Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ana Graça
Ana Graça
25 Jun, 2018 - 11:24

Epidural e tatuagem: incompatíveis ou mito?

Ana Graça

Analgesia epidural e tatuagem são incompatíveis? Compreenda melhor o que é a analgesia epidural e qual a sua relação com as tatuagens na zona lombar.

Epidural e tatuagem: incompatíveis ou mito?

Ter uma ou mais tatuagem é, hoje, muito comum. As tatuagens têm pigmentos que podem conter componentes orgânicos e inorgânicos, metais e solventes. As implicações acerca da realização de uma analgesia epidural sobre a pele tatuada são ainda pouco conhecidas, daí que devam ser acauteladas. Qual é, então, o possível perigo da associação entre a analgesia epidural e tatuagem?

O que é a analgesia epidural?

A analgesia epidural é um método que permite controlar de forma eficaz a dor que a mulher sente durante o trabalho de parto.

São administrados fármacos numa zona da coluna vertebral denominada espaço epidural, ou seja, é necessário colocar um cateter numa determinada zona da coluna lombar por onde vai entrar o anestésico. Durante a realização do procedimento, a grávida deve manter-se deitada de lado ou sentada e imóvel.

É o método mais utilizado no trabalho de parto para reduzir a dor. Apenas bloqueia a dor numa determinada região do corpo, permitindo à mãe ser uma participante ativa em todo o processo.

Habitualmente, a epidural é administrada quando se inicia o trabalho de parto, ou seja, quando surgem as dolorosas contrações. Este procedimento é levado a cabo por um anestesiologista e é uma técnica segura, que permite um parto sem dor.

Analgesia epidural e tatuagem da grávida

Existem algumas contraindicações absolutas à realização da analgesia epidural como, por exemplo, a recusa por parte da grávida ou a existência de infeção no local de inserção da agulha. Existem ainda outras contraindicações que devem ser avaliadas individualmente tendo em conta os benefícios e os riscos. Uma dessas contraindicações é a existência de tatuagens na região lombar.

As possíveis complicações associadas à relação entre a analgesia epidural e tatuagem da grávida continuam a ser estudadas internacionalmente, existindo ainda alguma falta de consenso sobre esta matéria.

As tatuagens na zona lombar podem ser uma preocupação devido à possibilidade de reações cutâneas e transferência ou migração do pigmento para o espaço epidural. O receio é que o arrastamento de tecidos e fragmentos de pigmento da tatuagem possa trazer graves consequências como tumores epidermóide ou aracnoidites.

Para evitar que tal aconteça, os anestesistas preferem realizar o procedimento através da pele não tatuada, ou seja, evitam a introdução de agulha epidural diretamente através da pele com pigmentos de tatuagem.

Analgesia epidural e tatuagem da grávida

Em suma

A analgesia epidural convencional é um método seguro e muito eficaz para o alívio da dor no trabalho de parto. A dúvida e o receio surgem quando estão presentes algumas contraindicações, como no caso da associação entre epidural e tatuagem.

Nestes casos, as grávidas devem conversar atempadamente com a equipa médica que acompanha a gravidez e o parto no sentido de se sentirem envolvidas no processo de tomada de decisão e compreenderem todos os aspetos do parto, em especial acerca das várias técnicas de alívio da dor disponíveis, de modo a poderem refletir cuidadosamente antes do início de trabalho de parto.

Assim sendo, caso a tatuagem se encontre exatamente no local onde é suposto a agulha epidural entrar, deve mostrar a tatuagem a um anestesista ou ao médico que está a seguir a gravidez, no sentido de avaliar o caso em específico.

Veja também: