Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luana Freire
Luana Freire
19 Jun, 2017 - 10:18

Exames Nacionais: como ter melhores resultados?

Luana Freire

Para ter os melhores resultados nos Exames Nacionais o segredo é simples: comer bem, descansar e procurar atividades que afastem a ansiedade – mas, há mais.

Exames Nacionais: como ter melhores resultados?

Às vésperas dos Exames Nacionais há uma pergunta que não quer calar: como ter os melhores resultados nesta fase tão decisiva da vida escolar? Para superar os períodos de “branca” já é sabido que não basta estudar. É preciso, também, adotar passos importantes para que o corpo esteja preparado para o teste. Como? Ter uma boa alimentação, evitar o stress e dormir bem é fundamental.

Os alunos que vão enfrentar os Exames Nacionais já ultrapassaram centenas de testes, andaram na escola por, pelo menos, 12 anos, e já sabem de cor e salteado que estudar é imprescindível.

No entanto, será que pais e jovens entendem a importância desta semana que antecede a hora H? Para ajudar aqueles que vão protagonizar os exames deste ano – e as suas famílias – reunimos dicas e sugestões que ninguém deve deixar escapar. Quer fazer um brilharete nos exames? Então, fique atento.

Dicas para ter os melhores resultados nos Exames Nacionais

placeholder-1x1

1. Respire fundo

Entre professores e psicólogos, a opinião é uma constante: nos momentos de dúvida o importante é respirar fundo para ultrapassar a fase de pânico. É comum vermos alunos que estudaram o suficiente e que, apesar de preparados, passam por períodos de “branca”. É como se, de repente, tudo aquilo que foi visto e revisto nas matérias se apagasse da memória – tal como num passe de mágica. Para estas altura só há um truque: procurar a calma e, com serenidade, enviar ao cérebro a mensagem real da situação – ou seja, que não está a viver uma situação de perigo.

O conselho que deve reter é: a calma é o segredo do negócio. Feche os olhos, respire fundo, visualize uma situação onde se sinta confortável, pense em algo que o faz feliz e controle a respiração. É a partir daí que vai conseguir retomar a normalidade do ritmo cardíaco e da atividade cerebral. Os profissionais garantem que bastam 30 segundos para começarmos a produzir os neurotransmissores essenciais para que a nossa cabeça possa enfrentar o momento com tranquilidade.

E se não resultar? Repita. Simples assim. No entanto, se ainda assim for difícil acalmar, há uma dica que pode aproveitar: que tal pensar nas férias, que já estão mesmo a bater à porta?

2. Beba água

Sabia que um cérebro desidratado – ou não hidratado corretamente – não raciocina? Pois, é verdade. Durante a fase de preparação e na altura em que estiver a realizar os exames, não esqueça de beber água.

3. Comece por onde se sente mais confortável

Para evitar as “brancas” e os períodos de stress que em nada contribuem para o seu sucesso nos Exames Nacionais, uma dica importante é começar a responder às questões que sabe – ou seja, iniciar por onde se sente mais confortável.

4. Não há calma sem uma boa noite de sono

Para afastar a ansiedade na altura dos exames um dos grandes segredos é ir descansado – ou seja, dormir bem durante a fase de preparação e na véspera da grande prova. Sabia que está cientificamente comprovado que dormir entre os períodos de estudos ajuda a aumentar a capacidade cognitiva? Isso, basicamente, quer dizer que descansar favorece a aprendizagem.

5. Controle a ansiedade desde os dias anteriores aos Exames Nacionais

Se, nos dias que antecedem os Exames Nacionais, não treinar o seu cérebro para estar tranquilo, não vai conseguir ter calma e evitar as “brancas” na hora H. O stress pode ser evitado se os alunos aprenderem a controlar nos níveis de ansiedade nas vésperas. Como? Enviando ao cérebro uma mensagem importante: o momento é importante e decisivo, mas não é uma situação de perigo.

6. Evite as diretas

Para promover o melhor desempenho da sua memória e ter uma maior capacidade de concentração, é fundamental que esteja descansado – tal como já dissemos. Evite as diretas, durma entre 8 a 9 horas por noite e não sobrecarregue o seu cérebro com horas exaustivas de estudos.

Se, mesmo durante o dia, sentir muito sono, não hesite e durma por um período de 30 minutos a 1 hora. Como o cérebro descansado, a informação adquirida vai passar para a memória a longo prazo.

7. Faça refeições saudáveis

Um bom bife ao pequeno almoço? Sim, e não só. Durante a fase de preparação para os Exames Nacionais, os alunos devem apostar em refeições nutritivas e saudáveis, priorizando o consumo de proteínas, frutas, vegetais e frutos secos. Um cérebro bem nutrido tem mais hipóteses de vencer os períodos de ansiedade.

E não esqueça: no dia do exame, um pequeno almoço reforçado é fundamental. Um bife com legumes é bem vindo, bem como ovos mexidos e salsichas.

8. Apanhe sol e pratique atividade física

Não fique fechado em casa. Está provado que apanhar sol durante o dia e praticar, pelo menos, 30 minutos de atividade física ajuda a oxigenar o cérebro e a alterar o estado hormonal.

9. Pais, aliviem a pressão

Não há volta a dar: os pais têm impacto sobre o stress dos filhos. Muitas vezes, ainda que sem intenção, são os progenitores que acabam por pressionar os alunos e isso, claramente, pode influenciar nos resultados obtidos.

Mas, pais, este tipo de situação é de evitar – certo? Por isso mesmo, a nossa melhor sugestão é: mostrem aos seus filhos que acreditam neles e deixem que eles possam encontrar o próprio ritmo de trabalho – claro, mostrando sempre disponibilidade para ajudar no que for preciso. Isso parece ter especial importância quando o assunto é lembrá-los dos períodos de descanso e dos horários das refeições.

Proporcionar um ambiente tranquilo é umas das formas mais eficazes de ajudar e, de resto, o grande segredo é seguir uma fórmula simples: estimular, e não pressionar.

Agora, basta seguir as 9 dicas para ter sucesso nos Exames Nacionais

Agora que já conhece alguns passos simples para ajudar a ter melhores resultados nos Exames Nacionais, relaxe e seja positivo – afinal esta é apenas mais uma fase da aprendizagem e, apesar de importante, vale o que vale. Lembre-se: quanto mais complicar o processo, mais peso terá de carregar.

Veja também: