Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
11 Jun, 2018 - 01:21

Honda HR-V. O melhor mini SUV do mercado?

Marvin Tortas

O Honda HR-V está num dos segmentos mais competitivos do mercado, mas será que consegue ser a referência no que toca a mini SUVs? Conheça ao pormenor o Honda HR-V.

Honda HR-V. O melhor mini SUV do mercado?

Lançado pela primeira vez em 1999, a Honda estreou-se com o HR-V um segmento até então pouco explorado pelas restantes construtoras e também pouco apreciado pelo mercado (pelo menos no que toca ao mercado europeu). As poucas vendas da primeira geração do HR-V levaram a que a construtora nipónica deixasse de produzir este carro em 2005.

Nos últimos anos o mercado automóvel mudou, e um dos segmentos mais desejados e mais competitivos atualmente é o dos mini SUV, e este foi o pretexto ideal para a Honda re-lançar o HR-V em 2016.

Embora mantenha o seu aspeto de SUV coupé, deixou de ter apenas 3 portas e tem agora um design mais apelativo, mais consensual, é mais prático (e a praticidade talvez seja mesmo a palavra de ordem deste carro) e está equipado com as últimas tecnologias do mercado no que diz respeito a segurança.

Será esta a referência dos SUV para o segmento C? Acompanhe-nos no ensaio ao Honda HR-V e descubra a nossa opinião.

Honda HR-V

HR-V
Fonte: Honda

Exterior

O Honda HR-V é um pequeno grande SUV, isto é, apesar das dimensões serem compactas, é na verdade um carro bastante generoso no que diz respeito ao espaço existente. É um utilitário que cabe em praticamente qualquer lado, com a benesse da posição de condução mais elevada que os clientes tanto têm apreciado nos últimos anos.

No exterior são visíveis vários traços que realçam a componente hereditária mais dinâmica deste carro, e os puxadores traseiros embutidos no vidro dão o aspecto de SUV coupé ao HR-V, claramente inspirado no modelo da primeira geração.

No exterior, o Honda HR-V é sobretudo um carro com um design que não compromete. Existem vários pormenores agradáveis à vista, mas não é um carro demasiado “vistoso” como a Honda já nos habituou (e continua a habituar) com outros modelos, como por exemplo, o novo Civic.

Podemos assegurar-lhe que a escolha da cor é um dos passos mais importantes na compra deste carro. A versão ensaiada pelo E-konomista estava pintada na cor Azul Brilliant Sporty Metalizado. É uma pintura opcional de 550€ mas é sem dúvida uma das que melhor assenta e realça as linhas deste automóvel.

Interior

É sobretudo aqui que o Honda HR-V impressiona, e antes de falarmos sobre o conforto ou a qualidade dos materiais, deixem-me que vos fale do pormenor mais incrível deste carro: os “Magic Seats” da Honda!

Este design de bancos da construtora japonesa permite-nos rebater a parte inferior dos bancos traseiros para que possamos transportar objetos de maiores dimensões, como por exemplo caixas, skis ou até mesmo bicicletas, com a maior das facilidades.

Além da parte inferior dos bancos traseiros poder ser rebatida, a parte superior, como é habitual em todos os carros, também pode, e isto contribui para aumentar ainda mais o espaço disponível para a bagageira, que com os bancos em posição é uma das maiores do segmento.

Espaço é mesmo coisa que não falta no interior do Honda HR-V, sobretudo nos bancos traseiros. Apesar de ser um SUV de dimensões compactas, 4 adultos são perfeitamente capazes de fazer uma viagem de várias horas a bordo deste carro. O espaço para a cabeça e para as pernas é mais do que suficiente para acomodar na perfeição 4 adultos ou 2 adultos e 3 crianças. Sobretudo se o carro estiver equipado com o teto de abrir panorâmico, a sensação de espaço a bordo é ainda maior.

Outro dos fatores que contribui para a excelente comodidade do Honda HR-V é a qualidade dos materiais, sobretudo a qualidade dos materiais existentes nos locais onde passamos mais tempo com as mãos. Falo-vos do volante, dos bancos ou dos apoia-braços.

De realçar ainda a quantidade de espaços de arrumação existentes no interior do HR-V, com destaque para a zona embaixo da consola central e da caixa de velocidades, que permite acomodar na perfeição os seus objetos pessoais.

O único aspeto menos positivo no interior do HR-V é mesmo o sistema de infoentrenimento. Apesar de bastante completo (está equipado com GPS e conectividade com smartphones), os grafismo está longe de ser ideal, e a sua posição dificulta o seu manuseamento enquanto estamos a conduzir.

Mas, por falar em condução, como é que comporta o HR-V na estrada?

Condução

O HR-V é um carro extremamente confortável para o uso quotidiano. A suspensão é bastante suave e absorve a maior parte das irregularidades da estrada sem qualquer esforço ou sem que se faça sentir demasiado, porém, se é adepto de uma condução desportiva, o comportamento dinâmico deste SUV da Honda não é o melhor. Já sabemos que confortável e dinâmico não são sinónimos quando falamos de suspensões convencionais, ainda assim, o HR-V passa no teste do conforto com uma nota muito positiva.

Positiva é também a nota dada ao motor diesel 1.6 de 120 cavalos. Um motor bastante suave, disponível e potente. Os 300 Nm de binário fazem com que não seja necessário recorrer à caixa de velocidades sempre que queremos fazer uma ultrapassagem pois existe sempre potência disponível, independentemente do regime.

Esta versão diesel apenas está disponível com uma caixa manual de 6 velocidades, que diga-se de passagem, é muito suave e muito fácil de operar. É sem dúvida aquela que deve escolher, mesmo que opte pela versão a gasolina. Nesse caso, terá também disponível uma caixa automática de variação contínua, mas as suas características fazem com que não consiga explorar tão bem as capacidades deste carro, e faz também com que o motor faça muito barulho sempre que acelera um pouco mais.

Os consumos registados no nosso ensaios (fizemos cerca de 500km com o HR-V) foram de 5.1L/100km. É um valor um pouco acima do anunciado pela Honda (4,1L/100km), mas ainda assim, um valor muito aceitável para um carro destas dimensões e com um motor bastante generoso.

Conduzir o HR-V é um momento de prazer, não só pelo seu conforto, mas também porque a existência das várias ajudas à condução tornam esta tarefa muito simples. Qualquer que seja a versão comprada, o HR-V está equipado de série com LKAS e ACC (sistema de manutenção na faixa de rodagem e alerta de colisão frontal), assim como reconhecimento de sinais de trânsito.

É verdade que a velocidades de auto-estrada ouvimos algum barulho dos pneus a rodar ou do ar a passar sobre a carroçaria, mas não é o suficiente para se tornar desconfortável. Basta colocar no rádio a sua música favorita e o verá que o tempo passará a voar.

Preços

Os preços da versão a diesel ensaiada (Executive) começam nos 32 800€. É a versão topo de gama e está equipada com GPS, ar condicionado de duas zonas, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e câmara de marcha atrás com 3 opções de visualização (wide angle, normal e zoom).

Os preços para a versão de entrada, equipada com um motor a gasolina começam nos 25 050€.

Quando comparado com os rivais (Nissan Juke, Mazda CX-3 ou Renault Captur), é certo que os preços do HR-V são um pouco mais elevados, porém os materiais no interior deste carro são de muito boa qualidade, as motorizações disponíveis são bastante económicas e potentes, e este é o mini SUV com maior espaço disponível, quer no habitáculo, quer na bagageira.

Veja também