Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
29 Out, 2019 - 12:02

Como fazer uma bibliografia?

Catarina Milheiro

Tem dúvidas sobre como fazer uma bibliografia de forma correta? Conheça o método mais comum em Portugal.

fazer uma bibliografia

Não sabe muito bem como fazer uma bibliografia? Tem sempre dúvidas em relação à sua elaboração? Então, este artigo é para si.

Uma bibliografia exige o cumprimento de algumas regras ao longo da sua elaboração; o que acontece muitas vezes é o facto de estas regras se tornarem confusas para quem não está, de todo, habituado a ser criterioso neste aspeto.

Na verdade, existe uma enorme diversidade de normas para a realização de uma bibliografia em trabalhos académicos ou científicos. Por exemplo, alguns manuais estão em conformidade para obedecerem a uma norma em comum, enquanto algumas revistas científicas seguem as normas das editoras.

Quer saber como fazer uma bibliografia? Fique connosco.

O que é a bibliografia e o que representa

estudantes da universidade a escrever um trabalho

Antes de explicarmos como se deve fazer uma bibliografia, é importante compreender o que é e aquilo que representa.

De uma forma geral, uma bibliografia é a descrição e o conhecimento de livros. Ou seja, estamos perante a ciência que se encarrega pelo estudo da referência dos textos.

As bibliografias são bastante utilizadas pelos estudantes universitários em diversos projetos académicos e incluem os textos catalogados que pertencem a uma determinada matéria ou conceito.

Quando se realiza um trabalho ou qualquer tipo de estudo em que é necessária a consulta de uma série de livros, é obrigatório citar as fontes informativas, isto é, os textos, livros ou artigos científicos que foram consultados para a sua elaboração, que são as chamadas fontes bibliográficas.

Assim, a bibliografia facilita a leitura de um texto ou trabalho, para que o leitor consiga perceber de onde provém a informação. Ou seja, serve também para perceber que a informação não é da autoria do autor do trabalho.

Além disso, quando realiza uma bibliografia está também a mostrar que teve rigor no processo de pesquisa e que o seu trabalho é de confiança (tendo em consideração que os dados foram consultados baseados em estudos científicos, livros ou artigos).

Como fazer uma bibliografia: regras gerais

Todos os estudantes universitários já se depararam, em algum momento nas suas licenciaturas ou mestrados, com o facto de não se sentirem totalmente à vontade para fazerem uma bibliografia. Por isso mesmo, é bastante comum o surgimento da questão “como fazer uma bibliografia de forma correta?”

Para que não vá acumulando todo este trabalho para o fim, deve optar por ir referenciando um trabalho à medida que o vai fazendo. Lembre-se que o principal objetivo é acrescentar valor e dar credibilidade ao seu trabalho, pelo que o seguimento correto das normas é imprescindível.

Regras gerais na realização de uma bibliografia

  • Os títulos dos livros aparecem em itálico ou sublinhado e nunca entre aspas;
  • Os títulos dos artigos, capítulos, ensaios, e de mais documentos semelhantes, aparecem entre aspas;
  • Independentemente da norma de citações e referências que optar por utilizar, deve ser consistente e aplicar a mesma norma do início ao fim do trabalho;
  • A ordenação da bibliografia é alfabética, considerando o apelido do autor;
  • De um modo geral, num texto em que estejam previstas muitas referências bibliográficas deve utilizar o sistema autor-data, e o sistema nota de rodapé num trabalho com poucas notas.

Como fazer uma bibliografia: normas

Agora que já sabe quais são as regras gerais na realização de uma bibliografia, é extremamente importante que fique a par das normas utilizadas.

A maioria dos estudantes universitários nunca sabe muito bem como fazer uma bibliografia devido à falta de informação que têm sobre as devidas normas que existem para identificar as referências bibliográficas num trabalho – por exemplo, APA, Harvard, Chicago ou MLA.

No entanto, em Portugal a tendência é para seguir as Normas Portuguesas de Referência Bibliográfica – NP405. Para que não tenha dúvidas, elaboramos alguns exemplos a seguir.

Livros

  • 1 autor: AUTOR (APELIDO, Nome) – Título: complemento de título. Nº da ed. local: Editor, Ano. ISBN;
  • 2 ou 3 autores: AUTORES (APELIDO, Nome; APELIDO, Nome; …) – Título: complemento de título. Nº da ed. local: Editor, Ano. ISBN;
  • 4 autores ou mais: 1º AUTOR (APELIDO, Nome) [et al.] – Título: complemento de título. Nº da ed. local: Editor, Ano. ISBN;
  • Com autor coletividade: NOME DA COLETIVIDADE – TÍTULO: complemento de título. Nº da ed. local: Editor, Ano. ISBN;
  • Sem indicação de autor: TÍTULO: complemento de título. Nº da ed. local: Editor, Ano. ISBN; 
  • Partes ou volumes de livro: AUTOR(ES) (APELIDO, Nome) – Título da parte ou do volume: complemento de título. In Título do livro. Nº da ed. local: Editor, Ano de publicação. ISBN. vol., cap. , págs.

Documentos eletrónicos

  • Base de Dados: AUTOR(ES) (APELIDO, Nome) – Título [Em linha]. Nº da ed. local: Editor, ano de edição. [Consult. dia-mês-ano]. Disponível na Internet: . ISBN;
  • Artigo: AUTOR(ES) (APELIDO, Nome) – Título. Título da publicação [Em linha]. Data. [Consult. dia-mês-ano]. Disponível na Internet: ISSN;
  • Fontes: PAIS, Ana, ANTUNES, David N., 2012, Métodos e Técnicas de Investigação, 9ª ed., Amadora, Escola Superior de Teatro e Cinema.

Artigos impressos

  • Artigos assinados até 3 autores: AUTORES (APELIDO, Nome), – “Título do artigo”. in Título do jornal ou revista. Local. ISSN. Vol., nº (data), págs;
  • Artigo não assinado: “Título do artigo / ensaio”. Título do jornal ou revista. Local. ISSN. Nº (data), págs.
Veja também