Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Reis
Catarina Reis
15 Jul, 2020 - 15:52

Gabinetes de inserção profissional (GIP): saiba tudo

Catarina Reis

Fique a saber tudo sobre os gabinetes de inserção profissional (GIP), nomeadamente em que medida lhe poderão ser úteis no apoio à procura de emprego.

técnico dos gabinetes de inserção profissional (GIP) a atender desempregado

Os gabinetes de inserção profissional (GIP) são estruturas para conduzir os utentes a conseguir com sucesso encontrar o emprego que procuram.

O processo de procura de emprego por vezes pode ser um longo caminho a percorrer, e para que resulte da melhor maneira é importante que os candidatos estejam munidos não só de uma boa dose de persistência, mas também de estratégias e técnicas que poderão ditar a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Foi como resultado de uma consciência dessas mesmas  dificuldades que muitas pessoas sentem que foram criados estes gabinetes.

O que são gabinetes de inserção profissional (GIP)?

São uma rede de estruturas que prestam apoio ao emprego. 

Atuam em parceria com os centros de emprego na missão de prestar auxílio a jovens e adultos desempregados, dando uma orientação no que diz respeito a poderem posicionar-se da melhor forma no mercado de trabalho, quer se trate da primeira vez ou de uma reinserção.

técnico dos gabinetes de inserção profissional (GIP) a atender desempregado

O que fazem os GIP pelos desempregados?

Especificamente, a atuação dos gabinetes de inserção profissional pauta-se pelos seguintes serviços para o utente:

  • Apoio na procura ativa de emprego e desenvolvimento da visão empreendedora dos candidatos, tais como criar ou atualizar o curriculum vitae, redigir cartas de apresentação ou de candidatura espontânea, ou ainda como responder de forma eficiente a anúncios de emprego;
  • Captação e divulgação de ofertas de emprego e apoio à colocação;
  • Divulgação de medidas de apoio ao emprego, formação profissional e empreendedorismo e apoio ao encaminhamento de candidatos;
  • Divulgação de programas comunitários que promovam a mobilidade no emprego e na formação profissional na Europa;
  • Encaminhamento para ações promotoras do desenvolvimento de competências de empregabilidade e criação do próprio emprego;
  • Apoio à inscrição online dos candidatos a emprego;
  • Ações previstas no eixo 1 – Emprego, formação e qualificação do Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social – CLDS+;
  • Prestação de informações sobre o conteúdo e alcance de alguns serviços e apoios em matéria de segurança social;
  • Motivação e apoio à participação em ocupações temporárias ou atividades em regime de voluntariado;
  • Outras ações que sejam necessário desenvolver, pelos serviços de emprego, para apoio à inserção profissional dos desempregados.

Requisitos para o utente poder ser alvo do apoio por parte dos gabinetes de inserção profissional (GIP)

Para poder usufruir dos apoios que mencionamos no ponto anterior, os utentes devem estar inscritos no Centro de Emprego e Formação Profissional da sua área de residência.

Apenas os Centros de Emprego possuem gabinetes de inserção profissional?

Não. Esta medida é aplicável a quaisquer entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos, como:

  • Associações relevantes na dinamização e desenvolvimento local;
  • Instituições particulares de solidariedade social;
  • Associações para a integração dos imigrantes e das minorias étnicas;
  • Autarquias locais;
  • Associações sindicais e empresariais.

Redes de GIP

Poderá consultar online se o Centro de Emprego da sua residência funcionam como gabinetes de inserção profissional.

  • Para a região Norte, poderá consultar este documento.
  • Se considera a região Centro, deverá procurar aqui.
  • No que à região de Lisboa e Vale do Tejo diz respeito, deverá consultar este documento.
  • Para a região do Alentejo consulte este documento.
  • Se vive na região do Algarve, procure pelo Centro de Emprego da sua área de residência aqui.

Os gabinetes de inserção profissional também atuam junto das entidades promotoras

Os gabinetes de inserção profissional (GIP) têm como objetivo aproximar os utentes das entidades promotoras. Sendo assim, a sua área de ação não se resume ao apoio direto aos desempregados, atuando também junto dessas entidades promotoras, prestando-lhes apoio técnico e financeiro. 

Estes apoios podem consistir em medidas como fornecendo instrumentos de informação para divulgação junto dos desempregados, disponibilizando o acesso a sistemas de informação, ou ainda concedendo-lhes montantes financeiros que funcionam como subsídios não reembolsáveis.

Rede de gabinetes de inserção profissional (GIP) inclusivos

Há ainda a ter em conta existência de uma rede de gabinetes de inserção profissional (GIP) inclusivos, destinados a apoiar a inserção de pessoas com deficiência e incapacidade, promovida por entidades com condições e experiência no domínio da reabilitação profissional.

Pode consultar essa mesma rede aqui.

Rede de gabinetes de inserção profissional (GIP) imigrante

Por último, existem ainda gabinetes de inserção profissional (GIP) com o objetivo específico de prestar apoio a imigrantes. Consulte a lista de entidades promotoras da rede de gabinetes de inserção profissional (GIP) imigrante neste link.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].