Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
09 Fev, 2024 - 14:09

Emprego na construção civil: os 8 com mais oferta

Catarina Milheiro

Saiba quais são os tipos de emprego na construção civil mais procurados pelo mercado e fique a par dos salários médios praticados.

A escassez de mão-de-obra tem vindo a fazer com que o emprego na construção civil seja o mais elevado na última década.

O setor da construção civil emprega atualmente cerca de 325 mil pessoas, sendo que este é o valor mais alto dos últimos 10 anos. O número reflete não só a reconversão de trabalhadores de outros setores que tem vindo a crescer, mas também o amplo leque de oportunidades que se deram no setor durante a pandemia.

No entanto, a verdade é que a entrada de aproximadamente 26 mil novos trabalhadores da construção civil no último ano está ainda aquém da resolução do problema de escassez de mão-de-obra que as empresas sentem.

De facto, parecem continuar a faltar cerca de 80 mil trabalhadores para dar resposta ao fluxo de obras que está ainda por vir nos próximos anos, inclusivamente as do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Conheças as áreas com maior procura.

Emprego na construção civil: os mais procurados

Quando pensamos em emprego na construção civil, rapidamente nos deparamos com situações de amigos ou familiares que não conseguem encontrar profissionais para dar continuidade às construções ou reconstruções das suas casas.

Por outro lado, parece existir cada vez mais uma dificuldade enorme em encontrar alguém que nos consiga resolver pequenos problemas específicos nos nossos lares.

Mas quais são os profissionais de construção civil mais desejados pelo mercado?

1

Canalizador

Os canalizadores são essenciais quer na construção de uma casa de raiz, quer nas reconstruções e até no nosso dia-a-dia. Afinal, quando as sanitas avariam as tubagens precisam de ser modificadas ou precisamos de fazer o tratamento de esgotos é de um profissional desta área que necessitamos.

Assim, o canalizador efetua a montagem, a conservação e a respetiva reparação de tubos e aparelhos de distribuição, pequenos acessórios, canalizações sanitárias ou condutas. Para além disto, saiba que o profissional desta área pode especializar-se de acordo com o tipo de fluido (gás, esgotos e águas).

Em 2023 o salário médio de um canalizador pode rondar os 1240 euros por mês. Sendo que o salário mais baixo corresponde, normalmente, a cerca de 1000 euros e o mais alto 1850 euros. Claro que tudo irá depender do tipo de trabalho que execute e da experiência até ao momento.

2

Eletricista

Um dos empregos na construção civil imprescindíveis é o de um eletricista. Este profissional faz o controlo, a sinalização e a alimentação de máquinas, dentro ou fora de construções.

Importa referir que se pode especializar por tipo de instalação, como por exemplo: aquecimentos elétricos, sistemas ou iluminação pública.

Quanto ao salário, um eletricista em Portugal pode ganhar em média cerca de 1240 euros mensais. Tudo depende do nível de experiência.

3

Engenheiro civil

Os engenheiros civis estão diretamente relacionados com a conceção, planeamento, projetos, construção, reabilitação de edifícios, manutenção, instalações industriais, barragens e pontes.

Além disto, podem também atuar a nível de infraestruturas ferroviárias, rodoviárias e aeroportuárias, hidráulicas, abastecimento de água, tratamento dos resíduos sólidos e ainda saneamento.

Relativamente ao salário, tudo depende da especialização de cada um. Sendo que pode começar nos 1000 euros mensais e alcançar os 2500 euros.

4

Estucador

Em qualquer tipo de obra é necessário haver estucadores. Ou seja, profissionais que façam os acabamentos através do revestimento de superfícies com argamassa de gesso.

Por outro lado, podem ser bastante requisitados quando um cliente pretende decorar ou restaurar paredes com estuque, por exemplo.

Um estucador em Portugal recebe cerca de 1040 euros por mês. Relembramos que tudo irá depender do nível de experiência e da quantidade e dimensão de trabalhos realizados.

5

Pedreiro

Os pedreiros atuam na montagem de estruturas e coberturas, acabamentos e é essencial também em qualquer projeto de construção civil.

Pode especializar-se em algumas técnicas de aplicação de materiais específicos como lousa ou granito, por exemplo.

Relativamente ao salário médio, este ronda os 1250 euros por mês.

6

Pintor

Quando precisamos de pintar as nossas casas, procuramos por pintores. Por isso mesmo, este profissional trata dos acabamentos no exterior ou interior de edifícios e atua no restauro ou em renovações.

Trata-se de uma profissão que requer conhecimentos sólidos em revestimento de superfícies com vernizes, tintas e outros produtos com o objetivo de decorar ou proteger as paredes.

Um pintor recebe em média 1250 euros/mês, sendo que poderá atingir valores até aos 2030 euros.

7

Medidor orçamentista

O medidor orçamentista realiza planos de execução da construção ou da instalação de determinados equipamentos. Além disso, faz ainda medições e determina as quantidades e o custo dos materiais, equipamentos necessários para a execução e ainda da mão-de-obra.

Quanto ao salário, ronda os 1220 euros em média. Os profissionais mais experientes, poderão receber 18.775 euros anuais.

8.

Técnico de obra

Os técnicos de obra organizam e controlam juntamente com o diretor de obra, a realização de todos os trabalhos de construção ou de instalação de equipamentos.

Uma das suas funções passa por fazer todo este processo tendo em consideração o melhor aproveitamento dos meios de produção.

Os técnicos de obra recebem em média 1192 euros mensais.

Existem formações necessárias para trabalhar na construção civil?

A resposta é sim, para algumas funções mais específicas. Ou seja, se se tratar de um profissional que iniciou a sua atividade há muitos anos como pedreiro e foi aprendendo outros ofícios e técnicas, então aí muito provavelmente a experiência foi adquirida e não será preciso formação para poder evoluir.

No entanto, quando se tratam de áreas um pouco mais específicas como a de eletricista, canalizador, técnicos do setor ou engenheiros, nesse caso é necessária formação.

Atualmente existem diversos cursos especializados para eletricistas, canalizadores, picheleiros, técnicos de refrigeração e climatização ou até de medidores orçamentistas, por exemplo.

No caso dos engenheiros, é necessária a frequência de uma licenciatura. A mesma pode ter vertentes distintas e tudo irá depender da área pela qual o profissional tiver mais interesse.

As condições de trabalho no nosso país

Trabalhar na construção civil significa trabalho árduo, onde muitas vezes não são colocadas em prática todas as condições de segurança para os profissionais ou até mesmo condições de trabalho de uma forma em geral.

Em caso de dúvidas saiba que o Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de outubro, estabelece as regras gerais de planeamento, organização e coordenação para promover a segurança, higiene e saúde no trabalho em estaleiros da construção.

De facto, Portugal não é dos piores países para se trabalhar na construção civil. Ainda assim, é necessário haver uma maior fiscalização às obras e empresas do setor para que se consiga garantir a saúde, higiene e segurança dos trabalhadores.

Veja também

Artigos Relacionados