Assunção Duarte
Assunção Duarte
07 Abr, 2020 - 15:28

Coronavírus: animais infectados dificilmente afectam os humanos

Assunção Duarte

Investigadores procuram despistar a hipótese de animais infectados com COVID-19 transmitirem a doença aos humanos. Até agora, não há motivo para alarme.

Animais infectados com covid-19 não representam perigo

O número de animais infectados com Covid-19 num mundo em pandemia global é praticamente inexistente. O mesmo se pode dizer dos animais em geral. Um tigre do zoo de Nova Iorque, dois cães em Hong Kong e um gato na Bélgica, são os casos oficiais de Covid-19 transmitido de forma não intencional de humano-para-animal. Estes números, por si só, mostram o quão residual está a ser esta transmissão.

No entanto, os investigadores estão a jogar pelo seguro e a efetuar testes com diferentes animais. Alguns resultados já são conhecidos e, até ver, não há qualquer indício de que eles possam ser um vector de transmissão para os humanos. Já o contrário é possível.

animais infectados com Covid-19: fracos positivos e assintomáticos

Mulher a dormir com cão no sofá

O primeiro cão sinalizado em Hong Kong como positivo para o novo corona vírus, habitava com uma idosa que teve de ser hospitalizada por ser portadora da doença. Foram feitos vários testes para perceber se o animal estava verdadeiramente infectado com o COVID-19 ou se o vírus apenas estava presente na sua saliva e secreção nasal por ter entrado em contacto com alguma superfície contaminada.

A verdade é que os testes deram positivo, mas um positivo muito fraco e o cão nunca chegou a desenvolver sintomas de doença. Recentemente, investigadores do Instituto de Investigação Veterinária de Harbin vieram confirmar que os animais parecem poder apanhar o vírus, mas de forma tão fraca e assintomática, que nunca chegam a desenvolver a doença. (saiba mais sobre este estudo)

Gatos mais propensos

Dos animais testados, e que foram deliberamente contaminados com COVID-19, são os gatos que parecem ser mais propensos a contrair o vírus e a passá-lo para outros gatos, sem nunca desenvolverem sintomas. Mas ainda assim, foram poucos os gatos colocados em contacto com os gatos infectados em laboratório que contrariam a doença.

Claro que neste momento qualquer estudo é ainda muito preliminar e é necessário continuar a investigar, mas face às informações já recolhidas globalmente, a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e o Centro Europeu de Prevenção de Doenças (ECDC) mantêm inalteradas as suas recomendações oficias.

Para estas organizações mundiais não existem indícios de que os pets possam ser facilmente infectados pelo vírus ou que o possam passar com facilidade a outros seres vivos. 

manter o gato feliz em casa
Não perca Sabe como manter o gato feliz em casa? Siga estas dicas

Animais exóticos infectados com COVID-19

O famoso tigre, do zoo de Bronx em Nova-Iorque, infectado e doente com o novo coronova vírus, é já um caso de estudo. Aparentemente contaminado por um tratador portador, mas assintomático, o tigre demonstrou alguns dos sintomas “humanos” da doença como a tosse, cansaço e pouco apetite. 

Uma situação invulgar quando comparada com a dos pequenos felinos domésticos que nunca demonstraram sintomas, mesmo quando contaminados em laboratório com doses maciças do vírus. Terá sido alguma coincidência com outra debilidade do tigre? Não sabemos e a verdade é que ainda não há dados suficientes para perceber exatamente o que aconteceu e daí retirar conclusões úteis.

Para os parques zoológicos e para quem trabalha na conservação de animais selvagens, este caso do tigre foi no entanto um alerta. Até agora, as atenções estavam focadas na proteção dos grandes primatas como gorilas, orangotangos e chimpanzés, uma vez que estes animais já haviam sido contaminados por outras pandemias humanas como por exemplo o Ébola. As medidas terão, também aqui, de ser redobradas para não deitar por terra décadas de esforço para a conservação de espécies em vias de extinção.

Covid-19 e animais: cuidados a ter

Cão e gato descansam juntos

Até novos desenvolvimento, os conselhos chave a reter pelos os donos de animais de estimação mantêm-se os mesmos desde o início desta pandemia. Não esqueça o básico:

  • mantenha o seu animal consigo se estiver em isolamento ou quarentena
  • tenha cuidados redobrados com a higienização das patas e do pelo dos animais que saem à rua
  • lave sempre as mãos depois de interagir com o seu animal
  • mantenha o distanciamento do seu animal se estiver contaminado com o vírus, utilizando máscara e não partilhando alimentos com ele
  • se tiver de ser hospitalizado, arranje alguém de família, um amigo ou vizinho de confiança que possa cuidar dele na sua ausência
  • em caso de dúvida ligue para o seu veterinário habitual ou entre no site da  Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) pata obter resposta a algumas das perguntas mais frequentes.
Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins. Neste projeto, contamos com a parceria da Fidelidade e da Multicare. Saiba mais sobre a parceria.