Ekonomista
Ekonomista
30 Out, 2019 - 11:12
Estudo revela que 44% das empresas prevê aumentar contratações

Estudo revela que 44% das empresas prevê aumentar contratações

Ekonomista

Em relação a 2018, a intenção de recrutamento diminuiu. No entanto, a tendência para contratar mais colaboradores
mantém-se elevada.

O artigo continua após o anúncio

O estudo “Total Compensation Portugal 2019“, realizado pela consultora Mercer, revela que, ainda em 2019, 44% das empresas nacionais pretende contratar mais colaboradores. Em 2020, esta percentagem sobe para 46%, o que evidencia a continuação de sinais positivos na criação de emprego a nível nacional.

Ainda assim, a percentagem referente a 2019 e a prevista para 2020 ficam aquém daquela que se verificou em 2018, ano em que 53% das empresas se propunha a contratar mais colaboradores.

O maior estudo nacional sobre práticas e tendências de Remuneração e Benefícios revela ainda que, apesar destas ligeiras variações anuais na intenção de recrutar, a tendência de recrutamento mantém-se elevada. Por outro lado, conclui que 47% das organizações irá manter o número de colaboradores e 9% prevê a redução do seu número. Em 2020, esta última percentagem desce para 6%.

Quanto aos incrementos salarias, em 2019 situaram-se, em média, entre 1,97% e 2,32%, sendo que, para 2020, está previsto um ligeiro aumento.

Na análise salarial para recém-licenciados, o estudo revela que o salário-base anual, no que diz respeito ao seu primeiro emprego, situa-se entre os 12.704 euros e os 16.594 euros.

Ainda de acordo com o estudo, o plano médico é o benefício mais atribuído por parte das empresas (92% das que participaram no estudo). Cerca de 43% das empresas analisadas também atribui um plano de pensões.

Em 36% das empresas participantes no estudo, parte das despesas associadas à educação dos colaboradores estão integradas no pacote de compensação (numa média de cerca de 69% do custo total).

Veja também