ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Teresa Campos
Teresa Campos
16 Set, 2021 - 10:13

Derrames nas pernas não são varizes. Perceba as diferenças

Teresa Campos

Os derrames nas pernas são uma complicação relativamente comum e não são apenas uma questão estética. Fique a saber mais sobre este problema

derrames nas pernas

Os derrames nas pernas ou telangiectasias podem ser descritos como pequenos vasos sanguíneos, capilares, de tom vermelho, arroxeado ou azulado. Não só os derrames, como a doença venosa em geral, afetam 20% da população adulta, principalmente mulheres entre os 40 e os 60 anos.

Além de inestéticos, os derrames nas pernas devem ser examinados por um médico de cirurgia vascular, de modo a avaliar a sua gravidade e possíveis consequências.

Quais as diferenças entre os derrames nas pernas e as varizes e quais as principais causas e tratamentos para os derrames é o que vamos partilhar em seguida. Continue a ler.

Derrames nas pernas e varizes: principais diferenças

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, derrames nas pernas e varizes não são, exatamente, a mesma coisa, embora na sua origem esteja a mesma doença.

Assim, enquanto os derrames correspondem a dilatações de capilares na derme; as varizes correspondem a veias dilatadas e tortuosas que se encontram na região subcutânea.

Mulher com síndrome das pernas inquietas
Veja também Síndrome das pernas inquietas: causas, sintomas e tratamento

Derrames nas pernas: tudo o que precisa de saber

Além da manifestação física dos derrames nas pernas (também chamados de “aranhas vasculares” ou de “raios”), é comum esta complicação surgir associada a outra sintomatologia como sensação de peso e dores nas pernas, inchaço e cansaço.  

Mulher com varizes

Causas

Na origem dos derrames nas pernas, estão mudanças congénitas na estrutura das paredes das veias, as quais ficam mais frágeis e deixam de funcionar como seria expectável.

Este problema pode ser agravado por fatores de risco como:

Tratamentos

Antes de falarmos dos tratamentos possíveis para os derrames nas pernas, importa lembrar que, antes de partir para qualquer terapêutica, deve consultar um especialista que lhe faça um exame físico e, eventualmente, possa sugerir a realização de um Eco-Doppler, um exame vascular que permite avaliar o estado das veias e das varizes e perceber se existe ou não insuficiência dos principais troncos venosos.

tratamento derrame

As intervenções para resolver o problema dos derrames nas pernas são, cada vez, menos invasivas, não exigindo muitas vezes internamento ou repouso e permitindo a retoma quase imediata das tarefas diárias do paciente.

Algumas das intervenções disponíveis são: radiofrequência endovenosa, endolaser, cola biológica, ablação por vapor, escleroterapia e laserterapia. Estas intervenções podem ter de ser repetidas no futuro, pois os derrames nas pernas podem reaparecer.

Além disso, estas técnicas podem ter como efeito secundário o aparecimento de algumas equimoses, nos dias ou semanas após a intervenção.

Um dos tratamentos possível é a escleroterapia ou secagem, a qual consiste na introdução de uma substância química na veia. Essa substância vai causar a esclerose e a involução do derrame, fazendo com que ele deixe de existir.

Outro tratamento disponível é a laserterapia, que tem a mesma finalidade da técnica anterior, mas faz antes uso de uma reação térmica.

Outros cuidados a ter

Além destas intervenções, é importante controlar os derrames nas pernas, evitando os seus fatores de risco e recorrendo a medicamentos flebotónicos e à compressão elástica (através do uso de meias elásticas).

Não se esqueça ainda que a melhor maneira de prevenir os derrames nas pernas é evitar os seus fatores de risco, como o sedentarismo, o excesso de peso, o calor intenso e as pílulas com estrogénio.

Veja também