Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Alexandra Nunes
Alexandra Nunes
20 Jul, 2020 - 16:35

Kakebo: a arte japonesa de poupar

Alexandra Nunes

Já ouviu falar no Kakebo? O método japonês de poupança tem multiplicado o número de fãs em todo o mundo. Descubra as razões de tanto sucesso.

mulher anota despesas no seu livro kakebo

Das terapias orientais, à alimentação saudável, passando por técnicas de bem-estar, os asiáticos são sábios no que diz respeito a ter uma vida o mais zen possível. O mesmo acontece em relação a poupar dinheiro. Se quer melhorar a sua capacidade de juntar dinheiro, o Kakebo é o método japonês de poupança que vai querer explorar.

Provavelmente, já se cruzou numa livraria com o “Kakebo – o livro de contas da poupança doméstica”. Trata-se de um livro-agenda, com design apelativo, que os japoneses usam todos os dias para gerir as suas economias pessoais e retirar o máximo proveito do dinheiro. O método existe há algumas décadas e tem, atualmente, muitos seguidores em todo o mundo. Explicamos o que faz do Kakebo um sucesso global e como lhe pode ser útil para poupar mais.

Origens do Kakebo

Em japonês, os três carateres que formam a palavra Kakebo significam “livro de contas para a economia doméstica”. Trata-se de um livro em formato de agenda que permite o registo diário de despesas, receitas e muito mais, durante um ano.

O Kakebo foi criado em 1904 pela japonesa Motoko Hani, a primeira jornalista mulher do Japão e fundadora da revista feminina mais antiga do país: “A companheira da mulher”. Na altura, as mulheres não trabalhavam fora de casa e geriam o dinheiro que os maridos lhes davam de forma a pagar todas as contas e ainda sobrar um pouco para si.

Quando o Kakebo foi lançado, e impulsionado pela revista feminina, o método ganhou fama por ser uma forma de empoderamento das mulheres e de lhes dar autonomia. O conceito espalhou-se a toda a sociedade e o impacto deste método foi de tal ordem que, quatro décadas depois, foi criada uma associação de utilizadores. Hoje, são publicados dezenas de kakebos diferentes no Japão e no resto do mundo.

Como funciona o kakebo

kakebo

O Kakebo é um livro-agenda bem organizado, com design apelativo e dicas úteis que lhe permite anotar, à mão, todos os dias, em que é que gasta o seu dinheiro. É, no fundo, um livro de contas e poupança doméstica que lhe permite organizar e gerir o seu orçamento mensal.

O Kakebo assenta em três princípios:

1. Controlar todas as despesas, semana a semana, reorganizando o consumo diário e analisando os resultados no fim de cada mês.

2. Priorizar e categorizar os gastos, de acordo com as necessidades diárias, apelando assim para um consumo mais consciente e responsável.

3. Permitir uma análise profunda ao consumo diário, para poder encontrar formas de substituir hábitos financeiros ineficazes e que não se adequam à sua vida e realidade financeiras.

O Kakebo está dividido em 12 meses, com espaço para registar as receitas, as mais variadas despesas diárias fixas e extras. O livro permite também anotar os objetivos financeiros para os próximos 30 dias.

No final do mês, é possível analisar os gastos e a poupança semana a semana, calcular a poupança feita e perceber o que correu bem ou que ajustes são precisos fazer e em que área. Quando chegar ao final do livro, o sistema Kakebo propõe ainda um balanço anual onde é possível analisar as despesas dos últimos 12 meses por categorias, verificar os melhores truques, e os maiores entraves.

Vantagens do método japonês

Os japoneses acreditam que poupar de forma consciente, gastar e monitorizar o seu próprio dinheiro é uma forma de conseguir equilíbrio e calma em todas as outras vertentes da vida. Por isso, anotar despesas é considerada quase uma atividade de bem-estar!

Estudos comprovam que escrever manualmente determinada informação nos ajuda a reter melhor o seu conteúdo do que se usarmos o computador ou o telemóvel. O Kakebo obriga a esse exercício e também a refletir sobre o que se está a escrever, a valorizar as coisas e a pensar como e porquê fez determinado gasto.

A criadora do Kakebo incluiu na agenda sábios ditados japoneses, conselhos de poupança e perguntas como: ”que gastos o têm surpreendido mais?” ou “sabe valorizar as coisas para além do seu preço?”. O método japonês de poupança obriga-o a focar no presente e encoraja-o a pensar o futuro.

O mais importante é que se tem revelado uma solução de poupança comprovada que permite gerir o dinheiro de forma a não só cumprir com as sua obrigações, como também chegar ao final do mês com dinheiro de sobra. Se não é adepto de aplicações móveis ou fã de folhas de Excel, o Kakebo talvez seja a melhor opção para controlar o seu orçamento e gerir as suas finanças pessoais.

Veja também