Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
31 Jan, 2020 - 11:21

Síndrome pré-menstrual: o TPM não é um mito

Teresa Campos

A síndrome pré-menstrual é uma condição relativamente comum entre as mulheres. Embora benigna, os seus incómodos são reais. Saiba o que fazer.

Mulher com sintomas de síndrome pré-menstrual

A síndrome pré-menstrual ou tensão pré-menstrual (TPM) é uma condição comum a muitas mulheres e que se pode caraterizar por dores de cabeça e cólicas, alterações de humor e irritabilidade, entre outros sintomas que antecedem a chegada da menstruação.

Alguns desses sintomas também podem afetar as mulheres, mesmo já durante parte do seu ciclo menstrual, sendo que esses sinais limitam, frequentemente, as atividades diárias e, em alguns casos, podem provocar absentismo laboral. Por que é que isto acontece e o que pode fazer para combater estas manifestações são respostas às quais vamos responder em seguida.

Síndrome pré-menstrual: perceba do que se trata

O ciclo menstrual dura entre 25 a 35 dias e ao longo deste ciclo, um dos ovários liberta um óvulo. Logo, caso não haja lugar à fecundação do óvulo, o endométrio (revestimento interno do útero) descama e inicia-se a menstruação.

Esta nova etapa ou ciclo é controlada pelas hormonas, as quais contribuiram para a referida síndrome pré-menstrual e, por norma, os seus sintomas começam 1 a 2 semanas antes da menstruação e terminam no início ou nos primeiros dias do período.

Sintomas

A síndrome pré-menstrual não é um mito e o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas concluiu que 85% das mulheres em idade fértil tem pelo menos um dos sintomas de TPM.

Contudo, a boa notícia é que, na maior parte dos casos, os efeitos são leves e passageiros. No entanto, 3% a 8% dessas mulheres podem mesmo sofrer de um distúrbio disfórico pré-menstrual que carece de tratamento médico.

procedimentos para uma boa higiene íntima

Sintomas mais comuns de síndrome pré-menstrual

  • Acne;
  • Tensão mamária (seios inchados e mais sensíveis);
  • Cansaço;
  • Dificuldade em dormir;
  • Perturbações no sistema digestivo como cólicas, obstipação ou diarreia;
  • Dores de cabeça e de costas;
  • Alterações no apetite e vontade anormal de comer alguns alimentos;
  • Dores musculares e nas articulações;
  • Dificuldades de concentração;
  • Irritabilidade;
  • Alterações de humor, vontade de chorar, ansiedade e depressão.

Causas

Muitos estudos apontam para que a origem desta síndrome esteja relacionada com um desequilíbrio hormonal, entre os estrogénios e a progesterona. Assim, o aumento do número de estrogénios provoca a retenção de água e de sódio e, por conseguintes, um aumento de peso e de edema generalizado.

Outras pesquisas indicam a componente psicológica como a principal responsável pela manifestação desta síndrome. Além disso, há investigações que defendem que a TPM é uma resposta anormal do organismo às alterações de neurotransmissores neuronais, como as beta endorfinas. Por isso, o mais provável é mesmo que esta síndrome seja uma conjugação de diferentes fatores, a qual é agudizada por outras condições como o stress, por exemplo.

Dores menstruais
Veja também Dores menstruais: o que são, quando devem preocupar e o que fazer

Tratamento da síndrome pré-menstrual

Como dissemos, na grande maior parte dos casos, não há um tratamento médico específico para esta situação. Assim sendo, para aliviar os sintomas mais incómodos, os médicos recomendam, nomeadamente, uma alimentação variada, a prática de exercício físico e oito horas de sono por noite. Entretanto, confira algumas das medidas preventivas da TPM:

  • fazer uma dieta equilibrada;
  • comer pouco e várias vezes ao dia;
  • consumir muita fruta e verduras;
  • ingerir pouco sal e pouco açúcar;
  • reduzir no consumo de café, álcool e tabaco;
  • vestir roupa cómoda e fácil de vestir;
  • usar calçado raso e confortável;
  • praticar exercício físico;
  • realizar atividades lúdicas;
  • conversar com quem mais gosta.

Além disso, procurar viver o dia-a-dia normalmente, conviver, fazer uma atividade relaxante e dedicar-se a um passatempo de que goste são maneiras de combater o desconforto e, acima de tudo, distrair-se. No entanto, uma outra forma muito comum de combater estes efeitos é através da toma de contracetivos orais.

Desta forma, os casos mais graves devem ser diagnosticados e avaliados por um clínico. Assim, em algumas situações, pode ser aconselhada a toma de analgésicos como o paracetamol ou o ibuprofeno, sendo que, em cenários mais severos, a prescrição de antidepressivos pode ser essencial.

tratar a higiene íntima feminina

O que não fazer no síndrome pré-menstrual?

Se há atitudes recomendadas durante a síndrome pré-menstrual, também há coisas que não são nada aconselhadas, pois podem agravar os sintomas de TPM ou piorar ainda mais o seu estado físico e de humor. Por isso, durante a síndrome pré-menstrual não deve:

  • usar peças de roupa muito apertadas;
  • usar sapatos de salto alto;
  • tomar antidepressivos ou tranquilizantes não receitados pelo médico;
  • estar com frio;
  • sentir-se responsável por não estar bem;
  • ter vergonha da sua condição;
  • evitar relações sexuais;
  • sobrecarregar-se de trabalho;
  • ceder aos desejos e tentações alimentícias.
Veja também