Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ana Graça
Ana Graça
13 Jun, 2018 - 11:00

Gravidez psicológica: sintomas, causas e tratamento

Ana Graça

A gravidez psicológica é uma síndrome rara na qual uma mulher acredita que está grávida, apesar de não estar, e apresenta os sintomas típicos de uma gravidez.

Gravidez psicológica: sintomas, causas e tratamento

A gravidez é, geralmente, um momento especial e emocionante na vida dos pais, que esperam ansiosos a chegada do tão desejado bebé. No entanto, há casos raros em que a mulher acredita que está grávida, embora os seus sintomas sejam causados por outros fatores que não uma gravidez. Nestes casos podemos estar perante uma gravidez psicológica.

Gravidez psicológica: o que é?

A gravidez psicológica é a crença de que se está à espera de um bebé, quando na realidade não existe gravidez alguma. Não é uma condição comum, mas é grave e merece ser devidamente acompanhada.

As mulheres que sofrem de gravidez psicológica podem, de facto, ter dos sintomas de uma gravidez, nomeadamente:

Alguns autores acreditam que as mulheres desenvolvem esta condição quando se encontram obcecadas com o desejo de ter uma gravidez.

Nestes casos, a mente engana o corpo e vice-versa, ou seja, uma mulher pode parar de menstruar devido a uma situação de grande stress e interpretar essa situação como sinal de gravidez. Quando o cérebro assume que está a acontecer uma gravidez, o corpo começa a preparar-se para tal.

Quais as causas da gravidez psicológica?

Gravidez psicológica

Embora as causas exatas ainda não sejam conhecidas, acredita-se que há fatores psicológicos importantes que podem levar a uma gravidez psicológica, nomeadamente um desejo intenso de engravidar associado a uma situação de infertilidade ou repetição de abortos.

A incapacidade de gerar um bebé ou a frustração de tentar repetidas vezes conceber sem sucesso são experiências muito difíceis e dolorosas que podem afetar a autoestima, a autoconfiança, a sensação de controlo sobre o presente e o futuro, podendo ter como consequências o desespero, a ansiedade, a tristeza e, em alguns casos, a depressão.

Não é surpreendente que para proteger as pessoas dessa dor insuportável alguns mecanismos de defesa psicológica entrem em ação. Algumas mulheres realmente desenvolvem os sintomas da gravidez apesar de não terem concebido.

Estas falsas gestações permitem que as mulheres e seus parceiros tenham a capacidade de se sentir esperançosas mais uma vez, ainda que apenas temporariamente.

Como tratar a gravidez psicológica?

Quando a mulher que sofre uma gravidez psicológica é confrontada com provas irrefutáveis, torna-se, naturalmente, muito difícil digerir a notícia de que não está, de facto, grávida. É recomendável que tenha todo o apoio médico e psicológico nesta fase, bem como esteja rodeada do apoio de amigos e família.

Veja também: