Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
27 Nov, 2023 - 12:39

As 7 causas mais comuns para a dor nos ovários

Catarina Milheiro

Sofre com dor nos ovários? Vai querer conhecer as causas que podem estar na origem deste sofrimento e o que fazer para aliviar o desconforto.

Sentir dor nos ovários de forma repetida é uma realidade para muitas mulheres. E, por norma, as dores estão relacionadas com as alterações hormonais que são próprias do ciclo menstrual (não constituindo assim um problema). Como é o caso da dor da ovulação, da menstruação dolorosa ou até da Síndrome pré-menstrual.

Ainda assim, existem dores nos ovários que podem estar associadas a alguns tipos de condições que podem demorar muito tempo até que se revelem. Falamos, portanto, de patologias como a endometriose, as aderências, os miomas, a doença inflamatória pélvica ou até as tumorações ováricas.

Em todos os casos acima descritos, a dor é habitualmente crónica – o que significa que tem uma duração superior a seis meses.

Por outro lado e em casos mais extremos (como na gravidez ectópica e a torção do ovário) a dor nos ovários pode ainda surgir de forma súbita e implicar uma cirurgia de emergência.

Dor nos ovários: 7 causas mais comuns

Quando sentimos alguma dor nos ovários a sensação não é de todo agradável e há, inclusivamente, mulheres que vivem com este tipo de dores todos os meses.

Quando a os períodos de dor se prolongam e intensificam ao longo dos meses, é provável que comece a pensar noutras causas que possam estar a originar o seu problema. Sobretudo quando os episódios de dor interferem com a sua rotina diária.

Reunimos as causas mais comuns para o aparecimento de dor nos ovários. Tome nota.

1.

Ovulação

No momento da ovulação, é normal que algumas mulheres sintam dor nos ovários. Normalmente, esta dor ocorre por volta do 14º dia do ciclo menstrual, quando o óvulo é libertado pelo ovário para as trompas de Falópio.

Também conhecida por dor intermenstrual ou Mittelschmerz, esta dor pode ir de leve a intensa e durar apenas alguns minutos ou horas até. Além disto, se notar algum tipo de sangramento, saiba que é um acontecimento normal quando se dá a dor nos ovários. Em alguns casos, a mulher também pode ficar enjoada.

Quando esta dor é bastante intensa ou se prolongar por dias a fim, pode significar outro tipo de patologias como endometriose, presença de cistos nos ovários ou até gravidez ectópica.

Por norma não é necessário tratamento para a dor que é provocada pela ovulação. Ainda assim, quando o desconforto é grande poderá ser preciso tomar analgésicos ou anti-inflamatórios que ajudem a amenizar a situação.

2.

Síndrome pré-menstrual

Ainda não conhece a síndrome pré-menstrual? Trata-se de um conjunto de transtornos físicos, comportamentais e psíquicos que afetam a mulher de forma cíclica e com alguma intensidade e duração o suficiente para alterar a vida da mulher.

Este tipo de alterações acontece na segunda metade do ciclo menstrual e abrangem dores abdominais e pélvicas, sensibilidade, dores de cabeça, ansiedade, dor mamária, náuseas, alterações do apetite ou vómitos até.

Se suspeita que esta pode ser a causa associada à sua dor nos ovários o ideal é visitar o seu médico e perceber o que poderá estar na origem do problema.

3.

Dismenorreia

A dismenorreia é uma dor nos ovários mais forte do que aquela que acontece habitualmente ao longo do período menstrual. Além disto, saiba que a dor pode ocorrer com a menstruação ou anteceder-se a ela entre 1 a 3 dias.

Se se questiona relativamente aos sintomas mais comuns, estão associados os seguintes: obstipação ou diarreia, náuseas, dor lombar, fadiga, cefaleias e frequência urinária, por exemplo.

Existem dois tipos de dismenorreia:

  • Dismenorreia primária: é a mais comum e verifica-se na mulher que não tem anomalias pélvicas, mas onde se observa uma enorme produção de mediadores inflamatórios produzidos no endométrio secretório. Por sua vez, causam dor através de contrações no útero. Nestes casos, há mulheres que não conseguem mesmo ir para a escola ou para o emprego;
  • Dismenorreia secundária: associada a outro tipo de doenças como a endometriose e os miomas. Neste caso, estão associadas causas como inflamações congénitas, quistos, aderências, dispositivos intrauterinos ou pólipos e tumores. A visita a um médico é crucial a fim de se iniciar o tratamento mais adequado.
4.

Endometriose

Uma das causas mais comuns para a dor nos ovários é a endometriose, que consiste no crescimento do tecido do endométrio fora da sua localização normal (como fora dos ovários, do útero, da bexiga, do apêndice ou até mesmo fora dos intestinos).

Por isso mesmo, trata-se de uma patologia que pode causar sintomas como dor após o contacto íntimo, dor intensa na barriga que irradia para o fundo das costas, dor a urinas e defecar, dificuldade para engravidar, sangramento abundante durante a menstruação, náuseas, cansaço, vómitos, diarreia ou prisão de ventre.

Em caso de suspeita de endometriose é crucial marcar uma consulta com o seu ginecologista para que seja possível adequar o melhor tratamento ao seu caso.

5.

Doença inflamatória pélvica

Esta doença ocorre quando agente patogénicos, normalmente de transmissão sexual, ultrapassam as barreiras naturais da vagina e o colo do útero e chegam à cavidade uterina – provocando infeção do endométrio e nas trompas de Falópio e ainda abcessos tubo-ováricos. Pode ainda alcançar a cavidade abdominal e causar pelviperitonite.

No entanto, alguns deste microrganismos podem surgir de outras zonas do corpo que sejam vizinhas da infeção (como o apêndice ou o sistema urinário).

Nestes casos, a dor no baixo-ventre, a febre, dor durante o ato sexual e sangramento e corrimento vaginal são sintomas que podem estar presentes.

6.

Quistos nos ovários

Falamos de cápsulas de líquido que se formam dentro dos ovários ou à sua volta, sendo que os mais comuns de conhecem por quistos funcionais e são aqueles que se originam ao longo do processo ovulatório.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a maioria dos quistos não causa sintomas e acaba por desaparecer de forma espontânea. No entanto, quando isto não acontece os quistos podem alcançar um volume considerável sem darem sintoma nenhum.

Assim que inflamam podem provocar dor pélvica intensa, dor durante as relações sexuais, desconforto constante, distensão abdominal, atraso menstrual, ausência de menstruação ou até hemorragias anormais.

O ideal é fazer uma ecografia no momento em que tem dores para que seja possível confirmar a origem da dor.

7.

Torção do ovário

Como sabemos, os ovários estão presos na parede abdominal por um ligamento bastante fino, através do qual passam os nervos e os vasos sanguíneos. Contudo, por vezes esse ligamento pode acabar por se torcer ou por dobrar, causando uma dor intensa e constante que parece não melhorar.

Este tipo de cenário é mais comum quando existe um quisto no ovário. Ainda assim é importante estar atenta para esta possibilidade, uma vez que se trata de uma situação de emergência e que necessita de ser vista por um médico.

Veja também

Artigos Relacionados