dos mais incríveis encantos naturais.

Transiberiano: saiba tudo sobre esta viagem icónica

Transiberiano na China

O transiberiano foi construído para transportar bens, embora se tenha tornado numa locomotiva de transporte de passageiros. Este comboio permite aos habitantes das pequenas aldeias uma ligação mais direta e imediata com a Rússia e é também um meio de ficar a conhecer regiões como a Sibéria, conhecida pelos seus invernos severos e de grande beleza.

Há duas linhas que ramificam do transiberiano: o Transmanchuriano, que passa por cidades chinesas como Harbin e Changchun, e o Trans-mongoliano que passa por cidades na fronteira mongol e por Ulaanbaatar, capital da Mongólia. Esta última linha oferece uma grande diversidade de paisagens, desde montanhas cobertas de neve, a extensas planícies.

Itinerário

Primeiramente, há que decidir qual o sentido a tomar, se este-oeste ou se oeste-leste. Assim sendo, há que escolher a direção em função da cidade que se planeia visitar, ou seja, se se pretende ficar em Moscovo ou em Pequim. Certo é que a viagem do transiberiano para leste é mais popular e envolta numa mística especial.

Transiberiano: algumas paragens obrigatórias

 Irkutsk

Esta cidade russa é a que fica mais perto do Lago Baikal, o maior lago de água doce do mundo, sendo também conhecida pelo peixe local (omul), apanhado no lago e vendido no mercado.

Ulaanbaatar

Esta é outra paragem obrigatória do transiberiano, conhecida pelos seus habitantes nómadas. Nos subúrbios, pode pernoitar num ger Mongol, uma casa tradicional transportável, espécie de tenda coberta de peles ou tecido. Por isso, se optar por viver esta experiência, vá prevenido com roupa e agasalhos extra.

Ulan-Ude

A 100kms do Lago Baikal, esta é a cidade capital da República de Buryatia, na Rússia. Aqui pode encontrar o enorme busto em bronze de Vladimir Lenine, dos maiores do mundo, mas os edifícios locais são também interessantes, congregando influências russas e mongóis.

Transiberiano: conselhos úteis

Vista do Lago de Balka

Quando ir?

A data da viagem depende daquilo que mais pretende observar. Porém, a altura do ano mais procurada é entre os meses de verão, principalmente entre maio e agosto. Nesta época, o destaque vai para as colinas da Mongólia e as florestas de coníferas da Sibéria. No entanto, se procura paisagens invernosas com neve, então deverá seguir viagem no transiberiano entre os meses de Novembro e Fevereiro.

Bilhetes

Os tipos de bilhetes disponíveis são muito diversos, de acordo com o trajeto e paragens que cada pessoa pretenda fazer. O ideal é sempre adquiri-los através do site oficial dos caminhos de ferro russos.

Para ficar com uma noção, de Moscovo a Irkutsk, por exemplo, o bilhete do transiberiano por uma cama em 2ª classe (num compartimento com dois beliches) pode ser de 320€. Já os bilhetes de 3ª classe custam aproximadamente 150€. Em alguns casos, a reserva pode ser permitida só com 60 dias de antecedência.

Custos

O custo da viagem pode ser maior ou menor conforme as opções tomadas. Para quem tem de economizar, escolher bilhetes de 3ª classe e não fazer as refeições no vagão-restaurante pode ser uma forma de não ultrapassar o gasto médio total de 560€.

Já quem pode privilegiar a privacidade e o conforto, deve gastar um pouco mais de 950€ na viagem, pois inclui refeições no vagão-restaurante do transiberiano, cujo preço por refeição ronda os 25€.

Antes de embarcar, não se esqueça de ir até algumas agências de câmbio ou caixas multibanco do Aeroporto Internacional Sheremetyevo, por exemplo, para trocar alguns euros pelos rublos russos.

Lugares

No que toca aos lugares, deve procurar escolher beliche de baixo e de cima, pois se o de cima é excelente para dormir, o de baixo é o ideal para ir espreitando a paisagem, durante o dia. Evite também os lugares muito próximos do WC do transiberiano.

Vistos

Para obter o visto russo, deve possuir uma carta de apoio ao visto, ou seja, uma confirmação de estatuto de turista. O ideal é pedir o documento a uma agência de viagens online como a Real Russia, já que nem todos os hotéis têm licença para emitir tais documentos. Para além do visto russo, no transiberiano é ainda necessário o visto chinês e mongol, sobre os quais as agências de viagens online também estão habilitadas para facultar informação.

Dê uma vista de olhos sobre uma viagem inesquecível

O que levar?

Itens essenciais

  • papel higiénico;
  • toalhitas;
  • tampões para os ouvidos;
  • máscara para dormir;
  • sabonete;
  • saco-cama;
  • comida;
  • abre-latas;
  • tesoura;
  • máquina fotográfica;
  • lanterna;
  • tablet;
  • livros.

Alimentação

O vagão-restaurante disponibiliza refeições em sintonia com o território que o comboio atravessa naquele momento. Há uma grande variedade de comida à disposição, assim como um bar que possui, nomeadamente, cerveja e vodka russo. Escusado será dizer que os preços são elevados.

Portanto, se para si não é opção comprar alimentos a bordo do transiberiano, então tome nota do que pode e deve levar consigo, em termos de alimentação:

  • snacks;
  • sacos de chá/café;
  • noodles instantâneos;
  • pão;
  • enlatados;
  • talheres descartáveis;
  • caneca.
Veja também