Catarina Reis
Catarina Reis
05 Ago, 2018 - 11:00
A importância das avós na educação e formação dos netos

A importância das avós na educação e formação dos netos

Catarina Reis

“Por detrás de um grande homem está uma grande mulher” – o mesmo princípio se pode aplicar à relação de importância das avós na educação.

O artigo continua após o anúncio

A importância do contexto familiar na educação e formação dos mais novos é inquestionável. Se os pais são tradicionalmente vistos como as principais figuras de vinculação das crianças, também é verdade que os avós constituem importantíssimos elementos de suporte familiar. Em concreto, é de notar a importância das avós na educação dos netos.

A importância das avós na educação e a influência no futuro profissional dos netos

Por trás de inúmeros grandes homens e mulheres está muitas vezes uma grande avó. Temos a certeza absoluta de que a esmagadora maioria dos leitores vão concordar connosco, senão vejamos: as avós são os elementos com maior experiência no cuidado de familiares de todas as idades – já passaram “pelas suas mãos” os nossos pais, tios e primos, enquanto bebés, crianças, adolescentes, jovens e adultos.

importancia das avos

Assim, as caraterísticas próprias de cada etapa do desenvolvimento humano raramente são uma surpresa para elas. No entanto, ou talvez por isso mesmo, o seu amor incondicional pelos netos é mais livre de regras e exigências que o dos próprios pais. Possivelmente, porque a sua gestão da família já se baseia mais na experiência e na intuição do que no que dizem especialistas: pediatras, psicólogos, professores e educadores.

A importância das avós nos primeiros anos de vida

Muito provavelmente fomos à escola pela primeira vez pela mão dos nossos avós. Depois dos pais e irmãos, terão sido os avós quem mais contacto teve connosco, proporcionando o suporte familiar necessário à libertação dos pais para as tarefas e exigências da vida profissional. Por esta razão, pode considerar-se que os avós desempenham o papel de mediação familiar, papel este que será talvez o primeiro exemplo que a criança tem de trabalho a favor de uma comunidade ou grupo – a família. Este, como se compreende, é um valor transportado para outras esferas da vida da criança, incluindo a esfera escolar, a social e, mais tarde, a profissional.

>” href=”https://www.e-konomista.pt/como-educar-um-filho/”>Veja 10 dicas essenciais para saber como educar um filho >>

Estabilidade emocional e capacidade de lidar com a perda

É algo que tendemos a descurar, mas a base da estabilidade emocional na vida adulta relaciona-se intimamente com os modelos de relacionamento que nos foram transmitidos na infância. Uma relação segura e estruturante com os pais e os avós facilita o desenvolvimento de uma personalidade adaptada, flexível, e a adoção de comportamentos saudáveis e promotores da autoconfiança. Estas caraterísticas pessoais promovem a qualidade de vida nos planos relacional, íntimo, social e, claro está, profissional.

Mas nem todas as pessoas têm o privilégio de chegar à idade adulta com os seus avós por perto. Quando tal não acontece, para a criança ou adolescente o falecimento de um avô ou avó é o primeiro contacto com a perda, e também a primeira (e importantíssima) aprendizagem de como se faz um processo de luto.

4 dicas infalíveis para incutir o hábito de leitura nos seus filhos

O artigo continua após o anúncio
  • 3 receitas da avó que lhe vão saber à infância
  • Como melhorar a autoestima? 12 conselhos essenciais
  • Quais são os direitos das crianças?
  • 10 ideias de atividades pré-escola para estimular os mais pequenos