Catarina Mesquita
Catarina Mesquita
14 Dez, 2017 - 21:09
Conheça 8 erros comuns do português falado

Conheça 8 erros comuns do português falado

Catarina Mesquita

Diariamente usamos a língua portuguesa mas cometemos vários erros quando falamos. Conheça, pois, 8 erros comuns do português falado.

O artigo continua após o anúncio

A língua portuguesa é usada diariamente por todos nós. No entanto, frequentemente surgem, para além dos erros ortográficos da escrita, erros comuns do português falado, dos quais, muitas vezes, nem nos damos conta, mas que nos podem deixar ficar mal perante os outros, deixando uma imagem menos positiva, uma vez que não é usado o português correto.

8 erros comuns do português falado

1. Usar a palavra “grama” como se fosse feminino

Frequentemente, associa-se a palavra grama ao género feminino, mas esta palavra assume o género masculino. Seria, pois, erro dizer “quero duzentas gramas de fiambre”. O correto seria “quero duzentos gramas de fiambre”.

2. Usar a redundância “na minha opinião pessoal”

Se a opinião é minha, é automaticamente pessoal. Este erro é semelhante ao pleonasmo “subir para cima” ou “descer para baixo”. É redundante.

3. Trocar “a princípio” com “em princípio”

“A princípio” tem sentido de início, e “em princípio” possui de valor ou essência. Veja a diferença através destes exemplos: “Em princípio, vou a Lisboa para a semana” (ainda não tenho a certeza); “A princípio, julgava-se que o planeta Terra era centro do universo”.

4. Confundir “propício” com “propenso”

A palavra “propício” indica que uma dada situação pode favorecer outra, mas “propenso” significa que há uma tendência para dada situação. Veja a diferença nos exemplos: “Este ambiente é propício ao estudo” (favorece o estudo); “Eu sou propenso a constipações” (tenho tendência para constipações).

5. Confundir “de encontro a” e “ao encontro de”

Este é um dos erros comuns do português falado mais frequentes. Efetivamente, “de encontro a” exprime algo negativo. Por sua vez, “ao encontro de” já tem sentido positivo, revelando afinidade entre duas coisas. Veja os exemplos: “O automobilista foi de encontro ao rail”; “Esta nova medida vai ao encontro do que pretendíamos”.

6. Usar “Quaisqueres” em vez de “Quaisquer”

A palavra “quaisqueres” não existe. Se nos queremos exprimir no plural, teremos de usar “quaisquer”, como na frase: “Não tenho quaisquer dúvidas de que tenho razão”.

7. Dizer “haviam” em vez de “havia”

Mais um erro de coesão frásica. Independentemente de nos referirmos ao singular ou ao plural, devemos dizer sempre “havia”, como na frase “Havia muitas pessoas naquele sítio”.

O artigo continua após o anúncio

8. Usar a expressão “a maioria” como se fosse plural

Ainda que esteja junto a um nome plural, “a maioria” é singular, logo exige o uso de um verbo no singular, como no seguinte exemplo: “A maioria das pessoas gosta de viajar”.

Estes são 8 erros comuns do português falado. Se os costuma dar com frequência, tem aqui uma oportunidade para refletir, de modo a não voltar a cometer estes mesmos erros linguísticos. Melhore a sua performance como falante da língua portuguesa!

Veja também: